O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Semin realça apoio dos adeptos

O treinador do Dínamo, Yuri Semin, elogiou o apoio dos adeptos e a sua dupla de centrais, depois de a equipa ucraniana se ter apurado para as meias-finais da Taça UEFA, com uma vitória por 3-0 sobre o PSG.

Yuri Semin comemora um dos golos da sua equipa
Yuri Semin comemora um dos golos da sua equipa ©Getty Images

O treinador do FC Dynamo Kyiv, Yuri Semin, elogiou o contributo do público presente no Estádio Valeri Lobanovskiy e a solidez defensiva da sua dupla de centrais, depois de uma vitória por 3-0 ter assegurado o triunfo nos quartos-de-final da Taça UEFA, frente ao Paris Saint-Germain FC. O regressado Ismaël Bangoura inaugurou o marcador em Kiev, e depois de o guarda-redes adversário, Mickaël Landreau, ter cometido dois erros crassos, o PSG já não podia evitar a eliminação. O técnico do clube francês, Paul Le Guen, disse que "faltou agressividade e determinação" à sua equipa, e admitiu que o conjunto ucraniano foi a melhor equipa nesta partida.

Yuri Semin, treinador do Dínamo
Antes de mais tenho que agradecer aos adeptos, que criaram um ambiente fantástico no estádio. Isso ajudou-nos bastante, os jogadores estiveram motivados até ao limite. Praticámos bom futebol e agora aguardamos o futuro com optimismo. Não interessa quem eu gostaria de enfrentar nas meias-finais, já que nunca escolhemos o nosso adversário. Esta noite jogámos em casa, por isso é que fomos mais empreendedores do que em Paris. O [Artem] Kravets não pôde jogar, mas o Bangoura substituiu-o na perfeição. Também merece uma menção especial a nossa  dupla de centrais, constituída por [Goran] Sabljić e [Ayila] Yussuf, que foi quase perfeita - estiveram sólidos e imbatíveis nos lances aéreos. Substituí o último pois o resultado já estava feito, para o poupar para futuros compromissos.

Paul Le Guen, treinador do PSG
O que é que eu posso dizer? O resultado final fala por si. Foi um jogo duro. Não aproveitámos as oportunidades de golo que tivemos. Não digo que o Dínamo tenha sido claramente superior a nós. É claro que dois golos num curto espaço de tempo tornaram a tarefa realmente complicada. Ainda assim, se tivéssemos marcado um golo quando já estava 2-0, penso que teríamos hipóteses de lutar pela presença nas meias-finais. Hoje faltou-nos agressividade e determinação. O Dínamo foi mais forte do que nós esta noite e no desporto há que admitir quando somos batidos de forma inequívoca. Ainda assim, não considero este resultado uma catástrofe. O nosso guarda-redes cometeu um erro incrível, falhando a intercepção da bola no segundo golo, mas nunca pensei em substituí-lo.