O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Países Baixos - República Checa no UEFA EURO 2020: retrospectiva, factos e estatísticas

Países Baixos e República Checa tentam garantir um lugar nos quartos-de-final do UEFA EURO 2020 quando se defrontarem na Puskás Aréna, em Budapeste.

Pavel Nedvěd em duelo com Edgar Davids em 2004
Pavel Nedvěd em duelo com Edgar Davids em 2004 Getty Images

• Os Países Baixos e a República Checa proporcionaram um dos jogos mais memoráveis na fase de grupos do UEFA EURO 2004 e defrontam-se agora pela primeira vez na fase a eliminar na Puskás Aréna, em Budapeste, nos oitavos-de-final do UEFA EURO 2020.

• Os Países Baixos passou sem problemas o Grupo C ao vencer os três jogos na Johan Cruijff ArenA, em Amesterdão, tendo apontado oito golos nesses encontros, tornando-se na equipa mais goleadora da fase de grupos. Os checos, por outro lado, apuraram-se como um dos quatro melhores terceiros classificados, tendo terminado atrás da Inglaterra e da Croácia no Grupo D, com quatro pontos.

• O vencedor desta eliminatória defronta a Dinamarca nos quartos-de-final, em Baku, a 3 de Julho.

Confrontos anteriores

• A República Checa ganhou cinco dos 11 jogos frente aos Países Baixos (E3 D3), incluindo os últimos dois, em casa (2-1) – Stefan de Vrij marcou o golo dos visitantes – e fora (3-2), na qualificação para o UEFA EURO 2016. Um autogolo de Robin van Persie deu aos visitantes os três pontos na Johan Cruijff ArenA e colocou um ponto final nas hipóteses de apuramento dos Países Baixos para a fase final.

• Pavel Kadeřábek marcou o primeiro golo dos checos em Amesterdão, com Vladimír Darida a jogar os 90 minutos, Tomáš Kalas a ser suplente-utilizado e Tomáš Koubek e Tomáš Vaclík a não saírem do banco de suplentes. Georginio Wijnaldum, Daley Blind e Memphis Depay disputaram os 90 minutos pelos holandeses.

Países Baixos - República Checa: recordar o EURO 2004
Países Baixos - República Checa: recordar o EURO 2004

• Matěj Vydra alinhou na vitória por 2-1 dos checos em Praga, juntamente com Kadeřábek e Darida, enquanto Wijnaldum, De Vrij, Blind e Depay alinharam pelos Países Baixos.

• Os holandeses venceram por 2-0 em Amesterdão e Praga na qualificação para o Campeonato do Mundo de 2006.

• Este é o terceiro duelo entre as equipas na fase final do EURO, com Frank de Boer, actual seleccionador dos Países Baixos, a marcar o único golo, de penálti, na fase de grupos do UEFA EURO 2000, em Amesterdão.

• Quatro anos depois, os checos recuperaram de uma desvantagem de 2-0 e venceram por 3-2 em Aveiro, na fase de grupos do UEFA EURO 2004. Wilfred Bouma (4) e Ruud van Nistelrooy (19) deram uma vantagem madrugadora aos holandeses, mas Jan Koller (23) e Milan Baroš (71) empataram, cabendo a Vladimír Šmicer dar a vitória, aos 88 minutos.

• A Checoslováquia levou a melhor no único duelo frente aos Países Baixos numa fase a eliminar, no caso as meias-finais da campanha vitoriosa no Campeonato da Europa da UEFA de 1976. O checoslovaco Anton Ondruš marcou um golo e um autogolo durante o tempo regulamentar, antes de tentos de Zdeněk Nehoda (114) e František Veselý (118), no prolongamento, eliminarem os holandeses.

Factos do EURO: Países Baixos

Países Baixos República Checa: jogo emocionante em 2015
Países Baixos República Checa: jogo emocionante em 2015

• Os Países Baixos participaram em nove fases finais anteriores de Campeonatos da Europa, mas falharam o UEFA EURO 2016, a primeira vez que ficaram de fora de um EURO desde 1984.

• Campeões da Europa em 1988 – o único troféu internacional importante que conquistaram –, os Países Baixos terminaram o Campeonato da Europa de 1976 no terceiro lugar e também chegaram às meias-finais em 1992, em 2000, como co-anfitriões, e em 2004. A última vez que ultrapassaram a fase de grupos foi em 2008, quando foram eliminados pela Rússia no prolongamento dos quartos-de-final.

• A última vitória na fase a elimina foi nos penáltis, depois de um empate em 0-0 com a Suécia nos quartos-de-final de 2004. Os holandeses tinham sido afastados no desempate por grandes penalidades no três EUROs anteriores: pela Dinamarca em 1992, pela França em 1996 e pela Itália em 2000.

• Na última campanha no EURO, em 2012, a equipa treinada por Bert van Marwijk ficou no último lugar de um grupo em que estavam Portugal, Alemanha e Dinamarca, somando quatro derrotas consecutivas em fases finais.

• A selecção laranja terminou o grupo de qualificação para o UEFA EURO 2016 no quarto lugar, atrás de República Checa, Islândia e Turquia.

• Esta é a primeira vez que os Países Baixos participam num Campeonato da Europa ou num Campeonato do Mundo desde que ficaram em terceiro lugar no Mundial de 2014 no Brasil.

• No entanto, os holandeses atingiam a final da primeira edição da UEFA Nations League, batendo a Inglaterra por 3-1 após o prolongamento nas meias-finais, mas não evitaram o triunfo de Portugal, por 1-0, na final.

• A equipa de Ronald Koeman terminou em segundo, atrás da Alemanha, no Grupo C de qualificação para o UEFA EURO 2020, com 19 pontos em oito jogos (6V 1E 1D). Koeman foi substituído por Frank de Boer no cargo de seleccionador nacional em Setembro de 2020.

• De Boer supervisionou três vitórias em três jogos no UEFA EURO 2020, com a selecção "laranja" a vencer a Ucrânia por 3-2 na primeira jornada – jogo em que estiveram a vencer por 2-0 – seguindo-se triunfos sobre Áustria (2-0), que garantiu o apuramento, e Macedónia do Norte (3-0).

• Depay fez oito assistências na fase de qualificação, mais do que qualquer outro jogador. Com seis golos marcados, teve influência directa em 58 por cento dos 24 golos marcados pelos Países Baixos. Também marcou frente à Áustria, de penálti, na segunda jornada da fase final, e contra a Macedónia do Norte assinou um golo e duas assistências.

• Com dez golos nas primeiras 53 internacionalizações, Wijnaldum apontou oito tentos em sete partidas na qualificação e foi o melhor marcador dos Países Baixos. Na fase final, inaugurou o marcador frente à Ucrânia, na ronda inaugural, e bisou ante a Macedónia do Norte.

• Esta será a primeira visita dos Países Baixos à Hungria desde uma vitória por 4-1 no Estádio Ferenc Puskás, a 11 de Setembro de 2012, na qualificação para o Campeonato do Mundo de 2014. Isso fez com que o seu registo no país passasse a ser V4 E1 D2, sempre em jogos com a Hungria e em Budapeste. As quatro vitórias aconteceram nas últimas quatro deslocações.

• Este é o primeiro jogo dos Países Baixos na Puskás Aréna, apesar de todos os seus jogos na Hungria, menos o primeiro, terem acontecido no Népstadion, mais tarde Estádio Ferenc Puskás, que foi demolido em 2016 para dar lugar ao novo recinto, inaugurado três anos depois.

Factos do EURO: República Checa

Veja o icónico chapéu de Poborský no EURO '96
Veja o icónico chapéu de Poborský no EURO '96

• A República Checa qualificou-se para todas as fases finais do EURO desde a separação da Checoslováquia, em 1993.

• Venceu a competição como parte da Checoslováquia, em 1976, e chegou à final na sua primeira presença como República Checa, em 1996, sendo batida pela Alemanha por 2-1.

• A República Checa também atingiu as meias-finais do UEFA EURO 2004 e os quartos-de-final, oito anos depois.

• Em 2016, os checos terminaram em último lugar no grupo, com um ponto conquistado em três jogos. Às derrotas ante Espanha (0-1) e Turquia (0-2) juntaram um empate 2-2 pelo meio contra a Croácia, partida em que checos recuperaram de desvantagem de dois golos. Foi a única vez que evitaram a derrota - ou chegaram ao golo - nos últimos quatro jogos de fases finais do EURO.

• Os comandados de Jaroslav Šilhavý qualificaram-se para o UEFA EURO 2020 como segundo classificado do Grupo A, atrás da Inglaterra, que venceu por 2-1 em Praga depois de perder por 5-0 em Wembley, na primeira jornada. Essa foi uma das três derrotas que os checos sofreram na fase de qualificação, embora as cinco vitórias somadas tenham garantido que terminassem com 15 pontos, mais quatro que o terceiro, o Kosovo.

• No UEFA EURO 2020 propriamente dito, os checos começaram com um triunfo por 2-0 sobre a Escócia, seguindo-se um empate a um golo frente à Croácia, ambos os jogos disputados em Hampden Park, em Glasgow, e todos esses golos foram marcados por Patrik Schick. Lideravam o Grupo D à entrada para a terceira jornada, mas uma derrota por 1-0 com a Inglaterra em Wembley remeteu-os para o terceiro posto.

• Apesar de a República Checa nunca ter jogado na Puskás Aréna, este é o seu 21º jogo na Hungria, todos em Budapeste e todos frente à selecção da casa. O seu registo global no país como Checoslováquia/República Checa é V2 E3 D15. A última visita terminou com um empate a um golo num amigável realizado em Agosto de 2013, no Estádio Ferenc Puskás.

• O registo da Checoslováquia no Estádio Ferenc Puskás, anteriormente conhecido como Népstadion, foi V1 E1 D4. Esse empate em 2013 foi o único jogo da República Checa no recinto.

Ligações e curiosidades

Grandes golos dos Países Baixos
Grandes golos dos Países Baixos

• Jogaram juntos:
Luuk de Jong & Tomáš Vaclík (Sevilha 2019–21)
Quincy Promes & Alex Král (Spartak Moscovo 2021–)

• Jaroslav Šilhavý, actual seleccionador da República Checa, era adjunto de Karel Brückner na reviravolta checa frente aos Países Baixos no UEFA EURO 2004.

• De Vrij alinhou pelo Inter, que empatou a um golo na recepção ao Slavia Praga e venceu por 3-1 fora na fase de grupos da UEFA Champions League 2019/20. Vladimír Coufal, Jan Bořil, Lukáš Masopust e Tomáš Souček alinharam pelo Slavia nos dois jogos.

• Frenkie de Jong também defrontou o Slavia, na fase de grupos de 2020/21, com o Barcelona a vencer por 2-1 fora e empatando sem golos em casa. Masopust, Souček, Coufal, Bořil e Petr Ševčík também participaram nesses jogos.

• Maarten Stekelenburg fez parte da equipa do Ajax que perdeu por 1-0 em casa e 2-1 fora ante o Slavia na terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League 2007/08, resultados que ditaram a primeira participação do clube checo na fase de grupos do torneio.

Desempates por penalties

• O registo dos Países Baixos em desempates por penalties é V2 D5:

4-5 v Dinamarca, meias-finais do EURO '92
4-5 v França, quartos-de-final do EURO '96
2-4 v Brasil, meias-finais do Campeonato do Mundo de 1998
1-3 v Itália, meias-finais do UEFA EURO 2000
5-4 v Suécia, quartos-de-final do UEFA EURO 2004
4-3 v Costa Rica, quartos-de-final do Campeonato do Mundo de 2014
2-4 v Argentina, meias-finais do Campeonato do Mundo de 2014

• A República Checa ganhou os três desempates em que participou:

5-3 v República Federal da Alemanha, final do Campeonato da Europa da UEFA de 1976 (como Checoslováquia)
9-8 v Itália, jogo do terceiro e quarto lugar do Campeonato da Europa da UEFA de 1980 (como Checoslováquia)
6-5 v França, meias-finais do EURO '96