O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Itália - Inglaterra: retrospectiva da final do UEFA EURO 2020, factos e estatísticas do jogo

Em Wembley, a Itália vai tentar somar o seu primeiro título do EURO desde 1968, frente a uma Inglaterra em busca do seu primeiro troféu na competição.

Riccardo Montolivo marca uma grande penalidade no desempate vitorioso diante de Inglaterra no EURO 2012 quarter-finals
Riccardo Montolivo marca uma grande penalidade no desempate vitorioso diante de Inglaterra no EURO 2012 quarter-finals Getty Images

A final do UEFA EURO 2020, em Wembley, coloca frente-a-frente Itália, que tenta voltar a conquistar o título após 53 anos, e Inglaterra, que ambiciona o sue primeiro título na competição.

• A Itália perdeu duas vezes na final desde que triunfou em Roma em 1968, enquanto a Inglaterra passou pela primeira vez as meias-finais do EURO, depois de perder nessa fase em 1968 e 1996, nesta última como anfitriã.

• As duas equipas precisaram de prolongamento para vencer nas meias-finais do UEFA EURO 2020, que também foram disputadas em Wembley. A Itália derrotou a tricampeã Espanha nos penáltis, após empate a um golo, enquanto a Inglaterra bateu a Dinamarca.

• Apenas três equipas venceram o Campeonato da Europa da UEFA em casa: Espanha (1964), Itália (1968) e França (1984). Portugal (2004) e França (2016) chegaram à final mas perderam.

Desempenhos na final

Conheça as equipas: Itália
Conheça as equipas: Itália


Itália

• O registo da Itália em finais do Campeonato da Europa da UEFA é V1 D2:
1968 V 2-0 v Jugoslávia (Roma)
2000 D 1-2 v França, ap “golo de ouro” (Roterdão)
2012 D 0-4 v Espanha (Kiev)

• O total de derrotas na final do EURO da Itália é menor do que o de União Soviética e Alemanha, que foram derrotadas três vezes.

• Os "azzurri" igualaram Espanha e União Soviética em termos de presenças na final (4); apenas a Alemanha participou mais vezes (seis).

• Se vencer em Wembley, a Itália torna-se no quarto país a vencer o EURO mais do que uma vez, juntando-se a Alemanha, Espanha (três títulos) e França (dois).

• Actualmente, o maior intervalo entre títulos ganhos no EURO é de 44 anos, com a Espanha a ganhar em 1964 e 2008.

• A derrota por 4-0 da Itália frente à Espanha, em 2012, é a maior diferença de golos numa final do EURO.

• Os italianos Leonardo Bonucci e Giorgio Chiellini foram titulares nessa final, no NSC Olimpiyskiy, em Kiev, embora o último se tenha lesionado a meio da primeira parte. A dupla pode juntar-se à lista de 38 jogadores que disputaram duas finais do EURO.

• Jorginho pode juntar-se à lista de nove jogadores que disputaram e venceram a final do EURO e da Taça dos Clubes Campeões Europeus na mesma época, depois de alinhar na vitória do Chelsea sobre o Manchester City na UEFA Champions League, em Maio. Pode seguir as pisadas de Luis Suárez (1964, Inter e Espanha), Hans van Breukelen, Ronald Koeman, Berry van Aerle, Gerald Vanenburg (todos em 1988, PSV Eindhoven e Países Baixos), Fernando Torres, Juan Mata (2012, Chelsea e Espanha) e Cristiano Ronaldo, Pepe (2016, Real Madrid e Portugal).

Inglaterra

Conheça as equipas: Inglaterra
Conheça as equipas: Inglaterra


• Esta é apenas a segunda presença de Inglaterra na final de um torneio de selecções, com a outra a ter sido também em casa - a vitória por 4-2 sobre a República Federal da Alemanha, após prolongamento, na final do Campeonato do Mundo de 1966, em Wembley.

• A Inglaterra é o 13º país a chegar a uma final do EURO e o primeiro estreante desde Grécia e Portugal, em 2004. Jugoslávia (1960, 1968) e Bélgica (1980) são os únicos países que participaram numa final mas não ganharam.

• Houve dez vencedores do Campeonato da Europa da UEFA, com Inglaterra a poder tornar-se o segundo novo campeão em torneios consecutivos, após o triunfo de Portugal em 2016.

• O trio do Chelsea composto por Ben Chilwell, Reece James e Mason Mount pode juntar-se aos nove jogadores que disputaram e venceram a final da Taças dos Campeões Europeus e do EURO na mesma época.

• Quatro jogadores perderam a final da Taças dos Campeões Europeus mas venceram a final do EURO no mesmo ano: Ignacio Zoco e Amancio Amaro (1964, Real Madrid e Espanha) e Manny Kaltz e Horst Hrubesch (1980, Hamburgo e República Federal da Alemanha). Os ingleses Kyle Walker, John Stones, Phil Foden e Raheem Sterling podem juntar-se a esse lote.

• Em 2008, o alemão Michael Ballack, então no Chelsea, tornou-se no primeiro jogador a disputar e perder a final da Taças dos Campeões Europeus e do EURO no mesmo ano. Antoine Griezmann também sofreu a dupla decepção em 2016 com o Atlético de Madrid e a França.

Jogos anteriores 
• Ao longo dos anos, em 27 jogos entre ambos, não há um ascendente claro de uma equipa sobre a outra: a Itália venceu dez jogos, contra oito de Inglaterra, embora a Inglaterra tenha marcado 33 golos, mais dois do que os "azzurri".

• O jogo mais recente, um amigável em Wembley, em Maio de 2018, terminou empatado a um golo, com uma grande penalidade de Lorenzo Insigne aos 87 minutos anulando o golo inaugural de Jamie Vardy (26) pelos anfitriões. Kyle Walker, Kieran Trippier, John Stones, Raheem Sterling e os suplentes Jordan Henderson e Marcus Rashford jogaram por Inglaterra. Gianluigi Donnarumma, Bonucci, Jorginho, Ciro Immobile e os suplentes Federico Chiesa e Andrea Belotti alinharam pela selecção italiana. Southgate comandou a Inglaterra, com Luigi Di Biagio do lado italiano, como seleccionador-interino, naquele que foi o último jogo antes da chegada de Mancini.

• O último jogo oficial entre ambos terminou com uma vitória da Itália por 2-1, na fase de grupos do Mundial de 2014, em Manaus. Henderson e Sterling foram titulares por Inglaterra, enquanto do lado transalpino estiveram Salvatore Sirigu, Chiellini e Marco Verratti, com Immobile a entrar no decorrer da partida.

• Este é o primeiro jogo entre ambos no EURO desde os quartos-de-final do UEFA EURO 2012, em Kiev, com a Itália a vencer por 4-2 nos penalties no NSC Olimpiyskiy, após 120 minutos sem golos. Entrado no prolongamento, Henderson é o único sobrevivente da selecção inglesa que disputou essa competição. Bonucci jogou os 120 minutos pela Itália.

• A Itália também levou a melhor no outro jogo do EURO entre as duas equipas, com Marco Tardelli a marcar o único golo, aos 79 minutos no Stadio Comunale, em Turim, na segunda jornada da fase de grupos da edição de 1980.

• A Inglaterra não vence a Itália há seis jogos (E2 D4), desde a vitória por 2-0 em Wembley, na qualificação para o Mundial de 1978. Essa foi a única vitória em oito jogos oficiais contra os “azzurri”, que chegaram à final de 1978 à custa de Inglaterra, depois de vencer a eliminatória anterior, em Roma, pelo mesmo resultado.

• Aquela vitória em novembro de 1977, graças aos golos de Kevin Keegan e Trevor Brooking, é a única de Inglaterra nas seis partidas entre as duas equipas em Wembley (E3 D2).

• O registo de Southgate frente à Itália como jogador da selecção inglesa foi V1 E1 D2. Integrou a equipa que venceu os “azzurri” por 2-0 em Nantes, num amigável em Junho de 1997, e também naquela que se qualificou para o Mundial do ano seguinte graças a um empate sem golos em Roma, em Outubro. No entanto, também sofreu derrotas em amigáveis em Turim (0-1), em Novembro de 2000, e Leeds (1-2), em março de 2002.

Factos do EURO: Itália

Adeptos em Roma celebram o penálti vencedor da Itália
Adeptos em Roma celebram o penálti vencedor da Itália

• Esta é a décima presença da Itália na fase final do EURO e a sétima consecutiva desde que falhou a edição de 1992, na Suécia. Apenas por duas vezes não conseguiu ultrapassar a fase de grupos, em 1996 e 2004. No UEFA EURO 2016 ficou-se pelos quartos-de-final.

• Desta vez, a equipa de Roberto Mancini venceu os dez jogos de qualificação e terminou no primeiro no Grupo J, aumentando para oito o número de países que chegaram à fase final com um registo perfeito.

• Uma vitória por 3-0 na visita à Bósnia e Herzegovina, no penúltimo jogo de qualificação, foi a décima vitória consecutiva da Itália em todas as competições, a primeira vez na sua história que conseguiu tal feito.

• Os “azzurri” passaram a somar 11 vitórias consecutivas após baterem a Arménia em casa por 9-1 no último jogo de qualificação, a primeira vez que marcaram nove golos num jogo desde Agosto de 1948. Sete jogadores diferentes facturaram, um novo recorde nacional.

• Nunca tendo marcado três golos num jogo da fase final do EURO, a Itália conseguiu-o nos dois primeiros jogos, vencendo Suíça e Turquia por 3-0 no Olimpico em Roma, onde garantiu o primeiro lugar do Grupo A graças a um triunfo por 1- 0 sobre o País de Gales, na terceira jornada.

• A Itália eliminou a Áustria nos oitavos-de-final, em Londres, com golos dos suplentes Chiesa (95) e Matteo Pessina (105) no prolongamento a garantirem a presença consecutiva em quartos-de-final do EURO.

• Nos oitavos-de-final, golos de Nicolò Barella (31) e Insigne (44) na primeira parte ajudaram a vencer a Bélgica por 2-1 na Football Arena Munich, com a Itália a aumentar para 15 o número de vitórias seguidas no EURO, ao mesmo tempo que colocou um ponto final no registo vitorioso belga, que era de 14.

• A sequência vitoriosa italiana terminou com o empate a um golo frente à Espanha, meias-finais, com Chiesa a marcar novamente, antes de os “azzurri” vencerem por 4-2 nos penáltis, com Jorginho a converter o remate decisivo.

• Com esse resultado o registo da Itália na fase a eliminar do EURO passou a ser V10 D6.

• A vitória sobre a Áustria nos oitavos-de-final foi uma das três em oito jogos da Itália em Wembley, com as primeiras seis a serem todas frente a Inglaterra.

• O registo global da Itália em Inglaterra é V8 E7 D11. No EURO '96, disputou os dois primeiros jogos da fase de grupos em Anfield, em Liverpool, onde derrotou a Rússia por 2-1 e perdeu com a República Checa pelo mesmo resultado. O seu último jogo foi em Old Trafford, em Manchester, onde empatou sem golos frente à futura campeã Alemanha.

• Na Mundial de 1966, os “azzurri” iniciaram a competição com uma vitória por 2-0 sobre o Chile, Roker Park, casa do no Sunderland, o mesmo local onde perderam na segunda jornada, frente à União Soviética, por 1-0. Por fim, perdeu o terceiro jogo, frente à Coreia do Norte, por 1-0, em Ayresome Park, em Middlesbrough.

Factos do EURO: Inglaterra

Veja as comemorações dos ingleses em Wembley
Veja as comemorações dos ingleses em Wembley

• Esta é a décima presença de Inglaterra no Campeonato da Europa da UEFA. Ficou em terceiro lugar em 1968 e também atingiu as meias-finais em 1996 no Europeu que organizou.

• A Inglaterra falhou a qualificação para a fase final de 2008, a única vez em que não conseguiu o apuramento desde 1984.

• Na qualificação para o UEFA EURO 2016, a equipa dirigida por Roy Hodgson venceu os dez jogos, mas depois terminou no segundo lugar do grupo na fase final, atrás do País de Gales, após somar cinco pontos em três jogos. O sonho terminou depois nos oitavos-de-final frente à surpreendente Islândia (1-2).

• A equipa de Southgate terminou na liderança do Grupo A na qualificação para o UEFA EURO 2020, vencendo sete dos seus oito jogos (D1) e qualificando-se seis pontos à frente da República Checa. A derrota por 2-1 em Praga foi a única da Inglaterra.

• Na fase de grupos deste torneio, a Inglaterra derrotou a Croácia e a República Checa, ambas por 1-0, antes e depois de um empate a zero com a Escócia; todos os jogos decorreram em Wembley.

• A Inglaterra venceu depois a Alemanha, por 2-0, nos oitavos-de-final, novamente em Wembley, graças a golos de Raheem Sterling e Harry Kane apontados na segunda parte. Foi a sua primeira vitória num jogo da fase a eliminar do EURO desde que bateu a Espanha, no desempate por penáltis, nos quartos-de-final do EURO '96, igualmente em Wembley; o único outro triunfo na fase final do EURO sem ser na fase de grupos, por 2-0, foi sobre a União Soviética no jogo de atribuição do terceiro lugar de 1968.

• Nos quartos-de-final, a Inglaterra somou a sua vitória mais dilatada numa fase final do EURO, com golos de Kane (2), Maguire e Jordan Henderson e baterem a Ucrânia por 4-0 no Olimpico, em Roma. Depois, ultrapassaou a Dinamarca por 2-1 no prolongamento, em Wembley, nas meias-finais, com Kane a marcar o golo da vitória e da reviravolta. Depois de o seu penálti ter sido defendido, o avançado marcou na recarga.

• Kane terminou como o melhor artilheiro da fase de grupos da qualificação com 12 golos, tendo marcado em todos os jogos. Fez também fez cinco assistências. O tento apontado à Alemanha foi o seu primeiro numa fase final do EURO. Marcou nos últimos três jogos de Inglaterra.

• Sterling participou em 15 dos 37 golos de Inglaterra na fase de qualificação, oito remates certeiros e sete assistências, tendo feito o tento das vitórias sobre a Croácia e a República Checa, antes de voltar a marcar frente à Alemanha.

• A derrota com a Islândia nos oitavos-de-final do UEFA EURO 2016 é a única da Inglaterra em 15 jogos na fase final do EURO (V8 E6), uma vez que as eliminações no desempate por penáltis dos quartos-de-final frente a Itália (2012) e Portugal (2004) contam como empates.

• O golo do dinamarquês Mikkel Damsgaard nas meias-finais colocou um ponto final em dez jogos da Inglaterra no EURO sem sofrer golos em Wembley, qualificação e fase final incluídos. Antes deste golo, o último sofrido no estádio nesta competição foi apontado por Henderson na própria baliza, num triunfo por 3-1 sobre a Eslovénia, em Novembro de 2014, uma série que compreende 932 minutos e nos quais a Inglaterra marcou 31 golos. O último jogador adversário a marcar à Inglaterra em Wembley num jogo do EURO foi o suíço Tranquillo Barnetta, que bisou no empate a dois golos em jogo de qualificação realizado a 4 de Junho de 2011.

• As quatro vitórias e um empate no UEFA EURO 2020 significam que o registo de Inglaterra em Wembley é agora V187 E73 D39. Ganhou 13 dos últimos 15 jogos disputados no estádio, incluindo os de qualificação do UEFA EURO 2020 frente a República Checa (5-0), Bulgária (4-0) e Montenegro (7-0). Perdeu apenas dois dos últimos 27 jogos em Wembley (V20 E5), mais recentemente frente à Dinamarca, na UEFA Nations League, em Outubro.

• A Inglaterra nunca perdeu um jogo de uma fase final de selecções em Wembley (V11 E5), com a meia-final de 1996 frente à Alemanha a ser classificada como empate.

Ligações e curiosidades
• Jogaram em Inglaterra:
Emerson (Chelsea 2018–)
Jorginho (Chelsea 2018–)

• Jogaram juntos :
Emerson, Jorginho e Reece James, Mason Mount (Chelsea 2019–)
Emerson, Jorginho e Ben Chilwell (Chelsea 2020–)

• O seleccionador de Itália, Mancini, encerrou sua carreira de jogador com quatro jogos na Premier League pelo Leicester, em 2001. Foi treinador do Manchester City entre 2009 e 2013, tendo vencido a Taça de Inglaterra em 2011 e a Premier League na temporada seguinte.

• Kane marcou o golo inaugural do Tottenham no empate 2-2 com a Juventus, na primeira mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League de 2017/18. Giorgio Chiellini e Federico Bernardeschi jogaram pela Juve, com Chiellini também na equipa que venceu o jogo da segunda mão em Wembley (2-1).

• Immobile marcou em casa (3-1) e fora (1-1) pela Lázio contra uma equipa do Borussia Dortmund com Jude Bellingham e Jadon Sancho, na fase de grupos da UEFA Champions League 2020/21. Francesco Acerbi também jogou nas duas partidas pela Lázio.

• Sterling marcou em ambos os jogos do Manchester City contra o Nápoles (2-1 c, 4-2 f) na fase de grupos da UEFA Champions League 2017/18. Insigne e Jorginho, de penálti, apontaram os golos do Nápoles em Itália.

• Sterling também marcou em ambos os jogos do City frente à Atalanta de Rafael Tolói (5-1 c, 1-1 f) na fase de grupos da UEFA Champions League 2019/20, tendo assinado um "hat-trick" em 12 minutos - o seu primeiro na competição - na vitória em casa.

• Kyle Walker, John Stones e Phil Foden começaram as duas mãos da vitória do Manchester City nas meias-finais da UEFA Champions League de 2020/21, contra o Paris Saint-Germain, equipa na qual Marco Verratti e Alessandro Florenzi também foram titulares nos dois jogos (2-1 f , 2-0 c).

• Chiellini played in the first official game at the rebuilt Wembley Stadium, a 3-3 friendly draw between England and Italy's Under-21 sides on 24 March 2007.

Desempate por penáltis
• O registo da Itália em desempates por pontapés da marca de grande penalidade em jogos oficiais é de 5 vitórias e 7 derrotas:
8-9 frente à Checoslováquia, EURO 1980, jogo de atribuição do 3º lugar
3-4 frente à Argentina, Mundial 1990, meias-finais
2-3 frente ao Brasil, Mundial 1994, final
3-4 frente à França, Mundial 1998, quartos-de-final
3-1 frente aos Países Baixos, UEFA EURO 2000, meias-finais
5-3 frente à França, Mundial 2006, final
2-4 frente à Espanha, UEFA EURO 2008, quartos-de-final
4-2 frente à Inglaterra, UEFA EURO 2012, quartos-de-final
6-7 frente à Espanha, Taça das Confederações de 2013, meias-finais
3-2 frente ao Uruguai, Taça das Confederações de 2013, jogo de atribuição do 3º lugar
5-6 frente à Alemanha, UEFA EURO 2016, quartos-de-final
4-2 frente à Espanha, UEFA EURO 2020, meias-finais

• A Itália esteve envolvida num desempate em cada um dos últimos quatro Campeonatos da Europa. O seu registo no torneio tem sido DVDVDV alternadamente, e eles também alternaram entre vitória e derrota nos últimos sete desempates em todas as competições.

• O registo de Inglaterra em nove desempates por penáltis em jogos oficiais é de V3 D6:
3-4 RFA, meias-finais do Mundial de 1990
4-2 Espanha, quartos-de-final do EURO '96
5-6 Alemanha, meias-finais do EURO '96
3-4 Argentina, oitavos-de-final do Mundial de 1998
5-6 Portugal, quartos-de-final do UEFA EURO 2004
1-3 Portugal, quartos-de-final do Mundial de 2006
2-4 Itália, quartos-de-final do UEFA EURO 2012
4-3 Colômbia, oitavos-de-final do Mundial de 2018
6-5 Suíça, jogo de atribuição do terceiro lugar da UEFA Nations League de 2019

• Nenhuma equipa venceu dois desempates por grandes penalidades no mesmo EURO.

Descarregue a app do EURO!