Quartos-de-final - 24-06-2000 - 18:00CET (18:00 Hora local) - Amsterdam ArenA - Amesterdão
0-2
 

Turquia - Portugal 0-2 - 24-06-2000 - Página do jogo - UEFA EURO 2000

O "site" oficial do futebol europeu

Portugal bate Turquia e está nas "meias"

Publicado: Segunda-feira, 6 de Outubro de 2003, 12.11CET
Turquia 0-2 Portugal
Nuno Gomes bisou e vergou uma formação turca reduzida a dez elementos durante mais de uma hora.
Portugal bate Turquia e está nas "meias"
Nuno Gomes festeja após ter marcado frente à Turquia ©Getty Images

Estatísticas dos jogos

TurquiaPortugal

Golos marcados0
2
Cartões amarelos3
 
5
Cartões vermelhos1
 
0

Classificação

Publicado: Segunda-feira, 6 de Outubro de 2003, 12.11CET

Portugal bate Turquia e está nas "meias"

Turquia 0-2 Portugal
Nuno Gomes bisou e vergou uma formação turca reduzida a dez elementos durante mais de uma hora.

Portugal mostrou toda a qualidade do seu talento ofensivo e eliminou facilmente a Turquia, nos quartos-de-final disputados na Arena de Amesterdão, e marcar lugar nas meias-finais. Os dois golos apontados por Nuno Gomes mostraram o caminho aos portugueses. O defesa Alpay Özalan foi expulso aos 29 minutos por ter agredido Fernando Couto e Arif Erdem falhou um penalty, que a ser convertido, daria o empate à Turquia antes do intervalo.

Como esperado, Hakan Sükür não deu muita importância à lesão que o colocara em dúvida para o jogo. Portugal manteve na equipa Sérgio Conceição, após o fantástico "hat-trick" contra a Alemanha, e preferiu Costinha no meio-campo a Vidigal. Os portugueses entraram fortes no jogo, com uma grande circulação de bola e preparados para penetrar no coração da defesa turca através das acções de Luís Figo e Rui Costa.

A primeira oportunidade de golo foi, no entanto, da equipa turca, através de Ökan Buruk que, de cabeça, não conseguiu nem aplicar-lhe a força desejada, nem dirigi-lo à baliza. Figo começou na esquerda, dando assim a Rui Costa o espaço para fazer as incursões pela direita. À medida que o jogo avançava, a estrela do Barcelona ia flectindo mais para o meio, ou para tabelar com os colegas ou para usar do seu talento para passar adversários. Um cruzamento seu, aos oito minutos de jogo, por pouco não proporcionou o golo a Nuno Gomes que falhou por centímetros.

A Turquia lutava para conquistar a posse de bola, liderada por Okan, mas essas tentativas foram apenas pausas na avalanche atacante portuguesa. De novo o futebol de Portugal, constituía um prazer para o espectador, atacando em todas as frentes. Um centro de Figo fez a bola sobrevoar perigosamente a baliza turca, caindo perto do segundo poste da baliza de Rüstu Recber que impotente se limitou a assistir à trajectória da bola. A seguir um excelente movimento ofensivo que envolveu cinco jogadores, acabou com um remate de Rui Costa que Rüstu defendeu.

Um canto de Figo aos 19 minutos trouxe a melhor oportunidade da partida até à altura. A bola fugiu a um defensor turco e sobrou para Costinha que no segundo poste estava numa posição muito favorável para marcar, mas não dominou a bola com rapidez necessária, permitindo assim a Rüstu lançar-se sobre ela e fazer uma grande defesa. Um livre de Ögun permitiu a Hakan Sükur subir de cabeça com algum perigo, mas o remate não pôs Vítor Baía à prova. Esta oportunidades algo isolada significava que os turcos estavam finalmente a sacudir a pressão portuguesa.

Os minutos a seguir colocaram um fim a essa situação. Alpay Özalan subiu à área contrária num canto e envolveu-se com Fernando Couto num lance aéreo, agredindo-o na queda, vendo por isso o cartão vermelho. Okan viu o amarelo bem como quatro portugueses: o ambiente estava a aquecer. A seguir veio o merecido golo de Portugal. Rui Costa e Figo combinaram com a costumada qualidade na direita e Nuno Gomes, com um bom movimento em rotação, marcou de cabeça aos 44 minutos. A intensidade subiu mais ainda até ao intervalo, quando Fernando Couto derrubou Arif Erdem na área. Na conversão, o mesmo Arif permitiu a defesa a Vítor Baia.

A maior parte da segunda metade foi jogada no meio-campo da Turquia, não surpreendendo por isso que Portugal elevasse a contagem. O segundo golo surgiu aos 56 minutos, quando Figo rompeu pela direita, e fez um belo cruzamento para Nuno Gomes empurrar para dentro da baliza. Nuno Gomes poderia ter marcado por mais duas vezes, talvez três, ao mesmo tempo que a Turquia nada conseguia fazer para impedir as contínuas investidas à sua baliza. Foi uma vitória em toda a linha de Portugal.

Última actualização: 01-02-12 12.16CET

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=2000/matches/round=1459/match=65179/postmatch/report/index.html#portugal+meias+finais