Inglaterra orgulhosa com regresso do futebol a casa

Roy Hodgson e Greg Dyke mostraram-se satisfeitos pelo "muito bonito" Wembley Stadium, em Londres, ter sido escolhido para receber as meias-finais e a final em 2020.

O UEFA EURO 2020 não vai ser apenas um "EURO para a Europa", mas também uma ocasião para o futebol regressar novamente a casa, na sequência do anúncio, em Genebra, da atribuição à Inglaterra da final e das meias-finais do Campeonato da Europa, daqui a seis anos.

A Federação Inglesa de Futebol (FA) irá receber o clímax do torneio a ser disputado por 24 equipas e em 12 cidades pela Europa, e o seleccionador principal do país anfitrião, Roy Hodgson, prometeu "fanatismo e paixão incríveis", bem como um "estádio maravilhoso" em Wembley, local designado para as meias-finais e para a final.

A decisão do Comité Executivo da UEFA significa que a Inglaterra vai acolher pela terceira vez uma grande competição internacional de futebol, depois do Campeonato do Mundo de 1966 e do EURO '96. O presidente da FA, Greg Dyke, está ansioso que o seu país volte a ser o epicentro do futebol internacional. "Há alguns anos que não acolhemos um evento destes, há mais de 20 anos, e Wembley é um estádio magnífico", afirmou. "Além disso, o torneio parece estar cada vez maior e melhor. Estamos muito felizes por acolher as meias-finais e a final. Esperemos chegar lá."

Hodgson também está satisfeito por esta oportunidade, explicando ao UEFA.com: "A única coisa que podemos garantir é a incrível paixão e o entusiasmo dos adeptos. A Inglaterra é muito, muito, um país do futebol. Já sabia disso antes de ser seleccionador, mas ao longo dos últimos dois anos senti isso ainda mais."

Resumo da final do EURO '96
Resumo da final do EURO '96

Para Greg Dyke, presidente da FA, a "nova" experiência de Wembley ao organizar as finais da UEFA Champions League de 2011 e de 2013 veio reforçar as suas credenciais de hospitalidade. "Construímos um estádio muito grande, muito bonito, mas, infelizmente, muito caro e nós queremos ter lá grandes jogos. Ficámos satisfeitos receber jogos, por isso que é que levámos esta candidatura muito a sério e é gratificante saber que ficámos, em termos técnicos, em primeiro lugar."

Londres também não precisa de apresentações como centro desportivo de excelência, como se verificou durante os Jogos Olímpicos de 2012. "É muito animador", confessou Dyke. "O que sabemos, como se viu durante os Jogos Olímpicos, é que as pessoas acorrem sempre em massa a estes eventos em Londres. Vai ser um enorme sucesso. Estamos muito orgulhosos e queremos agradecer a UEFA por nos atribuir este evento."

Topo