Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

Estreantes suíços na Europa

A Super League suíça arranca dentro de duas semanas e, ao contrário do habitual, as duas equipas promovidas preparam a participação na Taça UEFA.

A Super League suíça arranca dentro de duas semanas e, ao contrário do que é habitual, as duas equipas promovidas preparam a participação na Taça UEFA.

Presença na Taça UEFA
O AC Bellinzona não só regressou ao escalão máximo após uma ausência de 20 anos com um triunfo, no final da época passada, num "play-off" ante o FC St. Gallen, como chegou à final da Taça da Suíça. Uma vez que o vencedor da prova, o FC Basel 1893 do português Carlitos, também se sagrou campeão, a equipa do cantão italiano de Ticino fará a sua estreia nas competições europeias frente ao FC Ararat Yerevan na primeira eliminatória de qualificação da Taça UEFA, a 17 de Julho. Entretanto, o FC Vaduz, vencedor da última edição da Challenge League, venceu, em Maio, a Taça do Liechtenstein pela 11ª vez consecutiva e voltará a representar o principado frente ao NK Zrinjski, da Bósnia-Herzegovina, assim como se estreará na primeira divisão suíça.

A ascensão do Vaduz
O Vaduz há muito que estava perto de aceder ao primeiro escalão do futebol suíço, embora a Taça do Liechtenstein seja a única porta de acesso às competições europeias. O técnico Heinz Hermann, cujas 117 internacionalizações constituem um recorde suíço, conseguiu a promoção com uma equipa que assenta em vários seus antigos jogadores das camadas jovens do Basileia, destacando-se o guarda-redes internacional Sub-21, Yann Sommer, que impressionou durante o empréstimo do clube de St. Jakob-Park e continuará em Vaduz, assim como o ponta-de-lança alemão Tim Grossklaus e o defesa bósnio Damir Džombić. A estrela é o dianteiro brasileiro Gaspar, que marcou 31 golos em 34 jogos da última edição da Challenge League. Porém, o tacticamente astuto Hermann mantém-se cauteloso: "Ainda precisamos de um ou dois jogadores experientes".

Ticino representada
O Bellinzona é a primeira equipa de Ticino a participar na Super League desde a falência, em 2002, do FC Lugano. Com efeito, será no estádio de Cornaredo, do refundado AC Lugano, que o Bellinzona efectuará os seus jogos nas competições europeias e fá-lo-ão, também, sob as ordens de outro técnico, depois de Vladimir Petković não ter acertado um novo contrato. Assim, o escolhido foi o antigo internacional suíço Marco Schällibaum, que treina o seu quinto clube da Super League. "Dei-me conta que esta equipa e o seu moral continuam intactos", disse Schällibaum, que, ainda assim, admite que evitar a despromoção será uma tarefa "muito, muito difícil".

Mudanças
Apesar de o plantel estar praticamente intacto, os dois principais avançados saíram do clube. Assim, o ponta-de-lança camaronês Christian Pouga ingressou no Sevilla FC, enquanto o "playmaker" Ifet Taljevic está agora no rival helvético Neuchâtel Xamax FC. Renderam-nos no plantel o experiente médio Gürkan Sermeter, adquirido ao FC Aarau, e o ponta-de-lança de 32 anos, Mauro Lustrinelli, que fez parte da selecção suíça que participou no Mundial de 2006 e que representou o FC Thun (na UEFA Champions League), o AC Sparta Praha e o FC Luzern nas três épocas anteriores, tendo, na sua primeira passagem pelo Bellinzona, entre 1994 e 2001, marcado mais de 100 golos. Apesar destas contratações, Schällibaum acrescentou: "Ainda temos de conseguir mais experiência na defesa". A sua equipa inicia a época uma semana mais tarde, frente ao Xamax, a 24 de Julho, devido à viagem até à Arménia para a Taça UEFA.

Topo