Estreia positiva

Benfica 2-0 FC BATE Borisov
O Benfica estreou-se no Grupo I com uma vitória sobre os bielorrussos do BATE, com golos de Nuno Gomes e Óscar Cardozo.

Estreia positiva
Estreia positiva ©UEFA.com

O Benfica estreou-se da melhor forma no Grupo I da UEFA Europa League, com uma vitória sobre o FC BATE Borisov, por 2-0, com golos de Nuno Gomes e Óscar Cardozo.

Mudanças
Os "encarnados" apresentaram algumas novidades relativamente à formação titular que defrontou o Belenenses no passado domingo - vitória por 4-0. Assim, o treinador Jorge Jesus poupou Pablo Aimar, tendo feito alinhar o brasileiro Felipe Menezes na posição de organizador de jogo. Na baliza, Júlio César foi titular, ao passo que Maxi Pereira foi o eleito para ocupar a posição de lateral-direito. Saviola iniciou o jogo no banco de suplentes, dando o lugar a Nuno Gomes, que fez companhia a Óscar Cardozo na frente de ataque.

Di María perto do golo
A jogar em casa, o conjunto lisboeta cedo tentou chegar à baliza bielorrussa e quase chegava ao golo logo aos três minutos, após disparo de Di María. O argentino rematou de longe, mas o guarda-redes do BATE, Veremko, desviou para canto. Contudo, a barreira defensiva do BATE ia-se revelando cada vez mais um obstáculo difícil de penetrar. Aos 14 minutos, Óscar Cardozo tentou a sorte de livre, mas o guardião bielorrusso travou, com dificuldade, o remate do avançado paraguaio. 

BATE responde
Três minutos volvidos, os forasteiros aventuraram-se no contra-ataque e Rodionov rematou de fora da área, mas o esférico saiu muito por cima. Na jogada seguinte, Nekhaychik aproveitou um cruzamento do lado direito e cabeceou com muito perigo, tendo valido ao Benfica a intervenção de Júlio César, numa fase em que os comandados de Viktor Goncharenko estavam mais afoitos no ataque, colocando em sentido os defensores "encarnados".

Dois de uma assentada
Mas aos 24 minutos, o Benfica voltou a criar um lance de grande apuro para a defensiva contrária. David Luiz recuperou o esférico na zona intermediária, progrediu pela zona central e rematou pleno de intenção. Valeu ao BATE nova intervenção de Veremko. Mas aos 36 minutos o Benfica chegou finalmente ao golo, após cruzamento de Maxi Pereira do lado direito. Nuno Gomes, ao segundo poste, dominou o esférico no peito, e, de pé direito, atirou a contar. Cinco minutos depois, Cardozo fez o 2-0, numa fase de maior acerto da turma de Jorge Jesus. Nuno Gomes assistiu de forma primorosa o avançado paraguaio, que não teve dificuldades em colocar no fundo das redes.  

Domínio "encarnado"
Na segunda parte, o Benfica continuou a dominar o jogo e, aos 51 minutos, Cardozo esteve perto de fazer o 3-0, com um remate à entrada da área, que saiu ligeiramente por cima da barra. Três minutos depois, Di María roubou uma bola no meio-campo, entrou na área e assistiu Nuno Gomes. Em boa posição, o internacional português, dominou mal a bola, com o lance a perder-se. Os lances de perigo sucediam-se junto da área bielorrussa, mas aos 71 minutos o BATE esteve perto do golo, após cruzamento de Rodionov. Goaryan, à boca da baliza, não conseguiu desfeitear Júlio César.

Vantagem preservada
Até final, o BATE continuou à procura do golo que lhe permitisse acalentar esperanças de chegar, pelo menos, à igualdade, mas a vantagem da equipa da casa manteve-se até ao apito final. Na próxima jornada, a disputar no dia 1 de Outubro, o Benfica viaja até à Grécia para defrontar o AEK Athens, ao passo que o BATE recebe os ingleses do Everton FC.