Adeus infeliz

Werder Bremen 4-1 Nacional
Dois golos na parte final, após o bis de Markus Rosenberg, castigaram em demasia a despedida do conjunto insular.

Markus Rosenberg marcou dois golos em quatro minutos da etapa inicial
Markus Rosenberg marcou dois golos em quatro minutos da etapa inicial ©Getty Images

O Werder Bremen eliminou o Nacional da UEFA Europa League ao vencer a formação portuguesa, por 4-1, em partida da quinta jornada do Grupo L disputada esta quinta-feira no Weserstadion, na Alemanha.

Bis de Rosenberg
Depois de garantir a passagem à fase seguinte na ronda anterior, a equipa de Thomas Schaaf resolveu o encontro quando Markus Rosenberg bisou no espaço de quatro minutos da etapa inicial, apesar do exemplar livre directo marcado por Rúben Micael ter devolvido alguma esperança aos portugueses num resultado melhor, travada pelo golpe de cabeça de Marcelo Moreno a seis minutos do fim e pelo tento do suplente Marko Marin nos descontos. A luta pela liderança vai, assim, ser decidida a 16 de Dezembro, dia em que o Bremen viaja até Bilbau para defrontar o Athletic Club a precisar apenas do empate para confirmar a primeira posição do agrupamento, pois os bascos, igualmente apurados, mantêm-se na corrida à liderança depois de ter vencido fora o FK Austria Wien (3-0). Quanto ao Nacional, espera despedir-se desta fase de grupos com o primeiro triunfo quando receber os austríacos na Madeira na mesma altura.

Prödl falha emenda
Com o ponta-de-lança português Hugo Almeida no banco de suplentes e sem alguns habituais titulares, entre os quais o avançado Claudio Pizarro – um dos melhores marcadores da prova com quatro golos –, a formação anfitriã esteve perto de inaugurar o marcador logo aos quatro minutos, quando Moreno desviou ao primeiro poste um canto da direita e Sebastian Prödl atirou ao lado à boca da baliza de Rafael Bracali. O Nacional respondeu na mesma moeda, mas o remate de cabeça de Cléber também errou o alvo, antes de um pontapé perigoso de Peter Niemeyer obrigar Bracali a sacudir a bola com os punhos pela linha de fundo.

À boca da baliza
Bem desmarcado por Niemeyer, Daniel Jensen rematou por cima dentro da área, antes de um canto de Rúben Micael ser desviado de cabeça por Felipe Lopes de cabeça por cima da trave. Mas o Nacional sofreu o primeiro contratempo aos 31 minutos, altura em que Moreno cabeceou ao poste após cruzamento de Jensen e, na recarga, Rosenberg empurrou sem dificuldade para o fundo das redes. O avançado sueco voltou a festejar quatro minutos volvidos e mais não fez do que confirmar novamente o golo à boca da baliza, depois de Per Mertesacker se antecipar a Bracali na sequência de mais um canto.

Rúben Micael dá o exemplo
A turma portuguesa acercou-se com perigo da baliza de Sebastian Mielitz, titular no lugar de Tim Wiese, perto do intervalo, mas Rúben Micael, em boa posição na grande área, atirou ao lado. O conjunto lusitano queria oferecer algo ao treinador Manuel Machado, a recuperar de um problema de saúde, e depois de Bracali negar o terceiro ao Bremen e a Rosenberg, Rúben Micael assinou o seu terceiro tento na prova aos 61 minutos, num livre directo que desviou na barreira, ainda que ligeiramente.

Castigo pesado
Logo a seguir, o jovem guardião germânico, de 20 anos, impediu o empate ao defender um remate de Mateus de fora da área, antes de Bracali fazer o mesmo a nova tentativa de Rosenberg e Lopes, sem marcação, cabecear por cima aos 76 minutos. Moreno travou a reacção dos madeirenses ao fazer o terceiro golo alemão aos 84 minutos, de cabeça, saltando mais alto do que Patacas após cruzamento de Clement Fritz da direita. Nos descontos, o defesa Žarko Tomašević escorregou e deixou caminho aberto para o remate de Fritz que Bracali defendeu, mas na recarga o recém-entrado Marin não perdoou.