Carvalho coloca CSKA na final

CSKA Moskva 3-0 Parma FC
(total: 3-0)

Uma exibição notável de Daniel Carvalho rendeu ao CSKA um lugar na final da Taça UEFA.

Inspirado por uma notável exibição de Daniel Carvalho, o PFC CSKA Moskva derrotou, por 3-0, o Parma FC, na segunda mão das meias-finais da Taça UEFA. Ao vencer o duelo com os italianos, a formação orientada por Valeriy Gazzaev tornou-se na primeira equipa russa a atingir uma final europeia desde 1972.

Cabeceamento de Berezoutski
O jogador brasileiro assinou dois golos e fez, ainda, a assistência para o terceiro, numa partida totalmente dominada pelo CSKA, disputada no Estádio Lokomotiv. O médio sul-americano inaugurou o marcador com uma finalização poderosa, aos dez minutos, e apontou o segundo à beira do intervalo, numa altura em que o Parma tentava regressar à discussão do desafio. Pouco antes dos 60 minutos, Vassili Berezoutski selou os números da vitória russa, respondendo, de cabeça, a um livre cobrado pelo brasileiro.

Início frenético
O encontro da primeira mão, realizado na passada semana no Estádio Ennio Tardini, terminou sem golos, após uma exibição pouco arrojada de ambas as equipas, que nunca fizeram questão de colocar muitas unidades no ataque. Mas uma repetição do que se passou em Itália nunca esteve em questão na partida de Moscovo, sobretudo depois de Luca Bucci, logo aos dois minutos, ter sido obrigado a sair da sua área para colocar cobro a um passe perigoso de Sergei Ignashevich para a desmarcação de Yuri Zhirkov.

Parma em acrobacias
Dois minutos volvidos, o Parma também viria a beneficiar de uma boa ocasião, quando Davide Furlan picou a bola para Ruopolo, que se encontrava bem colocado na zona da marca de grande penalidade. Porém, o remate acrobático do avançado passou por cima da barra. A oportunidade acabaria por revelar-se uma autentica raridade para os visitantes, que foram imediatamente envolvidos pela audácia atacante do CSKA.

Bucci em apuros
Bucci foi novamente chamado a intervir à passagem do oitavo minuto, mergulhando para suster um desvio subtil de Ivica Olic ao primeiro poste. No entanto, o veterano guarda-redes nada pôde fazer no minuto seguinte, quando Carvalho disparou para as redes, metendo a bola junto à barra, após um cruzamento soberbo de Zhirkov.

Brasileiros em destaque
O golo estimulou o brasileiro e a defesa do Parma não se entendia com a mobilidade e intensidade de jogo do seu compatriota Vágner Love. E, aos 19 minutos, os dois quase combinavam com sucesso: Vágner Love lançou um contra-ataque, entregou o esférico e correu imediatamente rumo à área, mas chegou tarde para converter a devolução soberba de Carvalho.

Parma recorre à falta
Na ânsia de manter sob pressão os avançados do CSKA em zonas mais altas do seu meio-campo, a defesa do Parma cometeu um vasto número de faltas ao longo da etapa inicial, mas a formação russa nunca conseguiu capitalizar e testar a atenção de Sébastien Frey, que substituiu Bucci na defesa das redes dos transalpinos aos 20 minutos.

Ruopolo desperdiça
E, aos 33 minutos, o conjunto da Serie A quase mostrou aos russos como se deve transformar um lance de bola parada, quando, na sequência de um canto apontado por Mark Bresciano, Francesco Ruopolo, livre de marcação à boca da baliza, cabeceou a bola de encontro ao solo, levando-a a sair por cima da barra. Bresciano voltou a abrir brechas na retaguarda do CSKA, já na recta final da primeira parte, desta feita na conversão de um livre que tabelou na perna de Sergei Ignashevich e saiu a rasar o alvo.

Gilardino entra em cena
Carmignani, técnico do Parma, lançou Alberto Gilardino quando apenas estavam decorridos quatro minutos na segunda parte, mas o ponta-de-lança raramente teve oportunidade para demonstrar o excelente momento de forma que lhe permitira, no passado fim-de-semana, marcar quatro golos ao Livorno Calcio, numa altura em que a sua equipa perdia por 2-0. Do outro lado, Vágner Love teve uma incursão pela defensiva do Parma, entregou a bola a Carvalho e este, de pé direito, não enjeitou nova oportunidade e desfeiteou Frey.

Bonera expulso
O craque brasileiro destacou-se novamente aos 59 minutos, agora no capítulo das assistências, apontando um livre com conta, peso e medida para a cabeça de Berezoutski, que escreveu, definitivamente, os números do triunfo russo. A desilusão italiana conheceu o derradeiro episódio já no período de compensação. O Parma acabou reduzido a dez unidades, depois de Daniel Bonera ter visto o segundo cartão amarelo. Assim, quem segue para a final é o CSKA, que defrontará o Sporting ou o AZ Alkmaar na final de Alvalade, no dia 18 de Maio.