Quartos-de-final - 27-06-2004 - 20:45CET (19:45 Hora local) - Estádio do Dragão - Porto
3-0
 

República Checa - Dinamarca 3-0 - 27-06-2004 - Página do jogo - UEFA EURO 2004

 
O "site" oficial do futebol europeu

Jogo quente no Dragão

Publicado: Domingo, 27 de Junho de 2004, 19.30CET
Dinamarqueses e checos decidem hoje quem é o adversário da Grécia nas meias-finais do EURO 2004™.
por David Farrelly
de Lisboa

Estatísticas da prova

República ChecaDinamarca

Golos marcados10
 
4
Total de tentativas87
 
54
Remates à baliza35
 
21
Remates para fora40
 
20
Remates interceptados0
 
0
Remates nos postes4
 
1
Cantos36
 
26
Foras-de-jogo14
 
8
Cartões amarelos8
 
7
Cartões Vermelhos0
 
0
Faltas cometidas96
 
75
Faltas sofridas91
 
75
Publicado: Domingo, 27 de Junho de 2004, 19.30CET

Jogo quente no Dragão

Dinamarqueses e checos decidem hoje quem é o adversário da Grécia nas meias-finais do EURO 2004™.

A Dinamarca apenas irá decidir em cima da hora do jogo se o avançado Ebbe Sand está em condições de jogar, isto numa altura em que a equipa de Morten Olsen se prepara para defrontar a República Checa nos quartos-de-final do UEFA EURO 2004™, sendo que quem vencer irá defrontar a Grécia nas meias-finais.

Trio em dúvida
Sand debate-se com uma distensão num músculo de uma coxa, mas Olsen acredita que as lesões que apoquentam Dennis Rommedahl e Martin Jørgensen vão ser ultrapassadas a tempo do encontro. "Ainda temos dúvidas em relação a três jogadores", revelou o técnico da Dinamarca. "Existem ainda interrogações sobre Rommedahl e Jørgensen e uma ainda maior em relação a Sand. Os três têm problemas musculares e frente a uma equipa como a República Checa, Ebbe tem de estar a 100 por cento".

Mexidas na equipa
Se Sand não recuperar, Jon Dahl Tomasson deverá ocupar o lugar mais avançado na equipa, com Claus Jensen a assumir o papel de médio ofensivo. Os dinamarqueses estão já conformados com a ideia de não poderem utilizar o defesa esquerdo Niclas Jensen, devido a uma lesão num tornozelo. Contudo, a última exibição de Kasper Bøgelund, que substituiu o jogador do BV Borussia Dortmund no empate a duas bolas frente à Suécia, garante uma boa opção para o treinador dinamarquês. Por outro lado, Kenneth Perez e Peter Løvenkrands estão preparados para jogar, caso Rommedahl e Jørgensen não recuperem a tempo.

Um duro teste
A princesa Alexandra da Dinamarca chegou este sábado a Portugal para apoiar os vencedores da prova em 1992. Os dinamarqueses também jogaram as meias-finais em 1984, embora esta seja a primeira vez que a equipa chega aos quartos-de-final desde que a competição aumentou para 16 equipas, em 1996. À Dinamarca, a única selecção que participou em seis fases finais do Campeonato da Europa, não falta experiência, embora René Henriksen acredite que os checos vão constituir o mais duro teste à equipa até ao momento.

Checos confiantes
"Em comparação com os nossos jogos da fase de grupos, este vai ser o nosso mais difícil adversário", disse o capitão da Dinamarca. "Os checos venceram todos os seus jogos do grupo e frente à Alemanha até ganharam com, praticamente, todos os seus suplentes. Este facto aumentou, sem dúvida alguma, a autoconfiança da selecção checa, como se já não bastasse o facto de se tratar de uma excelente equipa".

Os números checos
A República Checa espera aumentar para nove o número de vitórias consecutivas na competição, desde a fase de qualificação. Nessa sequência, os checos marcaram dois ou mais golos em cada encontro e recuperaram de desvantagens no marcador em cinco ocasiões. Sem problemas com lesões, o treinador Karel Brückner deverá colocar de novo em campo as suas principais estrelas, após tê-las poupado no último jogo da fase de grupos, frente à Alemanha, uma vez que a equipa já tinha garantido o primeiro lugar.

Contra a complacência
Brückner, que venceu os dois encontros que disputou frente aos dinamarqueses enquanto treinador da selecção de Sub-21 checa, não se coibiu de elogiar a força da Dinamarca, de forma a evitar a possível complacência por parte da sua equipa. "Os jogadores estão satisfeitos por defrontarem a Dinamarca, mas não tenho a certeza que isso são boas notícias", disse. "Eles jogam um futebol interessante, objectivo e com rápidos contra-ataques. Vamos começar, novamente, do zero e as equipas podem jogar em estilos muito diferentes nestas partidas a eliminar. Não somos, de todo, favoritos".

Confrontos passados
As duas formações defrontaram-se nesta competição há quatro anos, onde dois golos de Vladimír Šmicer ajudaram os checos a vencer por 2-0, embora o encontro não tenha tido influência no apuramento para os quartos-de-final, uma vez que ambas as selecções já se encontravam eliminadas. No entanto, a Dinamarca pode orgulhar-se de ter vencido o último confronto oficial entre ambos, um triunfo por 2-1 em Copenhaga, a contar para a fase de qualificação para o Campeonato do Mundo de 2002. Esse resultado ajudou a Dinamarca a vencer o grupo, enquanto os checos não conseguiram o apuramento para o torneio por terem perdido por 2-0 com a Bélgica no conjunto dos dois jogos do "play-off".

República Checa (equipa provável): Cech; Jiránek, Bolf, Ujfalusi e Jankulovski; Poborský, Rosický, Galásek e Nedved; Koller, Baroš.

Dinamarca (equipa provável): Sørensen; Helveg, Laursen, Henriksen e Bøgelund; Gravesen, D Jensen e Tomasson; Grønkjær, Sand e Jørgensen.

Árbitro: Valentin Ivanov (RUS).

Última actualização: 27-06-04 19.43CET

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=2004/matches/round=1582/match=1059191/prematch/preview/index.html#jogo+quente+dragao