O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

BATE quer voltar a surpreender

Após ter ganho o "respeito dos adversários" na UEFA Champions League no ano passado, o treinador Viktor Goncharenko espera que o BATE possa impressionar frente ao Benfica.

O BATE sente que não tem nada a temer frente às melhores equipas europeias
O BATE sente que não tem nada a temer frente às melhores equipas europeias ©Sportsfile

Após ter ganho o "respeito dos adversários" na edição do ano passado da UEFA Champions League, o treinador Viktor Goncharenko espera que o FC BATE Borisov também possa impressionar na UEFA Europa League, onde defronta o Benfica na jornada inaugural.

Novo desafio
Uma repetição da tarefa hercúlea do ano passado, em que alcançou a fase de grupos da UEFA Champions League, não foi possível esta época para o campeão bielorrusso, eliminado pelo FK Ventspils na terceira pré-eliminatória. No entanto, essa derrota foi o prelúdio de outro feito assinalável. O clube, fundado há apenas 13 anos – cuja equipa tem uma média de idades de 23,7 anos e um treinador que recentemente completou 32 –, atingiu a fase de grupos da nova UEFA Europa League, eliminando os búlgaros do PFC Litex Lovech no "play-off", com um resultado total de 4-1.

Orgulho
Depois de ter defrontado Real Madrid CF, Juventus e FC Zenit St. Petersburg na principal competição europeia de clubes da época passada, o BATE não se vai deixar intimidar pelo ambiente infernal do Estádio da Luz, em Lisboa. "Estou orgulhoso dos meus rapazes", disse Goncharenko, que ingressou no clube de Borisov aos 19 anos e seguiu a carreira de treinador depois de uma lesão ter terminado prematuramente a sua carreira, aos 25 anos. "Consigo ver o que há de melhor neles porque também eu fui profissional de futebol".

Mais confiança
"A mentalidade desta geração de jogadores não pode ser comparada com a do BATE de há dez anos", acrescentou o treinador, que assumiu o comando da equipa em Novembro de 2007. "Nessa altura não possuíamos nem mentalidade, nem experiência. Agora, os rapazes confiam nas suas capacidades. Conquistámos o respeito dos adversários e isso vê-se na forma como preparam os jogos frente ao BATE".

Experiência conta
Os rivais no Grupo I, Benfica, Everton FC e AEK Athens FC, são opositores de peso para qualquer equipa europeia. No entanto, Goncharenko está determinado a terminar nos dois primeiros lugares. "Não ficámos num grupo fácil", disse. "Ainda assim, temos um bom plantel, com bons jogadores e experiência internacional. Isso vai ajudar-nos, mesmo no final do Outono, quando a época na Bielorrússia terminar".

"Futebol agradável"
Apostado em conquistar o sexto campeonato bielorrusso consecutivo, o BATE – que se orgulha de apostar nos talentos nacionais, como os médios Pavel Nekhaychik e Igor Stasevich, e ainda o avançado Maksim Skavysh – vai procurar fazer justiça às suas qualidades. "Vamos dar o nosso melhor para não desiludir os adeptos", disse Anatoli Kapski, proprietário do clube. "Queremos jogar bom futebol em cada jogo e tentar vencer. Não somos novatos nestas andanças e queremos obter resultados favoráveis".

Emoção indescritível
"O ano passado foi a nossa primeira época nas competições europeias, e acabámos por surpreender", continuou Kapski. "A exigência não diminuiu. Só que agora trata-se de uma competição diferente. A UEFA Europa League não é o mesmo que a UEFA Champions League, mas também é um torneio importante e uma boa escola para aprender. Ultrapassámos dificuldades, desilusões e pressão para chegar até aqui. Agora estamos ainda mais entusiasmados do que no ano passado. É uma emoção difícil de descrever".