Liedson, câmaras, acção!

O goleador Liedson diz que o Sporting vai desfrutar da oportunidade de jogar a final da Taça UEFA perante o seu público.

Actual melhor goleador do campeonato português, com 25 golos em 30 jogos, Liedson da Silva Muniz parece estar a viver um sonho cada vez que entra em campo para representar o Sporting.

Origens humildes
Aos 27 anos, o avançado está no ponto mais alto da carreira, e preparar-se para jogar a sua primeira final europeia, quando, na quarta-feira, o Sporting disputar a final da Taça UEFA, no seu estádio, com o PFC CSKA Moskva. Há apenas sete anos, Liedson ainda trabalhava como repositor de artigos num supermercado do Brasil.

Ascensão constante
Aos 22 anos, o franzino avançado, que mede 1.75m e pesa apenas 63 quilos, começou uma trajectória ascensional no futebol ao assinar um contrato que o ligava a dois clubes, o Prudentópolis e o Coritiba FC, mas só chegou aos grandes palcos quando foi emprestado ao SC Corinthians.

Atravessar o Atlântico
Os dez golos que marcou em 18 jogos, na época de 2003, despertaram o interesse do Sporting no avançado, que atravessou o Atlântico, no Verão de 2003, a troco de dois milhões de euros. Marcou 15 golos na primeira época de leão ao peito, mas só em 2004/05 mostrou um invulgar talento goleador.

Sucesso europeu
Com nove golos já marcados na Taça UEFA, está confiante para a final. "As nossas expectativas são as mais altas possíveis", disse ao uefa.com. "Estamos bem preparados, apesar do grande número de jogos que temos disputado ultimamente, mas a ambição desta equipa pode superar tudo".

Descanso suplementar
Como esteve suspenso do jogo com o Benfica, que acabou com o sonho do título do Sporting, Liedson teve mais um dia para se concentrar para a final de quarta-feira. O brasileiro já teve tempo para estudar o CSKA e sabe que é uma equipa que não deve ser subestimada.

A ameaça do CSKA
"Estamos cientes da qualidade dos nossos adversários", afirmou. "Respeitamo-los e sabemos que têm tantas possibilidades como nós, mas temos de fazer valer o factor-casa. Sabemos que a defesa do CSKA é muito boa e forte, mas nós também temos os nossos trunfos ofensivos, que nos permitirão ultrapassar as dificuldades".

O mais perigoso
A arma mais perigosa do ataque do Sporting é, claramente, Liedson. A multidão que vai estar no Estádio José Alvalade deposita muitas esperanças nele, assim como muitos espectadores que vão assistir ao jogo pela televisão. O brasileiro insiste que nem ele, nem os seus colegas, estarão em campo em busca da glória individual.

Observados
"É verdade que estará muita gente atenta, e não apenas a mim, mas a todos os jogadores que vão estar em campo", afirmou. "Chegamos à final em conjunto. Os observadores de clubes europeus, e de todo o mundo, estarão atentos. É lógico que estarão mais atentos a uns jogadores do que a outros, mas todos teremos oportunidade para mostrar as nossas qualidades".

Longa espera
Logicamente, a final não é disputada por jogadores, mas por equipas, o que faz aumentar a responsabilidade dos leões, que não ganham uma competição europeia há 41 anos, desde que, em 1963/64, derrotaram o MTK Hungária FC, por 1-0, na finalíssima da Taça dos Vencedores das Taças.

Optimista
Liedson não mostra ter o peso da história sobre os seus estreitos ombros. Está tranquilo, pois marcou golos ao longo de toda a época. "Espero estar incluído no grupo de jogadores a quem a final correu bem", afirmou.