O "site" oficial do futebol europeu

Portugal faz história e está na final

Publicado: Quinta-feira, 1 de Julho de 2004, 0.52CET
Portugal 2-1 Holanda
Cristiano Ronaldo e Maniche marcaram os golos que colocaram a selecção portuguesa na primeira final de uma grande competição internacional.
por Jorge Vicente
de Estádio José Alvalade

Estatísticas dos jogos

PortugalHolanda

Golos marcados2
 
1
Remates à baliza7
 
1
Remates para fora2
 
5
Cantos9
 
2
Faltas cometidas22
 
21
Cartões amarelos3
 
2
Cartões vermelhos0
 
0

Classificação

Publicado: Quinta-feira, 1 de Julho de 2004, 0.52CET

Portugal faz história e está na final

Portugal 2-1 Holanda
Cristiano Ronaldo e Maniche marcaram os golos que colocaram a selecção portuguesa na primeira final de uma grande competição internacional.

Depois de duas eliminações aos pés da França em meias-finais do Campeonato da Europa, a selecção portuguesa garantiu a presença no Estádio da Luz, após um jogo muito emotivo, mas nem sempre bem jogado. Portugal torna-se assim no primeiro país anfitrião a chegar à final, depois de a França o ter conseguido em 1984 (batendo os portugueses na meia-final).

O regresso de Pauleta, após ter cumprido um jogo de castigo, foi a única alteração que Scolari introduziu no “onze” titular que vencera a Inglaterra no desempate por pontapés na marca de grande penalidade. Do lado holandês, a lesão do capitão Frank de Boer trouxe a titularidade a Wilfred Bouma no centro da defesa e, no lado direito do ataque, Dick Advocaat substituiu Overmars por Van Der Meyde.

Como Luiz Felipe Scolari prometera, a equipa portuguesa procurou fazer as coisas com mais calma e o ataque planeado lusitano baseou-se nos lançamentos longos para Pauleta, na tentativa de surpreender a Holanda, com a “segunda vaga”, o trio de atacantes atrás do número nove. Esta “arma táctica”  foi também utilizada pela Holanda, fazendo com que o espectáculo não correspondesse às expectativas nos primeiros minutos.

Mesmo assim, Portugal tomou conta do jogo, pertencendo-lhe a primeira grande oportunidade de golo, aos nove minutos, com Pauleta a chegar atrasado a um cruzamento da direita de Figo. Aos 23 minutos, os mesmos protagonistas voltaram a efectuar uma jogada semelhante, novamente com Pauleta a não conseguir desviar para golo o cruzamento de Figo.

Consumando o domínio no encontro, Ronaldo inaugurou o marcador, Aos 25 minutos, através de um cabeceamento imparável após canto marcado por Deco.  A equipa holandesa reagiu dois minutos depois, com Overmars, no primeiro remate da equipa laranja à baliza de Ricardo, a atirar, já dentro da área, por cima da barra da baliza portuguesa.

Pauleta, aos 34 minutos, esteve muito perto de aumentar a vantagem, porém, Van Der Sar brilhou ao deter o seu remate de pé direito já na grande área, após um excelente cruzamento de Maniche pela direita. Os portugueses mudaram de estratégia, colocando a bola na relva e utilizando as faixas para fazer chegar a bola a Pauleta. Seis minutos depois, Figo, numa diagonal a partir do flanco direito, rematou de pé esquerdo, ao poste da baliza holandesa.

Regressando do balneário em desvantagem, o treinador holandês lançou Roy Makaay para a segunda parte, por troca com Overmars. Scolari respondeu com mais um início em que Pauleta foi solicitado através dos lançamentos longos, dado o recuo no terreno para lançar contra-ataques conduzidos por Figo, que fez a sua melhor exibição no Campeonato da Europa.

Pauleta, aos 53 minutos, voltou a não conseguir desfeitear o guarda-redes holandês e trazer maior tranquilidade aos corações portugueses, que chegou três minutos depois, com um excelente golo de fora da área, novamente após canto marcado por Deco. O "mágico" brasileiro deu curto para Maniche que ainda bem longe da área disparou uma "bomba" ao canto superior esquerdo da baliza holandesa.

Com dois golos de vantagem, Portugal poderia encarar a meia hora final com maior optimismo, mas Jorge Andrade, aos 62 minutos, traiu Ricardo num desvio infeliz que voltou a colocar a equipa holandesa no jogo. O empate poderia ter chegado apenas dois minutos depois, com Van Nistelrooij a chegar atrasado a um livre marcado na esquerda do ataque.

Para parar a reacção holandesa após esta ter reduzido a desvantagem, Scolari lançou Petit para a luta do meio-campo, por troca com Ronaldo, depois de o médio ofensivo Van der Vaart ter substituído o defesa central Bouma. Aos 74 minutos, foi Pauleta a dar lugar a Nuno Gomes. Ao deixar a defesa em igualdade numérica com Nuno Gomes e Figo, a equipa holandesa deu grandes espaços para o contra ataque português, com Maniche, aos 78 minutos, a dispor de uma grande oportunidade para decidir o vencedor final.

Com a Holanda a dar tudo por tudo, Scolari viu-se obrigado a fazer entrar Fernando Couto para segurar as bolas longas para a área. Até final, a equipa de Advocaat não conseguiu criar oportunidades de perigo e foi Deco quem desperdiçou uma soberana ocasião. Já em período de descontos, completamente isolado frente a Van der Sar, o luso-brasileiro permitiu a defesa ao guarda-redes holandês.

Última actualização: 22-05-12 23.00CET

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=2004/matches/round=1583/match=1059192/postmatch/report/index.html#portugal+historia