Final - 04-07-2004 - 20:45CET (19:45 Hora local) - Estádio do Sport Lisboa e Benfica - Lisboa
0-1
 

Portugal - Grécia 0-1 - 04-07-2004 - Página do jogo - UEFA EURO 2004

O "site" oficial do futebol europeu

Grécia conquista a Europa

Publicado: Segunda-feira, 5 de Julho de 2004, 0.54CET
Portugal 0-1 Grécia
Um golo de Angelos Charisteas foi suficiente para dar o título europeu à Grécia, o primeiro no seu historial, diante do país anfitrião.
por Jorge Vicente
de Estádio da Luz
Grécia conquista a Europa
A Grécia conquistou, pela primeira vez, o troféu Henri Delaunay ©Getty Images

Estatísticas dos jogos

PortugalGrécia

Golos marcados0
1
Remates à baliza5
 
1
Remates para fora11
 
3
Cantos10
 
1
Faltas cometidas19
 
21
Cartões amarelos2
 
4
Cartões vermelhos0
 
0

Classificação

Publicado: Segunda-feira, 5 de Julho de 2004, 0.54CET

Grécia conquista a Europa

Portugal 0-1 Grécia
Um golo de Angelos Charisteas foi suficiente para dar o título europeu à Grécia, o primeiro no seu historial, diante do país anfitrião.

Vinte e dois dias depois do primeiro encontro entre as duas equipas, a história repetiu-se, pois a Grécia bateu o favorito Portugal e sagrou-se pela primeira vez campeã da Europa.

Sem Giorgios Karagounis devido castigo, Otto Rehaggel lançou Giannakopoulos como suporte aos dois avançados, Angelos Charisteas e Zisis Vryzas. Na selecção portuguesa, Scolari repetiu o “onze” que derrotou a Holanda. Os primeiros minutos serviram para reforçar o favoritismo dos anfitriões, com Portugal a tomar conta do encontro desde o apito inicial.

A formação grega concentrou-se junto da sua área, à espera de algum sinal português de fragilidade defensiva para desferir o seu ataque, mortal para equipas favoritas à conquista do Europeu, como foi o caso da França e República Checa. Miguel, aos 11 minutos, teve a primeira oportunidade para marcar, mas Antonios Nikopolidis defendeu para canto, com a equipa helénica a responder aos 15 minutos, quando Charisteas viu Ricardo tapar todos os caminhos para o seu remate. Pauleta, no minuto seguinte, rematou à entrada da área com o guardião grego a defender com alguma dificuldade.

Dada a atitude bem diferente das duas equipas, a bola esteve sobretudo, no meio-campo, numa árdua luta para sua posse. Este facto fez com que as situações de golo escasseassem nos minutos seguintes, com Maniche a ser a excepção, num bom remate de pé direito, aos 22 minutos. Com Pauleta “preso” entre os dois centrais, Figo e Cristiano Ronaldo a não conseguirem ganhar vantagem nas alas, a equipa grega neutralizou o sistema ofensivo português, que viveu de lançamentos longos e sem perigo para a baliza de Nikopolidis.

A defesa portuguesa respondeu com a mesma eficácia, não permitindo que Ricardo tivesse de fazer qualquer defesa, dado que o único remate helénico à sua baliza nos primeiros 45 minutos saiu ao lado. Portugal terminou a primeira parte com 56 por cento de posse de bola e quatro remates, num primeiro tempo em que o ritmo foi pouco elevado, como prova a existência de 24 faltas assinaladas.

A equipa portuguesa voltou do balneário com Paulo Ferreira em campo, que substituíra Miguel, por lesão, aos 43 minutos, num regresso do defesa-direito ao EURO 2004, perante o mesmo adversário, com o conjunto lusitano a voltar a empurrar a Grécia para junto da sua área, graças a acções individuais de Cristiano Ronaldo e Deco. Aos 57 minutos, Charisteas saltou mais alto do que Costinha, após a transformação de um pontapé de canto de Angelos Basinas na direita do ataque helénico, para, de cabeça, adiantar a Grécia no marcador, no primeiro remate à baliza portuguesa.

Aos 60, Costinha deu o seu lugar a Rui Costa, no início da reacção portuguesa, já que, no minuto seguinte, o médio ofensivo do AC Milan, criou perigo na direita, sem que Pauleta correspondesse ao seu cruzamento. Com quatro cantos em dois minutos, Portugal esteve perto de marcar, mas faltou sempre a referência na área para aparecer aos vários cruzamentos, onde o “gigante” Traianos Dellas foi sempre mais forte. Scolari lançou Nuno Gomes para o lugar de Pauleta, aos 73 minutos, para o último quarto de hora do encontro.

Com a colocação do jovem do Manchester United FC ao lado de Nuno Gomes da frente de ataque, Cristiano Ronaldo, aos 72 minutos, dispôs de uma bela oportunidade para marcar, com o seu remate a sair por cima da barra. Rui Costa, por duas vezes, também tentou o remate à entrada da área, sempre sem a melhor direcção. Ricardo Carvalho, aos 81 minutos, voltou a estar perto de marcar, mas o remate voltou a encontrar o corpo de Nikopolidis. A selecção portuguesa tentou a igualdade até ao final, mas os gregos conseguiram tapar da melhor forma os caminhos para a sua baliza, tendo conseguido guardar a preciosa vantagem.

Última actualização: 28-09-14 3.12CET

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=2004/matches/round=1623/match=1059194/postmatch/report/index.html#grecia+conquista+euro