O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

EURO 2020: A Rússia vista pelo nosso repórter

O repórter do UEFA.com junto da Rússia, Artur Petrosyan, já viu a selecção chegar longe e espera que possa dar sequência à boa campanha realizado no Mundial em casa.

Tudo o que precisa de saber sobre a Rússia no EURO 2020.
Conheça as equipas: Rússia

Jogos no Grupo A

12/06: Bélgica - Rússia (São Petersburgo)
16/06: Finlândia - Rússia (São Petersburgo)
21/06: Rússia - Dinamarca (Copenhaga)

Perfil da equipa

Todos os golo da Rússia rumo ao EURO 2020
Todos os golo da Rússia rumo ao EURO 2020

Treinador: Stanislav Cherchesov
Capitão: Artem Dzyuba
Alcunha: Sbornaya (Selecção Nacional)
Como se qualificou: Segunda classificada no Grupo I (8V 0E 2D 33GM 8GS)
Melhor no UEFA EURO: meias-finais (2008)

Onde podem disputar os jogos a eliminar

Oitavos-de-final: Amesterdão, Bucareste, Sevilha
ou Glasgow
Quartos-de-final: São Petersburgo, Munique, Roma ou Baku
Meia-final
: Londres 
Final: Londres 

Lista final de 26 convocados

Guarda-redes: Yuri Dyupin (Rubin), Matvei Safonov (Krasnodar), Anton Shunin (Dínamo Moscovo)

Defesas: Igor Diveev (CSKA Moscovo), Georgi Dzhikiya (Spartak Moscovo), Mario Fernandes (CSKA Moscovo), Vyacheslav Karavaev (Zenit), Fedor Kudryashov (Antalyaspor), Andrei Semenov (Akhmat), Roman Evgenev (Dinamo Moskva)

Médios: Dmitri Barinov (Lokomotiv Moscovo), Denis Cheryshev (Valência), Daniil Fomin (Dinamo Moscovo), Aleksandr Golovin (Mónaco), Daler Kuzyaev (Zenit), Maksim Mukhin (CSKA Moscovo), Magomed Ozdoev (Zenit), Rifat Zhemaletdinov (Lokomotiv Moscovo), Yuri Zhirkov (Zenit), Roman Zobnin (Spartak Moscovo)

Avançados: Artem Dzyuba (Zenit), Aleksei Ionov (Krasnodar), Denis Makarov (Rubin), Aleksei Miranchuk (Atalanta), Aleksandr Sobolev (Spartak Moscovo), Anton Zabolotny (CSKA Moscovo)

Repórter do UEFA.com junto da Rússia: Artur Petrosyan

Este vai ser o meu nono EURO como adepto e o quarto como repórter. Tudo começou em 1988 quando, ainda criança, fiquei destroçado com a derrota da seleção soviética na final com os Países Baixos mas, mesmo assim, não deixei de ficar deslumbrado com o sensacional golo de Marco van Basten. Vinte anos depois fiz minha estreia como repórter, no EURO de maior sucesso da Rússia até agora, quando Guus Hiddink levou aquela que é indiscutivelmente a melhor seleção russa de todos os tempos até às meias-finais, antes de perder para Espanha, que viria a ser campeã. Recordações!

A Rússia surpreende a Holanda em 2008
A Rússia surpreende a Holanda em 2008

Como joga

A Rússia é muito flexível tacticamente. Pode jogar de forma mais defensiva num 5-3-1-1, com pouco espaço entre linhas, pressão constante e passe longos para Dzyuba, ou num 4-2-3-1 muito mais atraente, com atacantes como Golovin e Miranchuk a terem liberdade para mostrar o seu talento.

Jogador-chave: Artem Dzyuba

O gigante de 32 anos continua a ter um papel fundamental na equipa, independentemente da táctica escolhida. O melhor marcador da Liga russa de 2020/21 com 20 golos é o ponto de referência do ataque, joga bem com bola apesar do tamanho, protege-a bem, tem um forte remate e cria oportunidades para os colegas de equipa. Por tudo isto, o poderoso avançado do Zenit é uma dor de cabeça permanente para os defesas.

Treinador: Stanislav Cherchesov

O antigo-guarda redes da Rússia assumiu o comando da selecção em 2016 após uma campanha marcada pelo insucesso no EURO e conseguiu construir uma equipa capaz de grandes proezas. Conduziu-a de forma sensacional aos quartos-de-final do Campeonato do Mundo de 2018 e depois conseguiu um qualificação sem sobressaltos para o UEFA EURO 2020. É um treinador muito exigente, que leva a que os seus pupilos deixem tudo em campo e, segundo os jogadores, tem fomentado um ambiente familiar na equipa que ajuda a que todos joguem no limite.

Veja o golo de Protasov que deu a vitória à URSS em 1988
Veja o golo de Protasov que deu a vitória à URSS em 1988

Jogador a seguir: Aleksandr Golovin

No EURO 2016, Golovin era o jogador mais jovem da Rússia e considerado apenas uma promessa, agora, com 25 anos, é sem dúvida o melhor jogador da equipa e a maior esperança dos adeptos. A mudança para o Mónaco ajudou o antigo médio do CSKA a amadurecer, a tornar-se um trabalhador incansável e melhorar os seus atributos ofensivos. É um dos principais elementos criativos da equipa russa.

Podem ser campeões?

A Rússia pode, pelo menos, repetir o último sucesso numa grande competição e chegar até aos quartas-de-final. Ultrapassar a fase de grupos é o objectivo mínimo da equipa, dependendo depois muito do emparelhamento das equipas.

Obtenha a app oficial do UEFA EURO 2020