Wender apura bracarenses

AC Chievo Verona 2-1 SC Braga (após prolongamento, total: 2-3)
Os "arsenalistas" chegaram, finalmente, à fase de grupos da Taça UEFA.

O Sp. Braga carimbou o apuramento para a fase de grupos da Taça UEFA, no recinto do AC Chievo Verona. A turma minhota perdeu por 2-1, após prolongamento, mas fez valer o tento apontado em Itália, por Wender.

Braga controla
O encontro começou da melhor forma para os bracarenses, com o Chievo Verona a demonstrar muito nervosismo e algum medo de arriscar. Assim, os comandados de Carlos Carvalhal puderam controlar o jogo como quiseram, dominando o meio-campo e imprimindo o ritmo que mais lhes interessava. Não admira, portanto, que os transalpinos pouco perigo tivessem criado durante os primeiros 45 minutos, à semelhança, aliás, dos minhotos.

Golo do Chievo
O primeiro lance de alguma emoção aconteceu apenas aos 29 minutos, quando Andrea Zanchetta converteu um livre pouco por cima da baliza de Paulo Santos. No entanto, o Sp. Braga continuou a controlar os acontecimentos, mantendo o adversário longe da sua grande área e a posse de bola. Uma situação ideal que sofreu um revés aos 37 minutos, altura em que o Chievo Verona fez o 1-0, sem que o justificasse verdadeiramente. Após cruzamento da esquerda de Kamil Kosowski, Simone Tiribocchi surgiu ao segundo poste e cabeceou para o fundo das redes.

Alterações de Carvalhal
Um tento que animou o público presente no estádio, mas que, curiosamente, não afectou muito a turma portuguesa, que continuou a controlar a partida. O intervalo chegou e Carlos Carvalhal tirou Hugo Leal para lançar Maciel, para aproveitar o previsível adiantamento adversário na segunda parte. Frechaut passou para o eixo do meio-campo, ao lado de Andrés Madrid. E o jogo ganhou alguma velocidade e emoção.

Minhotos criam perigo
O primeiro lance de perigo surgiu logo aos 48 minutos, com o guarda-redes Vincenzo Sicignano a falhar um alívio com o pé, após atraso de um colega de equipa, com a bola a passar rente ao poste. Contudo, era o Chievo quem atacava e criava perigo, com a defesa do Braga a afastar como podia e a equipa a contra-atacar a espaços. Primeiro através de João Pinto, a rematar ao lado, e em seguida, aos 55 minutos, Maciel isolou-se, mas rematou por cima. Aos 64 minutos, Wender também podia ter facturado, e como quem não marca, sofre.

Eliminatória empatada
Aos 67 minutos, o romeno Denis Godeas fez o 2-0, em recarga a um primeiro remate de Dario Marcolin. O Sp. Braga via o seu adversário empatar a eliminatória, mas a ficar com dez jogadores, após Paolo Sammarco ver o vermelho directo. Não aproveitou a turma minhota, que perdeu o central Nem por segundo amarelo, dois minutos depois. O jogo abriu e as oportunidades de golo começaram a suceder-se junto das duas balizas, aproximadamente até aos cinco minutos finais, altura em que as duas formações evitaram arriscar em demasia. E assim se chegou aos 90 minutos regulamentares.

Wender decide
No prolongamento, Wender podia ter marcado de livre directo, logo no início, mas Sicignano opôs-se com grande intervenção. O Braga mostrava-se mais afoito e João Pinto voltou a ameaçar, com um remate de fora da área, mas aos 103 minutos, os "arsenalistas" marcaram mesmo. Carlos Fernandes centrou da esquerda e Wender cabeceou para o 2-1. A eliminatória estava sentenciada, e mais ficou aos 107 minutos, com o Chievo a ver-se reduzido a nove elementos, por expulsão de Zanchetta. O Sp. Braga chega, finalmente, à fase de grupos da Taça UEFA, e com total justiça.