Partizan é atracção em Mostar

O entusiasmo cresce em redor do regresso do gigante sérvio Partizan à cidade de Mostar à medida que se aproxima o encontro com o Zrinjski, a contar para a Taça UEFA.

O entusiasmo cresce em Mostar, à medida que se aproxima o regresso do gigante sérvio do FK Partizan ao Estádio Bijeli Brijeg, para defrontar o NK Zrinjski, em partida da Taça UEFA que se disputa esta quinta-feira à noite.

Memórias de Mostar
As equipas nunca se defrontaram - o Zrinjski foi dissolvido ainda no tempo da antiga Jugoslávia -, mas os adeptos da cidade da Bósnia-Herzegovina situada nas margens do rio Neretva ainda se recordam bem dos duelos entre o Partizan e o rival vizinho de Zrinjski, o FK Velež, quando ambos os clubes competiam na divisão de topo do futebol jugoslavo.

Casa emprestada
A última visita do Partizan ao Bijeli Brijeg resultou numa derrota com o Velež (1-0), em 1992, e a popularidade do clube na região também possibilitou a utilização do anfiteatro como casa emprestada, corria o ano de 1989. Condenado a jogar a 300 quilómetros de distância de Belgrado, depois de um jogador da AS Roma ter sido atingido por uma moeda arremessada das bancadas durante um encontro da segunda eliminatória da Taça UEFA, a opção recaiu em Mostar.

Boas memórias
O Partizan venceu a partida da primeira eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças frente ao colosso escocês Celtic FC, por 2-1, e avançou para a ronda seguinte graças aos golos apontados na condição de visitante após derrota na visita à Escócia, por 5-4. Nessa edição da prova já extinta, o Partizan acabaria por chegar mesmo aos quartos-de-final.

Partizan favorito
O Partizan entra em campo na condição de favorito, uma vez que a experiência do Zrinjski nas competições europeias é escassa. No entanto, tendo em conta que o seu treinador, Blaž Slišković, enfrentou várias vezes o adversário desta quarta-feira durante a sua carreira de futebolista, ao serviço do HNK Hajduk Split e do Velež, o Zrinjski não vai entrar condicionado pela dimensão da tarefa que tem pela frente.

Feliz adversário
"De entre todos os adversários fortes que nos podiam ter calhado, fiquei contente por defrontar o Partizan", afirmou o antigo seleccionador da Bósnia-Herzegovina, autor de três golos em 26 internacionalizações pela antiga Jugoslávia e que chegou a ser apontado como "O Maradona dos Balcãs". "Vai ser, definitivamente, um excelente espectáculo de futebol e espero que os meus jogadores dêem o máximo", completa.