Helsingborg em grande

Ronda 1: Numa noite decepcionante para as equipas romenas e italianas, o Helsingborg deu a volta à eliminatória frente ao Heerenveen.

Roman Pavlyuchenko, avançado do Spartak, disputa o lance com Daniel Forsell
Roman Pavlyuchenko, avançado do Spartak, disputa o lance com Daniel Forsell ©Getty Images

Esta foi uma noite negra para o futebol romeno, que viu os seus clubes ficarem arredados da fase de grupos da Taça UEFA. O FC Rapid Bucureşti foi eliminado devido aos golos marcados fora, depois de um empate a duas bolas no total das duas mãos, ao passo que o seu vizinho FC Dinamo 1948 Bucureşti não teve melhor sorte, sendo eliminado pelo IF Elfsborg. Também os italianos do Empoli FC e da UC Sampdoria foram surpreendidos, mas a grande surpresa chegou da Suécia, com o Helsingborgs IF a dar a volta à derrota por 5-3 sofrida no jogo da primeira mão no terreno do SC Heerenveen e a seguir em frente.

Helsingborgs IF 5-1 SC Heerenveen (8-6 no total)
Depois de ter sofrido cinco golos no jogo da primeira mão, o Helsingborg conseguiu uma notável reviravolta na eliminatória, retribuindo os cinco golos que havia sofrido na Holanda e permitindo que o Heerenveen marcasse apenas um. Henrik Larsson deu o mote aos 20 minutos, antes de Andreas Dahl (37') e Razak Omotoyossi (45') colocarem os suecos no comando da eliminatória. René Makondele subiu a vantagem dos suecos no conjunto dos dois jogos para dois golos aos 52 minutos, sendo que aos 81' Omotoyossi marcou pela segunda vez no jogo e fez o 5-0. O golo de consolação dos visitantes foi marcado por Gerald Sibon, a um minuto do fim.

IF Elfsborg 0-1 FC Dinamo 1948 Bucureşti (2-2 no total, o Elfsborg segue em frente graças aos golos marcados fora)
O Helsingborg não foi a única equipa sueca com motivos para festejar. O campeão Elfsborg aguentou a pressão dos visitantes em Boras e eliminou o Dínamo. Com uma vantagem de 2-1 trazida da primeira mão, em Bucareste, os adeptos da casa assustaram-se quando viram Ionel Danciulescu dar vantagem aos romenos na conversão de uma grande penalidade, estava decorrida meia-hora de jogo. Mas a equipa comandada por Magnus Haglund manteve-se firme e seguiu em frente graças aos golos marcados fora.

FC Zürich 3-0 Empoli FC (4-2 no total)
Apesar da derrota por 2-1 na primeira mão, o FC Zürich ultrapassou tranquilamente o Empoli e garantiu a presença na fase de grupos da Taça UEFA. O Zurique marcou o importante primeiro golo aos 37 minutos, por Sebastian Koller. Os pupilos de Luigi Cagni vieram mais para o ataque no segundo tempo, mas desperdiçaram demasiadas oportunidades, o que acabou por lhes custar caro quando Almen Abdi aumentou a vantagem da equipa da casa a 12 minutos do final. Alexandre Alphonse, autor do golo do Zurique no jogo da primeira mão, em Itália, fechou a contagem em 3-0 quatro minutos mais tarde. Houve ainda tempo para nova desilusão nas hostes italianas, com a expulsão de Rincon.

Aalborg BK 0-0 UC Sampdoria (2-2 no total, o Aalborg segue em frente graças aos golos marcados fora)
O Aalborg está na fase de grupos da Taça UEFA depois de ter deixado para trás a Sampdória, graças a uma excelente exibição defensiva, debaixo de muita chuva na Dinamarca. Os italianos começaram bem o jogo, com Claudio Bellucci a rematar ligeiramente ao lado logo aos três minutos e Andrea Caracciolo a ver Karim Zaza negar-lhe o golo poucos depois. Caracciolo ainda rematou ao poste, antes de Siyabonga Nomvethe desperdiçar de cabeça a primeira oportunidade dos anfitriões, à passagem da meia-hora. Após o intervalo, Thomas Enevoldsen obrigou Luca Castellazzi a duas boas defesas em lances de contra-ataque, enquanto do outro lado o melhor que a Sampdória conseguiu produzir foi um cabeceamento de Hugo Armando Campagnaro a rasar a trave.

Kayseri Erciyesspor 0-5 Club Atlético de Madrid (0-9 no total)
O Atlético, com Zé Castro a titular e Maniche e Simão no banco, voltou a golear o Erciyesspor, desta vez na Turquia. Sergio Agüero abriu o activo logo aos seis minutos e, oito minutos depois, Luis García cruzou para a cabeça de José Manuel Jurado, que fez o segundo. Agüero, sem marcação, bisou na partida e ampliou para 3-0 pouco antes do intervalo. No segundo tempo, Maxi Rodríguez (de penalty) e Diego Forlán fecharam uma vitória categórica.

FC Rapid Bucureşti 2-2 1. FC Nürnberg (2-2 no total, o Nuremberga segue em frente graças aos golos marcados fora)
Após um empate a zero na primeira mão, na Alemanha, os visitantes garantiram o apuramento para a fase de grupos com novo empate muito suado. O Nuremberga tem de agradecer a qualificação ao seu guarda-redes, o checo Jaromír Blažek, que efectuou três fantásticas defesas a remates de Césinha, Mugurel Buga e Pierre Boya, mas que foi incapaz de parar um cabeceamento certeiro do antigo jogador do Braga, Césinha, aos 15 minutos. A equipa alemã reagiu e Peer Kluge fugiu à armadilha do fora-de-jogo para restabelecer a igualdade aos 22 minutos. Zvjezdan Misimović deu a volta ao jogo aos 55', fazendo o 2-1 à entrada da área, sendo que o melhor que a equipa romena conseguiu foi chegar ao empate, já nos descontos, por intermédio de Costin Lazar.

Anorthosis Famagusta FC 1-1 Tottenham Hotspur FC (2-7 no total)
Um golo do suplente Robbie Keane evitou a derrota do Tottenham no Chipre e confirmou a passagem à fase de grupos da equipa de Ricardo Rocha, que ficou de fora devido a lesão. A eliminatória tinha já ficado decidida na primeira mão, com a vitória dos ingleses por 6-1, mas na segunda mão o Anorthosis deu um ar da sua graça com um golo de Fabio de Matos Pereira nos primeiros instantes da segunda parte. Jermain Defoe falhou várias oportunidades para empatar o encontro, antes do golo de Keane, a 12 minutos do fim.

FC Lokomotiv Moskva 2-0 FC Midtjylland (5-1 no total)
Espectaculares golos de Diniyar Bilyaletdinov e Vladimir Maminov deram ao Lokomotiv um apuramento tranquilo para a fase de grupos. Bilyaletdinov abriu o activo com um forte remate de fora da área aos dez minutos. Cinco minutos depois, Martin Raška voltou a ir buscar a bola ao fundo da sua baliza após novo remate de longe, desta feita de Maminov, que assim confirmou uma vitória fácil. A única nota negativa para a equipa da casa foi a saída de Sergei Yefimov, substituído ao intervalo depois de ter fracturado o nariz.

Hamburger SV 3-1 PFC Litex Lovech (4-1 no total)
Mais de 40 mil pessoas encheram a Arena de Hamburgo e viram a equipa da casa confirmar a presença no sorteio da fase de grupos, marcado para terça-feira. Robert Popov ainda começou por assustar a equipa alemã, marcando aos 38 minutos e anulando a vantagem que Hamburgo trazia do jogo da primeira mão, mas dois minutos depois José Paolo Guerrero voltou a colocar a equipa alemã na frente da eliminatória com um espectacular pontapé de bicicleta. O mesmo jogador voltou a marcar logo após o reatamento, aproveitando da melhor forma um erro defensivo da equipa búlgara. Rafael van der Vaart fechou a contagem com um golo de cabeça a 18 minutos do apito final.

Odense BK 0-0 AC Sparta Praha (0-0 no total após prolongamento, Sparta vence por 4-3 nos penalties)
O Sparta foi mais feliz nos penalties, depois de novo empate a zero frente ao Odense. Ao cabo de 210 minutos sem golos, os checos acabaram por vencer por 4-3 no desempate por pontapés da marca de grande penalidade e garantiram, assim, a presença na fase de grupos da Taça UEFA pela segunda temporada consecutiva.

Vålerenga IF 2-2 FK Austria Wien (2-4 no total)
Um empate foi suficiente para garantir o apuramento do Áustria de Viena. Saniel Kuljic, que já havia marcado na primeira mão, voltou a facturar a meio da primeira parte do segundo jogo, depois de uma hesitação da defesa do Vålerenga, que ainda assim chegou ao empate aos cinco minutos do segundo tempo, por Freddy Dos Santos, que culminou da melhor forma uma bonita jogada de Daniel Holm. Os anfitriões voltaram a marcar perto do final (minuto 87), quando Jacek Bąk colocou a bola no fundo da sua própria baliza, mas Milenko Ačimovič restabeleceu a igualdade com um forte remate a 20 metros da baliza, já nos descontos.

BK Häcken 1-3 FC Spartak Moskva (1-8 no total)
O Spartak seguiu em frente sem dificuldades e em grande estilo, graças a golos de Yegor Titov, Nikita Bazhenov e Artem Dzyuba, que carimbaram uma fácil vitória na Suécia. O carismático Titov subiu a vantagem da formação russa no total das duas mãos para 6-0 ainda nos minutos iniciais, acabando com as ténues esperanças dos adeptos da casa. Foi preciso esperar até aos 78 minutos para se assistir a novo golo, novamente para o Spartak, apontado por Bazhenov. Jonas Henriksson ainda deu uma pequena alegria aos anfitriões já perto do final, mas a última palavra iria mesmo pertencer ao Spartak, com Dzyuba a marcar o último golo do jogo.

Topo