Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

Juve festeja primeiro troféu europeu

Juve festeja primeiro troféu europeu
Juve festeja primeiro troféu europeu ©Getty Images

À terceira foi de vez para a Juventus, desta feita na edição de 1976/77. Depois de duas derrotas em finais na Taça das Cidades com Feiras, a formação italiana conseguiu bater o Athletic Club Bilbao na final da Taça UEFA. Acabou por ser a "vecchia signora" e não a formação basca a conquistar o seu primeiro troféu europeu.

QPR dá que falar
Na formação italiana, orientada por Giovanni Trapattoni, estavam talentos como Dino Zoff, Gaetano Scirea, Marco Tardelli e Roberto Bettega. Ainda assim, contra Manchester City FC, Manchester United FC e FC Shakhtar Donetsk, a Juve precisou de aproveitar ao máximo o factor-casa para seguir em frente, depois de derrotas fora de portas. De facto, a equipa que mais impressionou nesta edição da prova foi o Queen's Park Rangers FC. A formação londrina marcou 26 golos antes de ser eliminada pelo AEK Athens nas grandes penalidades, já nos quartos-de-final. A turma grega acabaria, depois, derrotada pela Juventus nas meias-finais.

Triunfo da Juventus
O Bilbau brilhou igualmente a grande altura na prova, ajudado em parte pela onda de sentimento nacionalista que varreu o País Basco. San Mamés era um terreno hostil aos visitantes, que o diga o AC Milan, derrotado por 4-1 na terceira eliminatória. Já o embate com o FC Barcelona nos quartos-de-final foi mais equilibrado, com o Bilbau a vencer por 4-3 no conjunto das duas mãos, graças a um bis de Javier Irureta, que valeu um empate no Camp Nou. Mas a sorte que sorriu aos bascos no triunfo sobre o RWD Molenbeek, graças aos golos marcados fora, abandonou-os quando mais necessitavam. A Juventus viajou até Espanha para o jogo da segunda mão com apenas um golo de vantagem na bagagem, obtido por Tardelli. Mas quando Bettega elevou a vantagem dos italianos, logo aos sete minutos da segunda mão, tudo pareceu ficar decidido. Golos de Irureta e Carlos Ruiz trouxeram algumas esperanças ao Athletic, mas a taça acabou mesmo por rumar a Itália.

Topo