Esforço compensado

SK Slavia Praha 2-2 Valencia CF
A perder por 2-0 no seu terreno e reduzido a dez elementos, a formação da casa ainda conseguiu somar um inesperado ponto.

Carlos Marchena disputa um lance com Petr Trapp
Carlos Marchena disputa um lance com Petr Trapp ©Getty Images

No último lugar do Grupo B, a perder 2-0 ante o Valencia CF no seu terreno e reduzido a dez elementos a 11 minutos do apito final, o SK Slavia Praha conseguiu conquistar um inesperado ponto que lhe permite ainda acalentar algumas esperanças de seguir em frente no Grupo B.

Recuperação perto do fim
Com o Genoa CFC a bater LOSC Lille Métropole, líder do grupo, o Valência parecia encaminhar-se para ascender ao primeiro lugar. Sem portugueses no "onze" inicial, a formação espanhola ganhou vantagem aos 22 minutos, por intermédio de Joaquín, na transformação de uma grande penalidade. Hedwiges Maduro, com um excelente golo, ampliou a vantagem já no segundo tempo. Instantes depois, o Slávia viu-se reduzido a dez elementos, fruto da expulsão de Zdeněk Šenkeřík, sendo que a vitória do Valência parecia certa. Contudo, Petr Janda e Peter Grajciar tinham outras ideias e restabeleceram a igualdade, baralhando as contas do grupo à entrada para as duas jornadas finais.

Valência em vantagem
A equipa da casa entrou bem na partida, mas depressa os visitantes assumiram o controlo do jogo e, aos 22 minutos, viram Juan Mata ser derrubado por David Hubáček na área contrária. Na conversão do respectivo penalty, Joaquín não perdoou e colocou a bola no fundo da baliza, fazendo o 1-0, resultado com que se chegou ao intervalo. E quaisquer planos que Karel Jarolím tivesse transmitido aos seus pupilos para a segunda parte depressa caíram por terra quando, logo aos 48 minutos, Maduro disparou fortíssimo e sem hipóteses de defesa para o guardião Martin Vaniak. Um minuto depois, novo duro golpe na estratégia da equipa da casa, com a expulsão de Šenkeřík, por acumulação de amarelos.

Slávia chega ao empate
Pablo Hernández e Rubén Baraja poderiam ter ampliado a vantagem do Valência, mas o primeiro viu o seu remate passar ligeiramente ao lado e o segundo acertou na trave. O Slávia procurava lutar contra o rumo dos acontecimentos e, a 11 minutos dos 90, na sequência de um pontapé de canto, Janda reduziu a desvantagem da turma da casa, antes de Grajciar colocar, também ele, a bola no fundo das redes, na recarga a um primeiro remate de Adam Hloušek, restabelecendo a igualdade. Houve, depois, tempo para Baraja ver o cartão vermelho, por acumulação de amarelos, aumentando ainda mais a angústia do Valência numa noite onde tudo começou por lhe correr de feição. O Slávia continua no último lugar do grupo, mas, depois da exibição desta noite, ainda sonha com o apuramento.