O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Simonsen decisivo no Mönchengladbach

Simonsen decisivo no Mönchengladbach
Simonsen decisivo no Mönchengladbach ©UEFA.com

O novo sistema de cabeças-de-série implementado na Taça UEFA atingiu os objectivos pretendidos, pois na final estiveram duas das melhores equipas da Europa, o VfL Borussia Mönchengladbach e o FK Crvena Zvezda. Depois de os quartos-de-final terem sido dominados por equipas do norte do continente, alemães e jugoslavos eliminaram na última ronda o MSV Duisburg e o Hertha BSC Berlin, respectivamente, para decidirem entre si o troféu.

Estreia jugoslava
O Mönchengladbach era uma equipa habituada aos grandes momentos, pois estava na terceira final em apenas sete anos, tendo deixado pelo caminho o Sturm Graz, Benfica, Slask Wroclaw e Manchester City FC. Em absoluto contraste, o Estrela Vermelha foi a primeira formação da Jugoslávia a atingir a final de uma competição europeia, uma presença totalmente justificada. Na primeira ronda, os jugoslavos perderam por 5-2 com o Dynamo Berlin, mas deram a volta à eliminatória, ao triunfarem por 4-1 em Belgrado. Seguiu-se o Sporting Gijón, e dois duelos complicados com equipas inglesas. O Estrela Vermelha eliminou o Arsenal FC e o West Bromwich Albion FC pelo mesmo resultado, 2-1, no total dos dois jogos.

Simonsen decide
A primeira mão, em Belgrado, até começou bem para a equipa da casa, com Milos Sestic a abrir o activo. Mas a eliminatória deu uma volta de 180 graus quando Ivan Jurisic teve a infelicidade de fazer um autogolo. O Mönchengladbach entrou em vantagem na segunda mão, em Düsseldorf, mas não deixou de lutar pela vitória, alcançando o triunfo com um golo de Allan Simonsen.