Empate satisfaz treinadores

Após o empate a zero entre Parma e CSKA, ambos os técnicos revelaram-se optimistas para o jogo da segunda mão.

Um Parma FC desfalcado empatou sem golos com o PFC CSKA Moskva, em Itália, na primeira mão das meias-finais da Taça UEFA. É um resultado que parece agradar às duas equipas para o encontro da próxima quinta-feira.

Pietro Carmignani, treinador do Parma
Penso que fizemos o que tínhamos a fazer e jogámos com paixão e coração. O CSKA é uma equipa muito boa, mas ainda podemos aspirar à final. Temos jogadores jovens e bons. Hoje tive que alinhar com vários deles, devido aos nossos problemas na Serie A. No entanto, confirmaram, mais uma vez, que podem jogar a este nível. Agora, o CSKA tem de nos vencer em Moscovo e faremos tudo para ganhar, mas não será fácil. Vamos estar calmos e serenos, como sempre estivemos nesta campanha na Taça UEFA. Penso que o [Alberto] Gilardino não vai viajar para Moscovo, porque está cansado e precisa de ser poupado para os jogos do campeonato. Posso mudar de opinião, na próxima semana, mas o nosso objectivo principal é evitar a descida de divisão.

Valeriy Gazzaev, treinador do CSKA
Tenho a certeza de que vamos jogar com um espírito completamente diferente, em Moscovo, e conseguiremos fazer um jogo muito melhor. Vágner Love ainda não está em forma, por isso decidi lançá-lo só na segunda parte, mas estará apto para o jogo de Moscovo. Tínhamos vários jogadores em risco de suspensão, daí ter-lhes pedido que fossem cuidadosos e estou muito satisfeito porque nenhum dos nossos jogadores viu um cartão. Na minha carreira, não me lembro de muitos jogos com tão poucas oportunidades de golo como o de hoje, mas acontece - mesmo nas meias-finais da Taça UEFA. O resultado é bom para nós e estou certo de que, em Moscovo, haverá três ou quatro vezes mais espectadores do que os que estiveram hoje em Parma. Vamos fazer tudo para conseguirmos um lugar na final.

Giuseppe Cardone, capitão do Parma
De entre os resultados negativos, acredito que o 0-0 é o melhor. Em Moscovo, o CSKA terá que atacar e talvez deixe espaços para o contra-ataque. Acredito que ainda temos hipóteses de chegar à final. Eles têm uma boa equipa, com muitos jogadores de qualidade, mas criámos mais oportunidades neste jogo. Todos sabiam que estávamos sem alguns jogadores importantes e ninguém estava à espera de milagres, mas, depois do apito final, sabíamos que tínhamos dado tudo o que podíamos.