O "site" oficial do futebol europeu

Islândia gela Inglaterra

Publicado: Segunda-feira, 27 de Junho de 2016, 21.56CET
Inglaterra 1-2 Islândia
Com todos os golos marcados nos primeiros 18 minutos de jogo, a Islândia esteve a perder mas deu a volta e afastou a Inglaterra.
por Wayne Harrison no Stade de Nice
Islândia gela Inglaterra
Kolbeinn Sigþórsson é felicitado pelos colegas depois de colocar a Islândia a vencer por 2-1 ©AFP/Getty Images

Estatísticas dos jogos

InglaterraIslândia

Golos marcados1
 
2
Posse de bola(%)63
 
37
Total de tentativas18
 
8
Remates à baliza5
 
5
Remates para fora10
 
3
Remates defendidos3
 
0
nos postes0
 
0
Cantos7
 
2
Foras-de-jogo2
 
1
Cartões amarelos1
 
2
Cartões Vermelhos0
 
0
Faltas cometidas6
 
15
Faltas sofridas14
 
6

Classificação

Publicado: Segunda-feira, 27 de Junho de 2016, 21.56CET

Islândia gela Inglaterra

Inglaterra 1-2 Islândia
Com todos os golos marcados nos primeiros 18 minutos de jogo, a Islândia esteve a perder mas deu a volta e afastou a Inglaterra.

  • Islândia defronta a anfitriã França nos quartos-de-final, no domingo, após reviravolta no marcador
  • Wayne Rooney adianta Inglaterra, de grande penalidade, aos quatro minutos
  • Rooney iguala David Beckham (115) como jogador de campo mais internacional de Inglaterra
  • Ragnar Sigurdsson empata no lance seguinte; Kolbeinn Sigthórsson marca o tento decisivo pouco depois
  • Inglaterra sofre primeira derrota em 90 ou 120 minutos em 26 jogos para o EURO
  • Derrota dita fim da era Roy Hodgson na selecção de Inglaterra


A Islândia apurou-se para os quartos-de-final do UEFA EURO 2016 ao derrotar, em Nice, a Inglaterra, por 2-1, depois de ter entrado praticamente no jogo em desvantagem. Assim, prossegue a epopeia dos islandeses, que encontrarão, domingo, nos quartos-de-final, a anfitriã França, em partida marcada para o Stade de France.

O jogo teve uns primeiros cinco minutos absolutamente notáveis. Logo aos dois, Daniel Sturridge rematou ao lado, ao completar diagonal em combinação com Dele Alli.

Na jogada imediatamente seguinte, Raheem Sterling surgiu solto no lado esquerdo da área e o guarda-redes Hannes Halldórsson saiu demasiadamente tarde ao seu encontro, acabando por derrubá-lo. Wayne Rooney cobrou a respectiva grande penalidade com precisão, tornando-se no primeiro jogador inglês a marcar em três fases finais diferentes do EURO.

Ainda festejavam os ingleses quando, no lance seguinte, aos cinco minutos, os islandeses beneficiaram de um lançamento de linha lateral perto da área inglesa e o capitão Aron Gunnnarsson lançou a bola bem para o centro, onde Kári Arnason tocou de cabeça para o interior da pequena área. Lá surgiu o central Ragnar Sigurðsson pleno de oportunidade a emendar para o fundo das redes.

Aos 18 minutos a Islândia operava inesperadamente a reviravolta no marcador, num lance onde se limitou a aproveitar a permissividade dos centrais Chris Smalling e Gary Cahill e do médio mais recuado, Eric Dier. Gylfi Sigurðsson recebeu a bola em zona frontal, tocou curto para Jón Daði Böðvarsson e este de imediato para Kolbeinn Sigþórsson, que rematou à entrada da área, colocado, fazendo a bola passar sob Joe Hart, que não ficou isento de culpas.

A Inglaterra acusou bastante o segundo golo islandês e, no quarto-de-hora que se seguiu, não conseguiu aproximar-se com perigo da área contrária, pelo que somente aos 27 minutos os ingleses voltaram a entrar na área, com um cruzamento de Sturridge para um cabeceamento de Kane para defesa de Halldórsson para canto.

Rooney teve espaço para um remate de fora da área por cima da trave e Gylfi Sigurðsson disparou para uma defesa fácil de Hart. Chegava, pouco depois, o intervalo, altura em que Roy Hodgson abdicou do seu médio-defensivo, Dier, para apontar numa toada ainda mais ofensiva, colocando Jack Wilshere.

No entanto, o maior perigo continuava a verificar-se sempre que a Islândia chegava à área inglesa e, na sequência de um canto, o autor do golo do empate, Ragnar Sigurðsson, quase bisou com um pontapé de bicicleta, valendo à Inglaterra o seu remate ter saído à figura de Hart.

Chegara a altura da entrada de Jamie Vardy para o lugar de Sterling para o derradeiro assalto à área islandesa, mas era a Islândia que voltava a chegar com mais perigo à área, com o lateral-direito Birkir Már Sævarsson a aproveitar o espaço dado por Danny Rose para rematar por ligeiramente por cima.

O último lance de perigo também pertenceu aos islandeses, com Gunnarsson, em lance individual, a fintar Wilshere e a rematar para bela defesa de Hart. Entretanto, chegava o apito final, que deu início a uma monumental festa islandesa em Nice.

Melhor em campo: Ragnar Sigurdsson (Islândia)

Última actualização: 15-07-16 19.22CET

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=2016/matches/round=2000744/match=2018003/postmatch/report/index.html#islandia+gela+inglaterra