Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

Eriksson salta para a ribalta com o Gotemburgo

Eriksson salta para a ribalta com o Gotemburgo
Eriksson salta para a ribalta com o Gotemburgo ©Getty Images

Os clubes suecos não souberam o que era a glória europeia até 1982, quando o IFK Göteborg surgiu na alta roda europeia. Então liderado por Sven-Göran Eriksson, o Gotemburgo chegou à final, desafiando o tradicional obstáculo que constitui o Inverno nórdico. É claro que a formação sueca também teve de lidar com adversários complicados como SK Sturm Graz, FC Dinamo Bucuresti, Valencia CF e 1. FC Kaiserslautern. Mesmo assim, poucos dariam algumas possibilidades de sucesso frente aos virtuais campeões alemães do Hamburger SV.

A missão do Hamburgo
Finalistas da Taça dos Clubes Campeões Europeus dois anos antes, a equipa de Ernst Happel queria emendar esse resultado, quando golearam o FK Radnicki Niš, na segunda mão da meia-final, por 5-1, para um resultado total de 6-3. Foi um grande feito, uma vez que a equipa jugoslava havia eliminado o Dundee United FC nos quartos-de-final. Os escoceses conheceram o mesmo caminho do FC Utrecht, FC Girondins de Bordeaux, Aberdeen FC e Neuchâtel Xamax FC, enquanto o Hamburgo, com o veterano Franz Beckenbauer ao leme, prosseguiu na prova.

Famoso triunfo
O Gotemburgo viria a vencer a primeira mão da final, no estádio Ullevi, por 1-0, graças a um golo tardio de Tord Holmgren. O estilo ousado do Hamburgo foi ainda mais visível na segunda mão, quando foi derrotado pelo contra-ataque dos suecos, que golearam por 3-0. Nessa temporada, o Gotemburgo, com Eriksson como timoneiro, venceu campeonato, Taça da Suécia e Taça UEFA.

Topo