O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Perfil do UEFA EURO 2020: Hungria

Em 2016, no seu regresso ao EURO após uma ausência de 44 anos, a Hungria ultrapassou a fase de grupos.

O húngaro Balázs Dzsudzsák celebra no UEFA EURO 2016
O húngaro Balázs Dzsudzsák celebra no UEFA EURO 2016

Historial no EURO

Presenças na fase final: 3
Melhor desempenho no EURO: terceiro lugar (1964), meias-finais (1972)

Outrora uma das principais selecções europeias, a formação magiar participou em duas das primeiras quatro edições do torneio, tendo sido terceira em 1964. Seguiu-se um jejum de 44 anos, o mais longo na história do EURO, que terminou em 2016, edição na qual atingiu a fase a eliminar.

Veja o fantástico golo de Szoboszlai pela Hungria no "play-off"
Veja o fantástico golo de Szoboszlai pela Hungria no "play-off"

Jogadores-chave

Péter Gulácsi (36 internacionalizações)
Primeiro húngaro a alinhar nas meias-finais da UEFA Champions League, o guardião é um dos esteios da equipa e foi eleito três vezes Jogador Húngaro do Ano.

Dominik Szoboszlai (12 internacionalizações, 3 golos)
Talvez o maior talento húngaro da actualidade, foi dele o golo tardio que consumou a reviravolta frente à Islândia na final do "play-off" de acesso ao UEFA EURO 2020.

Veja o golo de Szalai pela Hungria no EURO 2016
Veja o golo de Szalai pela Hungria no EURO 2016

Golos memoráveis no EURO

  • A estreia a marcar de Ferenc Bene num grande torneio de selecções, em 1964, obrigou a prolongamento frente à Espanha, na meia-final realizada no Santiago Bernabéu.
  • O remate de longe de Zoltán Gera frente a Portugal foi eleito "Golo do Torneio" em 2016, tornando-o no jogador mais velho a marcar num lance de bola parada no torneio (37 anos e 62 dias).

Momentos memoráveis

  • Em 1972, o penálti de Lajos Kű no desempate do jogo do terceiro e quarto lugar quebrou um enguiço: a equipa tinha desperdiçado um na qualificação e outro nas meias-finais.
  • As calças de fato-treino usadas por Gábor Király em 2016 valeram-lhe a alcunha de "Homem de Pijama". A sua justificação foi contundente: "Sou um guarda-redes, não um modelo".
  • Frente a Portugal, em 2016, Balázs Dzsudzsák tornou-se no primeiro jogador húngaro a bisar numa fase final frente a um adversário europeu desde 1964.
Veja a Hungria cantar o hino nacional
Veja a Hungria cantar o hino nacional

Estatísticas

Mais jogos na fase final
4: Flórián Albert, Balázs Dzsudzsák, Zoltán Gera, Richárd Guzmics, Gábor Király, Ádám Lang, Ádám Szalai
3
: Ferenc Bene, Roland Juhász, Tamás Kádár, Ádám Nagy, Ádám Pintér, Zoltán Stieber

Mais golos na fase final

2: Ferenc Bene, Dezső Novák, Balázs Dzsudzsák
1: Zoltán Gera, Lajos Kű, Ádám Szalai, Zoltán Stieber

Sabia que?

O húngaro Gábor Király frente à Bélgica
O húngaro Gábor Király frente à BélgicaAFP via Getty Images
  • Com 40 anos e 86 dias, Király tornou-se no jogador mais velho a alinhar numa fase final do EURO.