O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Trapattoni assume culpas

O treinador do Salzburgo assumiu a responsabilidade pela derrota por 3-0 frente ao AEK, equipa onde alinham os portugueses Geraldo e Manu.

A derrota de quinta-feira frente ao AEK Athens, por 3-0, na primeira mão da primeira eliminatória da Taça UEFA, fez subir ainda mais a pressão sobre o treinador do campeão austríaco FC Salzburg, Giovanni Trapattoni.

Posição delicada
Depois de ter conquistado o título nacional austríaco na última temporada, o Salzburgo esperava esta época ir longe nas competições europeias, mas depois de falhar o acesso à fase de grupos da UEFA Champions League, eliminado pelo FC Shakhtar Donetsk com 3-2 no total das duas mãos, uma pesada derrota em Atenas deixou a equipa à beira de um adeus prematuro à Europa - o que constitui uma enorme desilusão, dado o investimento efectuado pelo clube nas últimas temporadas.

"Táctica errada"
Trapattoni, antigo treinador do Benfica, de 68 anos, tem vindo a estar sob pressão no clube depois de o início de temporada a nível interno estar a ser, igualmente, abaixo das expectativas, com o Salzburgo no segundo posto do campeonato. Agora, o mau resultado obtido em Atenas pode fazer crescer ainda mais essa pressão. "É possível que não tenhamos apostado na táctica correcta para o jogo", admitiu. "Assumo total responsabilidade por isso. Vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance na segunda mão para chegarmos aos golos de que necessitamos".

Cabeças a rolar
Um total de 18 pontos conquistados nas dez primeiras jornadas do campeonato é considerado escasso para o Salzburgo. O director-desportivo Oliver Kreuzer já pagou a factura, tendo sido dispensado e substituído no cargo pelo cotado coordenador das camadas jovens, Heinz Hochhauser, e por Thomas Linke. Com os reforços Christoph Leitgeb e Saša Ilić a exibirem-se ainda abaixo do esperado, mais mudanças poderão estar para breve.

Maus resultados fora
Determinantes para o actual mau momento do clube têm sido as exibições fora de casa. Sem ainda ter desperdiçado qualquer ponto no relvado artificial do seu Estádio Salzburg Wals-Siezenheim, a equipa parece ter dificuldades quando actua em relva verdadeira. O Slazburgo conquistou apenas três pontos em cinco jogos fora no campeonato, sendo que o resultado no terreno do AEK demonstrou que também não há melhorias quando a equipa actua na Europa.

Falta de inspiração ofensiva
Os adeptos começam, igualmente, a ficar saturados das tácticas de Trapattoni. Com o antigo jogador do FC Bayern München, Alexander Zickler, a actuar geralmente como único avançado, o treinador italiano continua a dar prioridade a não sofrer golos, fazendo alinhar muitas vezes Niko Kovač, Ezequiel Carboni e René Aufhauser como trio defensivo no meio-campo. Com grande parte das equipas a colocarem agora dois jogadores na marcação a Zickler, de 33 anos, os adeptos do Salzburgo sentem que falta alguma inspiração ofensiva à equipa.

Esperança em Rakić
Há, ainda assim, alguma esperança no ar. A vitória caseira do fim-de-semana, por 2-1, sobre o SV Mattersburg, marcou a estreia do novo avançado internacional Sub-21 sérvio, Djordje Rakić, ao lado de Zickler. "Rakić é um avançado excepcional", garantiu Trapattoni. "Ele vai continuar a desenvolver-se connosco e dará uma outra dimensão ao nosso ataque". Talvez precise de se desenvolver muito depressa mesmo, de forma a aliviar a pressão que paira sobre o seu treinador.