O "site" oficial do futebol europeu

Suécia despede-se com vitória

Publicado: Terça-feira, 19 de Junho de 2012, 22.47CET
Suécia 2-0 França
Golos de Zlatan Ibrahimović e Sebastian Larsson acabaram com a longa invencibilidade da França, que agora vai ter pela frente a Espanha.
por Paul Saffer
de Estádio Olímpico
Suécia despede-se com vitória
Zlatan Ibrahimović (ao centro) festeja com Jonas Olsson (à esquerda) e Martin Olsson ©Getty Images

Estatísticas dos jogos

SuéciaFrança

Golos marcados2
 
0
Posse de bola(%)43
 
57
Total de tentativas12
 
24
Remates à baliza7
 
10
Remates para fora5
 
14
Remates interceptados1
 
5
Remates nos postes2
 
0
Cantos2
 
8
Foras-de-jogo6
 
1
Cartões amarelos2
 
1
Cartões Vermelhos0
 
0
Faltas cometidas17
 
14
Faltas sofridas14
 
16

Classificação

Legenda:

J: Jogados   
Pts: Pontos   
Última actualização: 21/11/2017 14:47 CET
Publicado: Terça-feira, 19 de Junho de 2012, 22.47CET

Suécia despede-se com vitória

Suécia 2-0 França
Golos de Zlatan Ibrahimović e Sebastian Larsson acabaram com a longa invencibilidade da França, que agora vai ter pela frente a Espanha.

Um momento de brilhantismo de Zlatan Ibrahimović foi a chave para permitir à Suécia despedir-se do UEFA EURO 2012 com uma vitória, remetendo a França para um confronto com a Espanha nos quartos-de-final, como segunda classificada do Grupo D.

Na liderança antes deste jogo, mas ainda não apurada, a França sabia que mesmo uma derrota por um golo de diferença dava o apuramento. A margem final foi o dobro, com um golo acrobático de Ibrahimović e um tento tardio de Sebastian Larsso a colocarem um ponto final na série invicta de 23 jogos dos "bleus", e garantindo que, à terceira tentativa em Kiev, a Suécia não voltaria a transformar uma vantagem em derrota. Por isso, a vitória por 1-0 da Inglaterra sobre a Ucrânia significa que a formação britânica ultrapassou a França, que defronta a campeã no sábado, em Donetsk, onde está sediada para esta fase final e disputou os dois jogos anteriores.

A Suécia já não podia sair do quarto lugar, mas com a maioria do público presente no estádio a apoiá-la, começou a todo o gás, com Ola Toivonen – no lugar de Johan Elmander no ataque – a cabecear ligeiramente ao lado. Depois, no seguimento de uma boa jogada de Kim Källström, Larsson atirou para defesa de Hugo Lloris. Na outra baliza, Andreas Isaksson fez ainda melhor para negar um remate de Franck Ribéry à queima-roupa.

Lloris era um homem aliviado pouco tempo depois, quando Toivonen passou por Philippe Mexès, correu para a área e contornou o guarda-redes, mas já de ângulo apertado, atirou à base do poste. Depois, Karim Benzema rematou por cima, mas esse ritmo inicial frenético não se manteve na sufocante noite quente, e gradualmente o bom período esgotou-se. No entanto, na sua estreia num grande torneio, Emir Bajrami, a alinhar no flanco esquerdo, mantinha a França atenta, aproveitando a oportunidade na ausência forçada de Rasmus Elm.

Houve alguma emoção na parte final da primeira parte, quando Benzema liderou um ataque com Ribéry, cujo remate foi desviado ao lado. Talvez a quebra do ritmo tenha sido o motivo pelo qual Christian Wilhelmsson entrou para o lugar de Bajrami, ao intervalo, imediatamente ameaçando a defesa francesa.

Benzema teve a primeira oportunidade clara do segundo período, rematando em arco ao lado, mas Lloris precisou de realizar uma excelente defesa a remate de Larsson, aos 53 minutos. No entanto, quase um minuto depois, o guarda-redes francês não teve hipóteses, com Larsson a cruzar e Ibrahimović, todo no ar, a rematar à meia-volta para o fundo das redes.

Pouco tempo depois, o capitão sueco assistiu Wilhelmsson, influente em tão pouco tempo, mas Lloris aguentou firme e depois desviou por cima o remate de Olof Mellberg. Florent Malouda substituiu Hatem Ben Arfa e a França respondeu, com Yann M'Vila, no lugar do lesionado Yohan Cabaye, a rematar forte para boa defesa de Isaksson.

Um cruzamento de Nasri quase encontrou Mexès, mas Mellberg, de carrinho, cortou na altura certa. Jérémy Ménez entrou e apenas um remate fraco permitiu a Isaksson desviar para canto. Na sequência desse lance, outro suplente, Olivier Giroud, isolado, cabeceou ao lado. No entanto, a Suécia e os seus alegres adeptos tiveram a última palavra, com o suplente Samuel Holmén a acertar na barra e Larssson, na recarga, a fuzilar a baliza gaulesa. Ainda assim, o apuramento da França nunca esteve em causa, mas Mexès vai falhar o encontro com a Espanha, após ver o seu segundo cartão amarelo nesta fase final.

Última actualização: 21-06-12 20.43CET

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=2012/matches/round=15172/match=2003341/postmatch/report/index.html#suecia+vence+franca+apurada