O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Pizarro afunda insulares

Nacional 2-3 Werder Bremen
Claudio Pizarro marcou o golo do triunfo alemão a cinco minutos do fim, num jogo em que o Nacional esteve a perder por 2-0.

Claudio Pizarro deu a vitória ao Werder Bremen
Claudio Pizarro deu a vitória ao Werder Bremen ©Getty Images

No seu jogo de estreia em fases de grupos das competições europeias, o Nacional esteve a perder por 2-0 e ainda conseguiu chegar à igualdade, mas um golo de Claudio Pizarro perto do final ditou a derrota dos madeirenses por 3-2.

Vitória perto do final
O Bremen, sem Hugo Almeida (lesionado), foi mais forte no primeiro tempo e ganhou vantagem aos 38 minutos, na transformação de uma grande penalidade convertida por Frings. A turma germânica aumentou a vantagem no início da segunda parte, por Pizarro, mas o Nacional reagiu e restabeleceu a igualdade, fruto de golos de Felipe Lopes e Rafik Halliche. Contudo, aos 85 minutos, numa excelente iniciativa individual, Pizarro bisou na partida e ofereceu o triunfo aos visitantes.

Bremen entra melhor
O encontro começou numa toada lenta, com o Bremen a dispor de mais tempo de posse de bola, sem, contudo, ameaçar a defesa da casa. O Nacional tentava explorar o contra-ataque e, aos 11 minutos, Edgar colocou a bola no fundo da baliza do Bremen, mas o avançado brasileiro encontrava-se em posição irregular. O lance serviu de aviso ao Bremen, que a partir daí começou a acercar-se com maior perigo da baliza à guarda de Rafael Bracali.

Penalty dá vantagem aos visitantes
O Nacional ia resistindo e, aos 32 minutos, numa das raras ocasiões em que chegou junto à baliza contrária durante a primeira parte, quase marcava. Edgar, junto ao alvo, cabeceou para uma excelente defesa de Tim Wiese. O Bremen respondeu de imediato e acabou mesmo por chegar ao golo, estavam decorridos 38 minutos de jogo. Luís Alberto agarrou Pizarro dentro da grande área e o árbitro não hesitou em assinalar grande penalidade, convertida com êxito por Torsten Frings.

Pizarro amplia vantagem
O treinador do Nacional, Manuel Machado, procedeu a algumas alterações no arranque da segunda parte e os homens da casa começaram a aproximar-se mais vezes da baliza contrária. Contudo, balanceada para o ataque, a turma madeirense abria espaços no seu sector mais recuado, aproveitados pelos germânicos aos 54 minutos. Aaron Hunt surgiu isolado na direita e serviu Pizarro que, junto à baliza, encostou para o 2-0.

Nacional empata
Durante alguns minutos o Nacional acusou o golo sofrido contra a corrente de jogo, mas aos poucos voltou a assentar o seu jogo e, à passagem dos 69 minutos, na sequência de um pontapé de canto cobrado por Rúben Micael, Felipe Lopes, de cabeça, reduziu para 2-1. Moralizado pelo golo, o Nacional chegou mesmo ao empate seis minutos mais tarde, novamente no seguimento de um lance de bola parada. Amuneke, que havia entrado no decorrer da segunda parte, bateu um livre da direita e Halliche encostou para o fundo das redes, restabelecendo a igualdade.

Pizarro sela triunfo
A festa entre os adeptos do Nacional durou dez minutos. Bracali ainda evitou por duas vezes o terceiro golo do Bremen, mas Pizarro, aos 85 minutos, ganhou espaço à entrada da área e rematou sem hipóteses para o guardião da casa. Até ao final, o Nacional não voltou a criar perigo e o Bremen segurou mesmo um triunfo muito suado em solo madeirense.