O "site" oficial do futebol europeu

Brady apura Irlanda para os oitavos-de-final

Publicado: Quarta-feira, 22 de Junho de 2016, 22.11CET
Itália 0-1 República da Irlanda 
Golo de Robbie Brady, aos 85 minutos, foi suficiente para dar à Irlanda o triunfo que necessitava para se apurar, em noite de grande emoção em Lille.

rate galleryrate photo
1/0
counter
  • loading...

Estatísticas dos jogos

ItáliaRepública da Irlanda

Golos marcados0
1
Posse de bola(%)54
 
46
Total de tentativas5
 
12
Remates à baliza1
 
4
Remates para fora4
 
6
Remates defendidos0
2
nos postes1
 
0
Cantos4
 
4
Foras-de-jogo1
 
0
Cartões amarelos4
 
2
Cartões Vermelhos0
 
0
Faltas cometidas21
 
19
Faltas sofridas19
 
19

Classificação

Legenda:

J: Jogados   
Pts: Pontos   
Última actualização: 17/11/2017 10:12 CET
SSI Err
Publicado: Quarta-feira, 22 de Junho de 2016, 22.11CET

Brady apura Irlanda para os oitavos-de-final

Itália 0-1 República da Irlanda 
Golo de Robbie Brady, aos 85 minutos, foi suficiente para dar à Irlanda o triunfo que necessitava para se apurar, em noite de grande emoção em Lille.

  • Cabeceamento certeiro de Robbie Brady aos 85 minutos apura Irlanda para os oitavos-de-final
  • Comandados de Martin O'Neill defrontam agora a anfitriã França
  • A já apurada Itália defronta a Espanha segunda-feira no Stade de France
  • Golo de Brady conclui dia de fantásticos jogos que fecharam a fase de grupos

Um golo de Robbie Brady aos 85 minutos apurou a República da Irlanda para os oitavos-de-final do UEFA EURO 2016 (onde defrontará a anfitriã França), impondo-se, assim, em Lille, à Itália, conjunto que, mesmo com a derrota, conquistou o Grupo E, embora em igualdade pontual com a Bélgica.

Já com o apuramento garantido e um jogo com a Espanha em perspectiva, o seleccionador de Itália, Antonio Conte, promoveu oito alterações relativamente à equipa que batera a Suécia na jornada anterior. A primeira das quais logo na baliza, onde o capitão Gianluigi Buffon deu o lugar a Salvatore Sirigù, com a braçadeira a transitar para o braço de Leonardo Bonucci.

Já a Irlanda, uma vez só poder ganhar para ainda sonhar com o apuramento, apresentou-se na máxima força e submeteu a Itália a forte pressão, através de um jogo bastante directo.

A primeira ocasião de golo surgiu ainda antes dos 10 minutos, com Jeff Hendrick, um especialista em remates de meia-distância, a ganhar espaço para puxar a bola para o pé esquerdo e a rematar muito próximo do ângulo superior da baliza de Sirigu.

O futebol directo da Irlanda no ataque, a tenacidade dos seus centrocampistas e a falta de rotinas provocada pelas ausências de tantos habituais titulares italianos continuaram a desassossegar o último reduto italiano.

Aos 21 minutos, Daryl Murphy, sempre bastante dinâmico na frente de ataque, surgiu solto na sequência de um canto e cabeceou para uma enorme defesa de Sirigu a sacudir a bola sobre a trave.

A pressão da Irlanda foi tão forte que a Itália apenas por uma vez chegou com relativo perigo à área irlandesa, com Ciro Immobile, titular no lugar de Graziano Pellè, a rematar na passada, mas ao lado, na sequência de uma bola perdida.

A segunda parte trouxe uma Itália mais rápida e foi assim que causou perigo, aos 52 minutos, com Simone Zaza (no lugar de Éder) a rematar, a cruzamento de De Sciglio, para bela defesa de Darren Randolph. Mas a Irlanda respondeu de pronto e o inconformado Murphy teve, instantes depois, um forte remate defendido a custo por Sirigu. Na sequência do lance, a recarga embate em Angelo Ogbonna e a bola perdeu-se pela linha final.

As entradas de Aiden McGeady e Wes Hoolahan tiveram o condão de intensificar a pressão sobre os italianos. McGeady teve, dois minutos depois de ter entrado, um forte remate por cima trave, com a resposta a vir de Lorenzo Insigne, que entretanto rendera Immobile, que acertou na trave.

O jogo entrara na recta final e foi nesta altura que surgiu o golo. Hoolahan, que falhara isolado perante Sirigu aos 84 minutos, arrancou, no minuto seguinte, um cruzamento milimétrico do lado direito para a cabeça de um dos mais baixos jogadores em campo, Robbie Brady, que se antecipou a Sirigu nas alturas e cabeceou com sucesso, dando início aos festejos verdes.

Melhor em Campo: Robbie Brady (Irlanda)

Última actualização: 14-07-16 19.10CET

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=2016/matches/round=2000448/match=2017958/postmatch/report/index.html#irlanda+vence+apura