Cinco grandes jogos dos quartos-de-final do EURO

Um olhar pela história traz-nos à memória alguns jogos de emoções fortes e abre o apetite para os quartos-de-final do UEFA EURO 2016.

©Getty Images

22/06/1996: Inglaterra 0-0 Espanha (após prolongamento, Inglaterra vence 4-2 nos penalties)
A tensão em Wembley estava ao rubro, com a Inglaterra, moralizada por uma vitória convincente sobre a Holanda no último jogo da fase de grupos, por 4-1, a defrontar uma promissora Espanha. Os ibéricos viram dois golos anulados por fora-de-jogo, mas, antes do intervalo, conseguiram furar a defesa inglesa. Javier Manjarín ganhou espaço, hesitou, perdeu tempo e permitiu a David Seaman fazer a defesa. 

Chegou-se ao prolongamento, com a regra do golo de ouro em jogo pela primeira vez. Nenhuma das equipas marcou e a Inglaterra conseguiria uma rara vitória num desempate por grandes penalidades, que ficou na memória pelos festejos efusivos de Stuart Pearce, a exorcizar os fantasmas do seu falhanço no Campeonato do Mundo da FIFA de 1990.

25/06/2000: Espanha 1-2 França
França dominou a prova em 2000 e viria a sagrar-se campeã, mas a Espanha levou-a ao limite nos quartos-de-final, em Bruges. Zinédine Zidane deu vantagem aos "Bleus", pouco depois da meia-hora de jogo, só que Gaizka Mendieta, de penalty, restabeleceu a igualdade.

A França voltou a adiantar-se depois do intervalo, numa arrancada de Patrick Vieira bem concluída por Youri Djorkaeff. Nos minutos finais, a Espanha desperdiçou uma oportunidade flagrante para forçar o prolongamento quando Raúl González dispôs de um penalty, rematando por cima da barra. Os franceses apuraram-se e seguiram, em grande estilo, para a conquista do título.

Portugal bateu Inglaterra num desempate por penalties emocionante
Portugal bateu Inglaterra num desempate por penalties emocionante

24/06/2004: Portugal 2-2 Inglaterra (após prolongamento, Portugal vence por 6-5 nos penalties)
Um jogo que teve tudo. Michael Owen deu vantagem à Inglaterra em Lisboa com um grande disparo, tornando-se o primeiro jogador inglês a marcar em quatro fases finais seguidas de grandes competições, mas a equipa de Eriksson perdeu o jovem Wayne Rooney, de 18 anos, devido a lesão, e Hélder Postiga empatou na segunda parte. 

Sol Campbell teve um golo anulado aos 90 minutos e Rui Costa pôs Portugal na frente no prolongamento, mas Frank Lampard forçou os penalties logo a seguir. Num desempate emocionante, David Beckham falhou e Ricardo defendeu o remate de Darius Vassel, antes de converter a grande penalidade que qualificou Portugal.

25/06/2004: França 0-1 Grécia
Na lista mais pelo escândalo do que por outra razão. Ninguém podia prever que a Grécia iria não só vencer a França pela primeira vez na sua história, como também seguir para a conquista do título europeu.

A selecção grega quase ficou em vantagem em Lisboa num cabeceamento ao segundo poste de Kostas Katsouranis, após livre marcado por Giorgos Karagounis, que Fabien Barthez defendeu mesmo em cima da linha. O golo surgiria aos 65 minutos, por intermédio de Angelos Charisteas ... e o resto é história.

Alegria turca de Rüştü
Alegria turca de Rüştü

21/06/2008: Croácia 1-1 Turquia (após prolongamento, a Turquia vence 3-1 nos penalties)
Por onde começar? A Turquia conseguiu chegar, pela primeira vez, a uma meia-final do EURO, num grande jogo em Viena, decidido nos penalties, depois de as duas equipas terem marcado nos últimos instantes do prolongamento.

A um minuto do fim, Ivan Klasnić finalizou um cruzamento de Luka Modrić, mas, pelo terceiro jogo seguido, a Turquia marcou nos instantes finais, num remate de Semih Şentürk que ainda sofreu um desvio. No primeiro desempate por penalties do torneio, Rüştü Reçber foi o herói ao defender a tentativa de Mladen Petrić, depois de Modrić e Ivan Rakitić também terem falhado.

Topo