Meias-finais - 21-06-1992 - 20:15CET (20:15 Hora local) - Råsundastadion - Solna
2-3
 

Suécia - Alemanha 2-3 - 21-06-1992 - Página do jogo - UEFA EURO 1992

O "site" oficial do futebol europeu

Alemanha termina com sonho da anfitriã Suécia

Publicado: Domingo, 5 de Outubro de 2003, 14.55CET
Suécia 2-3 Alemanha
O livre espantoso apontado por Thomas Hässler abriu caminho à vitória da equipa de Berti Vogts sobre o anfitrião.
Alemanha termina com sonho da anfitriã Suécia
Thomas Hässler marcou de forma sublime de livre directo ©Getty Images

Estatísticas dos jogos

SuéciaAlemanha

Golos marcados2
 
3
Cartões amarelos2
 
4
Cartões vermelhos0
 
0

Classificação

Publicado: Domingo, 5 de Outubro de 2003, 14.55CET

Alemanha termina com sonho da anfitriã Suécia

Suécia 2-3 Alemanha
O livre espantoso apontado por Thomas Hässler abriu caminho à vitória da equipa de Berti Vogts sobre o anfitrião.

Um golo fantástico de livre, apontado por Thomas Hässler, iniciou as hostilidades que levariam à vitória da Alemanha sobre a Suécia na meia-final do EURO '92, com os comandados de Berti Vogts a provarem que a derrota ante a Holanda foi devida essencimante à onda de lesões que assolou a sua equipa.

Quando Karlheinz Riedle foi derrubado por Jan Eriksson, Hässler marcou um livre no minuto 11 com tanto efeito, que a bola passou com facilidade a barreira e se alojou no fundo da baliza de Thomas Ravelli, que nem se mexeu. Riedle (59 e 88) marcou os restantes tentos dos alemães, com uma grande penalidade de Tomas Brolin e um golo já nos últimos instantes de Kennet Andersson a darem uma ideia de equlibrio que, de facto, nunca chegou a existir.

Sem o influente Stefan Schwarz, ausente por castigo, a Suécia precisava que fosse um diminuído, por lesão, Jonas Thern a liderar o meio-campo, mas tudo se complicaria depois de Hässler colocar a Alemanha na frente. O pequeno médio deixaria os dois livres seguintes para Andreas Brehme, que acertou na barra no primeiro e no outro obrigou Ravelli a defesa muita apertada.

A Suécia, já encostada às cordas, vacilou de vez quando Hässler desarmou Thern e isolou Mattias Sammer, cujo cruzamento proporcionou um golo fácil a Riedle. Brolin reduziria de grande penalidade, a punir derrube a Klas Ingesson de Thomas Helmer, que se redimiria ao estar no lance que colocaria a bola nos pés de Riedle, cujo centro-remate, já na pequena área, faria o terceiro para os alemães.

No reatamento do encontro, Ingesson fez um passe longo para a area, com Kennet Andersson a subir e a bater Bodo Illgner, num encontro em que uma Suécia em crescendo – seria quarta no Mundial dois anos depois - fez o que pode, mas esteve sempre longe do adversário, que chegava à sua quarta final em seis Campeonatos da Europa. Será que o duas vezes vencedor do troféu seria demasiado forte para a Dinamarca?

Última actualização: 23-05-12 11.25CET

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=1992/matches/round=216/match=6096/postmatch/report/index.html#alemanha+afasta+anfitrioes