Fase final - Fase de grupos (Grupo B ) - 17-06-2004 - 18:00CET (17:00 Hora local) - Cidade de Coimbra - Coimbra
3-0
 

Inglaterra - Suíça 3-0 - 17-06-2004 - Página do jogo - UEFA EURO 2004

 
O "site" oficial do futebol europeu

Derrota proibida

Publicado: Quarta-feira, 16 de Junho de 2004, 16.45CET
Depois da derrota com a França, a Inglaterra parte como favorita para o jogo com a Suíça, selecção que "não tem nada a perder".
por Adam Szreter
de Lisboa

Estatísticas da prova

InglaterraSuíça

Golos marcados10
 
1
Total de tentativas55
 
27
Remates à baliza32
 
8
Remates para fora13
 
16
Remates interceptados0
 
0
Remates nos postes1
 
0
Cantos17
 
10
Foras-de-jogo8
 
7
Cartões amarelos7
 
10
Cartões Vermelhos0
2
Faltas cometidas77
 
61
Faltas sofridas66
 
46
Publicado: Quarta-feira, 16 de Junho de 2004, 16.45CET

Derrota proibida

Depois da derrota com a França, a Inglaterra parte como favorita para o jogo com a Suíça, selecção que "não tem nada a perder".

Depois da vitória da França, actual campeã da Europa, frente à Inglaterra, naquele que foi o jogo mais importante do Grupo B, tudo indica que três equipas se irão envolver numa acesa disputa pela conquista do segundo lugar. O jogo entre ingleses e suíços poderá fornecer dados concretos sobre essa luta.

Conteúdos relacionados

Maior problema
A Inglaterra parte para o jogo como favorita, mas o excesso de confiança que muitas vezes afecta a selecção inglesa quando não defronta equipas fortes será, indiscutivelmente, a maior preocupação dos seus adeptos. A Suíça poderá não ser uma selecção vistosa, mas o conjunto helvético demonstrou no seu primeiro jogo, frente à Croácia, que consegue compensar a falta de técnica com um grande espírito de luta, sobretudo quando teve de jogar com 10 jogadores, devido à expulsão de Johann Vogel.

Celestini com missão defensiva
A ausência de Vogel é, indiscutivelmente, uma grande contrariedade para a equipa orientada por Köbi Kuhn. O jogador do Olympique de Marseille, Fabio Celestini, que entrou no jogo com a Croácia depois da expulsão de Vogel, vai muito provavelmente desempenhar uma função defensiva no meio-campo. Mas a maior preocupação para os suíços é mesmo a inoperância que o experiente avançado Stéphane Chapuisat tem demonstrado para concretizar golos.

O jejum de golos de Chapuisat
Chapuisat, que está a caminho de completar 103 internacionalizações, não marca desde o primeiro jogo da Suíça na fase de qualificação para o Campeonato da Europa, frente à Geórgia, realizado em Setembro de 2002. Apesar da sua habilidade para executar passes curtos precisos para o seu colega de sector, Alexander Frei, lhe garantir um lugar no onze titular, Chapuisat arrisca-se a ser substituído pelo jovem atacante do PSV Eindhoven, Johan Vonlanthen.

Táctica fiel
O ritmo de Vonlanthen, um suíço nascido na Colômbia, a criatividade de Ricardo Cabanas - não alinhou no primeiro jogo devido a castigo - e a astúcia de Daniel Gygax são os triunfos que Kuhn poderá utilizar assim que necessitar. Por outro lado, o seleccionador deverá optar por utilizar uma táctica de 4-3-1-2, que se baseia no jogo desenvolvido pelo organizador Hakan Yakin.

"Nada a perder"
"Estou certo que os jogadores da Inglaterra, sobretudo a Imprensa, perspectivam que este jogo seja mais fácil do que o da França, e isso poderá ser uma grande vantagem para nós. A Inglaterra poderá exercer uma grande pressão, mas se resistirmos nos primeiros 15 minutos, eles poderão começar a ficar ansiosos. Nós não temos realmente nada a perder", realçou Kuhn.

Vitória precisa-se
A Inglaterra, que perdeu frente à França no passado domingo, no período dos descontos, sabe que a vitória ante os helvéticos aumenta as suas hipóteses de qualificação para os quartos-de-final, visto que se tal acontecer, apenas precisaria do empate no último jogo do grupo, diante da Croácia, para atingir o seu objectivo. Isto, claro está, partindo do pressuposto que os croatas vão perder com a França, no Estádio Municipal de Leiria. Mesmo empatando com a Suíça, a Inglaterra continuará com hipóteses de passar à fase seguinte, mas a equipa de Sven-Göran Eriksson está ciente de que não pode desperdiçar a hipótese de conquistar a primeira vitória na competição.

Scholes recuperado
Para o duelo com a Suíça, a Inglaterra recebeu uma boa notícia: Paul Scholes está mais do que certo na equipa titular, uma vez que já está praticamente recuperado da lesão no tornozelo. "Tenho quase 100 por cento de certeza que o Scholes vai poder jogar. Ele fez tudo no treino desta quarta-feira, tendo inclusivamente rematado à baliza na parte final do apronto, pelo que parece estar OK", afirmou Eriksson.

Terry regressa
A única alteração na equipa que iniciou o jogo com a França será a entrada do defesa do Chelsea FC, John Terry, para o lugar de Ledley King. Por outro lado, Owen Hargreaves, Joe Cole e Kieron Dyer são opções quando for necessário refrescar o meio-campo e Darius Vassell é um trunfo que Eriksson poderá utilizar para o ataque.

Avançado temível
Michael Owen, o único jogador da actual selecção inglesa que defrontou a Suíça há seis anos, foi alvo de algumas críticas depois do jogo com a França. No entanto, o avançado do Liverpool continua a ser um avançado temível e a forma como os centrais suíços vão conseguir lidar com a dupla atacante inglesa formada por Owen e Wayne Rooney poderá ser a chave para determinar o resultado do jogo.

Inglaterra (equipa provável): James; G Neville, Campbell, Terry e A Cole; Beckham, Gerrard, Lampard e Scholes; Owen e Rooney.

Suíça (equipa provável): Stiel; Haas, Murat Yakin, Mueller e Spycher; Huggel,Celestini e Wicky; Hakan Yakin; Frei e Chapuisat.

Árbitro: Valentin Ivanov (Rus)

Última actualização: 28-09-14 3.13CET

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=2004/matches/round=1581/match=1059174/prematch/preview/index.html#derrota+proibida