'Ele é Mourinho. Eu sou Peseiro'

O técnico do Sporting defende que nada tem que ver com o homólogo do Chelsea e afirma que os "leões" vão manter a táctica para a final com o CSKA.

A derrota do fim-de-semana por 1-0 frente ao Benfica colocou um ponto final nas esperanças do Sporting em conquistar a SuperLiga portuguesa, mas, se a turma de Alvalade vencer a Taça UEFA esta quarta-feira, frente ao PFC CSKA Moskva, o treinador José Peseiro pode gabar-se de ter conseguido uma extraordinária época de estreia no clube.

Muita pressão
Após mudar-se para o Sporting, depois de uma época turbulenta como treinador-adjunto de Carlos Queiroz no Real Madrid CF, o técnico, de 45 anos, enfrentou muita pressão nos últimos dois anos. Mesmo com a vantagem de jogar em casa esta quarta-feira, no Estádio José de Alvalade, Peseiro não dá o jogo como ganho.

Vantagem caseira
"Partilhamos o entusiasmo dos nossos adeptos, mas também sabemos que apenas venceremos este encontro se jogarmos muito bem e tivermos uma mentalidade ganhadora", disse ao uefa.com. "O facto de jogarmos no nosso estádio e de a maioria dos adeptos nos apoiar não nos vai garantir o triunfo".

Travão no entusiasmo
A recordação da final do UEFA EURO 2004™, no Verão passado, quando Portugal perdeu surpreendentemente por 1-0 frente à Grécia perante o seu próprio público, é algo que Peseiro não se cansa de lembrar, referindo que, quando o entusiasmo aumenta e as emoções parecem descontrolar-se, tudo pode acontecer.

Drama lusitano
"Portugal também era favorito na final do Verão passado", disse. "O estádio estava cheio de portugueses. Havia uma grande euforia em torno da equipa e ninguém pensou ser possível perder, mas Portugal perdeu. Se alguém pensa que temos a final ganha, deve lembrar-se disto".

Consistência táctica
Contudo, mesmo que a pressão do momento penda sobre o treinador, Peseiro adianta que o Sporting não vai desesperadamente alterar as suas tácticas. A política de procurar a posse de bola e colocar homens no ataque tem sido a imagem de marca do Sporting até ao momento.

Estilo próprio
"Desde o primeiro dia, dissemos que o mais importante era concentrarmo-nos no nosso próprio estilo de jogo em vez de nos preocuparmos os nossos adversários", afirmou Peseiro. "Não negligenciamos nunca a necessidade de compreender os pontos fortes e fracos dos nossos adversários. Porém, tudo isso não interfere muito nas nossas próprias ideias".

Os melhores da Europa
A vitória sobre o CSKA seria mais um ponto alto no futebol português e uma prova perante o Mundo que o vencedor da Taça UEFA de 2003 e da UEFA Champions League, o FC Porto, não é a única formação da SuperLiga capaz de competir com os melhores da Europa.

Tranquilidade
No entanto, Peseiro espera que o orgulho português não seja prejudicial. "Todos nós sentimos um grande orgulho, satisfação e entusiasmo, mas não queremos que esses sentimentos nos perturbem esta quarta-feira", explicou. Todavia, Peseiro não negou que vencer o troféu seria algo que encheria todos "de grande alegria".

O novo Mourinho
Um triunfo na Taça UEFA daria a Peseiro o privilégio de igualar as conquistas de José Mourinho no FC Porto. Peseiro - que garantiu as qualificações de treinador um ano depois de Mourinho - já foi considerado da mesma cepa que o técnico do Chelsea FC, mas o treinador leonino não se mostra convencido.

Métodos
"Ele é o Mourinho e eu sou o Peseiro", afirmou o treinador. "Fomos colegas quando nos estávamos a formar, mas não temos nada que ver um com o outro. Por vezes, penso que as pessoas dão demasiada importância ao indivíduo e não aos métodos". A prova da força dos métodos de Peseiro ficará patente na quarta-feira.