Quão brilhante era o holandês Dennis Bergkamp?

O UEFA.com celebra a carreira de Dennis Bergkamp, o arquitecto da Holanda no UEFA EURO 2000.

Dennis Bergkamp escapa-se a Nesta na meia-final do EURO 2000
Dennis Bergkamp escapa-se a Nesta na meia-final do EURO 2000 Popperfoto via Getty Images

Dennis Bergkamp, um avançado elegante, que tinha tanta classe a finalizar como a criar ocasiões para uma selecção holandesa que quase repetiu o sucesso no EURO'88, 12 anos depois.

Resumo: Os melhores golos do  EURO 2000
Resumo: Os melhores golos do EURO 2000

UEFA EURO 2000

• A Holanda foi co-anfitriã na competição de 2000, juntamente com a Bélgica, naquele que seria o primeiro EURO a ser disputado em mais de um país.

• Frank Rijkaard - vencedor do EURO como jogador em 1988 - assumiu o comando de uma equipa que misturava talentos mais jovens como Patrick Kluivert e jogadores experientes como Bergkamp, que participava no terceiro EURO seguido.

O brilhantismo de Bergkamp no EURO 2000
O brilhantismo de Bergkamp no EURO 2000

• Bergkamp, que tinha então um papel mais adiantado no terreno, esteve perto de marcar o primeiro tento ante a República Checa, finalista vencida em 1996, mas seria Frank de Boer a fazê-lo com um penalty perto do final. E foi após um remate do atacante do Arsenal que a bola chegaria a Kluivert, que marcaria o tento inaugural na concludente vitória sobre a Dinamarca, campeã de 1992.

• A dupla Bergkamp-Kluivert revelou-se decisiva com o decorrer do torneio. Foram eles quem construíram o primeiro dos empates na reviravolta que surpreendeu a futura campeã França e que valeria o primeiro lugar no Grupo D. Bergkamp fez duas assistências, incluindo uma para Kluivert, na vitória recorde por 6-1 sobre a Jugoslávia, nos quartos-de-final.

Resumo: O "hat-trick" de Kluivert nos quartos-de-final do EURO 2000
Resumo: O "hat-trick" de Kluivert nos quartos-de-final do EURO 2000

• No entanto, a participação de Bergkamp e da Holanda terminaria numa dramática derrota no desempate por grandes penalidades na meia-final, com os holandeses a falharem dois remates dos 11 metros ante a Itália - naquela que seria a última partida pela selecção de Bergkamp.

O que se calhar não sabe

• O pai de Bergkamp escolheu o nome de Dennis em homenagem ao avançado escocês Denis Law. Os dois irmãos mais velhos insistiram na grafia mais comum.

• O seu jogador favorito quando era miúdo era Glenn Hoddle - que jogou dois EUROs pela Inglaterra - devido "à forma como ele recebia a bola no ar e a controlava. Controlo instantâneo. O seu toque era perfeito".

• Estreou-se no Ajax pela mão de Johan Cruyff, em Dezembro de 1986, com 17 anos e 218 dias - apenas mais duas semanas que aquelas que o seu treinador tinha quando fez o mesmo pelo clube "lanceiro", em Novembro de 1964.

• Um exame escolar de biologia impediu-o de viajar com a equipa do Ajax que disputou uma eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças em Malmö, em Março de 1987, mas acabaria por conseguir rumar à Suécia por outros meios, tendo-se estreado na prova como suplente utilizado.

Dennis Bergkamp  e  Wim Jonk
Dennis Bergkamp e Wim Jonk VI-Images via Getty Images

• Foi apelidado de "holandês não-voador", porque como tinha medo de viajar de avião preferia fazer viagens de comboio e carro sempre que possível.

• O seu famoso golo da vitória à beira do fim nos quartos-de-final do Campeonato do Mundo de 1998 contra a Argentina - que Bergkamp descreveria mais tarde como "perfeito" - fez com que ele tivesse ultrapassado Faas Wilkes para se tornar o melhor marcador de sempre da Holanda, um título que manteve até Kluivert o superar em 2003.

• O vencedor do UEFA EURO 2000, Thierry Henry, afirmou que Bergkamp foi o melhor parceiro de ataque com quem alguma vez jogou, com o holandês a devolver o elogio mais tarde, numa outra entrevista.

O que ele disse

"Deveríamos ter facilmente vencido a Itália para chegar à final. Acho que o nosso jogo não se encaixa no da França. Eles gostavam de ser tecnicamente melhores que os adversários, mas nós éramos tecnicamente melhores que eles. Sabíamos que éramos bons jogadores, mas não conseguimos dar aquele passo extra".

"Marcar golos é, claro, estar lá em cima. Não há nada como aquilo. Mas para mim, mais para o final da carreira, fazer aquela assistência ficou cada vez mais perto desse sentimento".

Resumos: Os melhores golos do EURO 2000
Resumos: Os melhores golos do EURO 2000

O que eles disseram

"Um dos melhores jogadores de sempre da Holanda. Tinha uma técnica maravilhosa e capacidade de marcar golos, mas acima de tudo um grande sentido posicional; ele sabia sempre sabia onde estavam os companheiros de equipa e como chamá-los para o jogo".
Jaap Stam, colega da selecção da Holanda

"Um jogador de futebol extremamente talentoso: inteligente, sempre à procura do espaço entre as linhas e com uma fantástica capacidade de passe.".
Tony Adams, colega no Arsenal

"[Ele] jogava futebol como se tudo fosse um sonho – não conseguíamos imaginar algumas das coisas que ele era capaz de fazer num jogo de futebol."
Peter Schmeichel, guarda-redes da Dinamarca, vencedora do EURO '92

Holanda no seu esplendor: Veja Bergkamp, Kluivert e companhia no EURO 2000
Holanda no seu esplendor: Veja Bergkamp, Kluivert e companhia no EURO 2000

"Um jogador incrível com um talento sublime; sem dúvida o melhor com quem alguma vez joguei. Não marcava apenas grandes golos, mas quando jogava, os seus companheiros marcavam mais."
Ian Wright, colega no Arsenal

"Todos os dias na sua carreira, até o último minuto, ele nunca fazia um passe num treino sem pensar, ou sem colocar nele todas as partes do seu cérebro".
Arsène Wenger, treinador no Arsenal

Números finais

Internacional: 79 jogos, 37 golos
Provas de clubes da UEFA: 94 jogos, 30 golos
Competições domésticas: 640 jogos, 234 golos

Conteúdos relacionados