Tudo a postos em Gotemburgo

A poucas horas do início da final da Taça UEFA, cerca de 22.000 adeptos do Marselha e do Valência fazem a festa em Gotemburgo.

Por Simon Hart, em Gotemburgo

O ar gelado de Gotemburgo pode ter apanhado de surpresa os jogadores do Valencia CF e do Olympique de Marseille, habituados a temperaturas mais amenas, mas certamente ninguém terá ficado surpreendido com o nome que domina as conversas na véspera da final da Taça UEFA.

A preocupação Drogba
Falamos de Didier Drogba, autor de 11 golos nos 15 jogos europeus que o Marselha realizou esta época. O próprio técnico do Valência, Rafael Benitez, fez uma menção irónica ao avançado francês durante a conferência de imprensa desta terça-feira: "Neste momento, o que nos preocupa é assegurar que o Drogba não toque na bola".

"Maior oportunidade"
A forma de Drogba tem merecido a maior das atenções entre as hostes do Marselha, desde que o internacional da Costa do Marfim contraiu uma lesão na anca, a 9 de Maio, numa partida da Ligue 1, contra o AS Monaco FC. Drogba não tem jogado desde então, mas já treinou com os seus colegas no Estádio Ullevi, palco da final. O seu treinador, José Anigo, fez o ponto da situação: "Ele está bem e desempenhará o seu papel. Espero que a sua presença nos confira uma maior oportunidade para vencer esta equipa do Valência".

Chave para a vitória
Anigo garantiu aos jornalistas presentes que Drogba apenas jogaria caso "esteja a cem por cento". Apesar de o Marselha ter vencido o FC Internazionale na segunda mão dos quartos-de-final sem o influente avançado, não restam dúvidas que a sua importância é inquestionável face a uma defesa do Valência que apenas concedeu cinco golos em 12 jogos europeus.

Adversário "mais completo"
Anigo considera que a equipa espanhola é melhor e mais completa do que os adversários anteriores, Inter, Liverpool FC e Newcastle United FC. "Eles não são campeões de Espanha por acidente", referiu, "mas também têm fraquezas que nós podemos explorar".

Final diferente
O Técnico marselhês não especificou os pontos fracos a que se referia, embora tenha insinuado a improbabilidade de se repetir a tendência goleadora das últimas três finais da Taça UEFA que, entre si, produziram um total de 19 golos. "A prioridade do Marselha é de não conceder o primeiro golo do jogo", disse Anigo.

Assumir comando do jogo
Benitez ripostou: "Vamos concentrar-nos no nosso jogo. É o Marselha que tem a reputação de jogar em contra-ataque e se tivermos de assumir o comando dos acontecimentos, então será precisamente isso que faremos".

Valência em forma
O favoritismo aponta para o emblema espanhol, não só por se encontrar em melhor forma, como por ter maior experiência internacional. A sequência de 14 jogos sem perder do Valência em todas as frentes, terminou apenas na sexta-feira passada, quando Benitez apresentou um onze pouco habitual para defrontar o Villarreal CF, equipa eliminada pelo Valência nas meias-finais da Taça UEFA.

Esperança final
Por sua vez, o Marselha ocupa o sétimo lugar da Ligue 1, tendo perdido quatro dos últimos cinco jogos em França, incluindo a derrota no último fim-de-semana, por 2-1, em casa do Toulouse FC. Sabe-se, porém, que tudo pode acontecer numa final europeia, daí a observação de Benitez: "Espero somente que, na quarta-feira, o Valência seja igual a si mesmo, à equipa que tem jogado tão bem desde o início da época".

Dúvida sobre Aimar
A dúvida do treinador recai sobre a utilização ou não de Pablo Aimar. O talentoso internacional argentino ainda não recuperou totalmente a sua forma desde que se lesionou no joelho, embora "seja o tipo de jogador que pode fazer a diferença". Na sua ausência, o brasileiro Ricardo Oliveira será o escolhido para fazer parceria com Mista - melhor marcador do Valência na Taça UEFA com quatro golos. No flanco direito, Miguel Angulo deverá relegar para o banco de suplentes Francisco Rufete.

Emblemas com tradição na Europa
Cerca de 11 mil adeptos de cada clube são esperados na segunda maior cidade sueca, onde o Valência procurará compensar as derrotas sofridas nas finais da UEFA Champions League de 2000 e 2001, e assim erguer o seu primeiro título europeu desde a conquista da Taça das Taças, em 1980. Os Franceses - que vestirão de cinzento por serem considerados a equipa visitante - venceu a Liga dos Campeões em 1993, mas perdeu a final da Taça UEFA em 1999, frente ao Parma AC.

Carboni pode fazer história
O Marselha pode tornar-se o primeiro clube francês a conquistar a Taça UEFA, enquanto Amadeo Carboni, defesa esquerdo do Valência, em caso de vitória, será o jogador mais velho a erguer o troféu, com 39 anos e 45 dias de idade. Para que o experiente jogador italiano e os seus colegas de equipa saiam vencedores de Gotemburgo, terão primeiro de anular Drogba, algo que nenhum adversário do Marselha conseguiu fazer ao longo de toda a época.