Sofrer até ao fim

Parma FC 0-1 Braga (total: 0-2)
Apesar da pressão italiana, Diego marcou aos 89 minutos e confirmou o apuramento dos minhotos, que viram Frechaut ser expulso na segunda parte.

O Sp. Braga qualificou-se para os oitavos-de-final da Taça UEFA, pela segunda vez na sua história, ao repetir no Ennio Tardini o triunfo de 1-0 sobre o Parma FC obtido no primeiro jogo. Privado de Frechaut no quarto-de-hora final, os bracarenses aguentaram a pressão italiana e viram Diego marcar perto do fim, proporcionando a Jorge Costa uma estreia de luxo no primeiro jogo oficial no comando técnico da equipa. Segue-se o Tottenham Hotspur FC.

Couto titular
O técnico Claudio Ranieri, que antes do encontro afirmou ser a manutenção na Serie A a principal prioridade do Parma, tinha dito que iria fazer algumas alterações na equipa, mas operou uma autêntica revolução, colocando em campo apenas cinco jogadores em relação à derrota no Minho. Entre as caras novas estava o central português Fernando Couto, de regresso à competição após várias semanas lesionado.

Santos salva
A equipa parmesã entrou de rompante na partida e esteve perto de inaugurar o marcador logo aos quatro minutos. Perante o desnorte da defesa bracarense, Kutuzov amorteceu a bola no coração de área para o remate em voo de cabeça de Danielle Paponi, mas o guarda-redes Paulo Santos efectuou uma excelente defesa e desviou o remate para canto.

Zé Carlos ao lado
Estreante nas andanças de treinador, Jorge Costa, que entregou o lado direito da defesa a Pedro Costa, preferiu jogar pelo seguro, e povoou o meio-campo com a experiência de Frechaut, João Pinto, Luís Filipe e Wender. O irrequieto Zé Carlos deambulou sozinho na frente e podia ter marcado aos 14 minutos, depois de uma incursão pela área de Luís Filipe. No entanto, o autor do golo na primeira mão, de costas para a baliza, escorregou na altura da rotação, atirando fraco e ao lado da baliza de Alfonso De Lucia.

Nulo justificado
Perto da meia-hora, o técnico do Parma foi obrigado a trocar Paponi por Andrea Gasbarroni, devido a lesão, e viu pouco depois Couto ser admoestado com cartão amarelo, após falta dura sobre Zé Carlos. Bem comandado na zona do meio-campo por João Pinto, o Braga ia controlando as operações e o intervalo chegou com um nulo perfeitamente justificado, apesar da defesa apertada de Paulo Santos a desvio de cabeça de um adversário nos descontos da primeira parte.

João Pinto a rasar o poste
Descaído para a direita, Kutuzov podia ter feito melhor aos 57 minutos, mas o seu remate saiu muito por cima. Aproveitando o adiantamento dos italianos, o Braga desferia contra-ataques rápidos e num deles, ao minuto, 64, João Pinto apareceu bem colocado perto da área. Contudo, o remate do camisola 10 saiu ligeiramente ao lado do poste, depois de ter ainda desviado num defesa e quase enganado De Lucia.

Frechaut expulso
Sem Domenico Morfeo, que se lesionou na partida do fim-de-semana no campeonato, a formação transalpina sentiu demasiado a ausência do seu estratega. Ranieri apostou tudo com as entradas de Daniele Dessena e Giuseppe Rossi a meio da etapa complementar e o Parma passou então a criar mais perigo, nomeadamente com remates de Bocchetti, Gasbarroni e Rossi. Aos 76 minutos, Frechaut viu o segundo amarelo e foi expulso, obrigando a sua equipa a jogar em inferioridade numérica.

Diego "matador"
A formação bracarense aguentou a pressão do Parma e Paulo Santos defendeu um remate com selo de golo de Zlatan Muslimovic, a oito minutos do final. Aos 89, o suplente Diego, reforço de Inverno, desviou para a baliza um cruzamento de Luís Filipe e confirmou a qualificação da formação portuguesa. Depois de ter sido eliminado pelo FC Schalke 04 em 1997/98, o Braga volta a estar presente nos oitavos-de-final da prova e vai agora defrontar o Tottenham. A primeira mão está marcada para 8 de Março, no Municipal, enquanto o segundo encontro será jogado daí a uma semana, em Londres.