EURO 1976: Tudo o que precisa de saber

A fase final do Campeonato da Europa de 1976 foi decidido por um penalty famoso. Conheça todos os detalhes da prova.

Ladislav Jurkemik e Anton Ondrus comemoram a vitória da Checoslováquia sobre os Países Baixos no UEFA EURO 1976
Ladislav Jurkemik e Anton Ondrus comemoram a vitória da Checoslováquia sobre os Países Baixos no UEFA EURO 1976 Icon Sport via Getty Images

Quem ganhou o EURO 1976?

O icónico penalty de Antonín Panenka decidiu a final do Campeonato da Europa da UEFA de 1976 a favor da Checoslováquia, após o duelo com a República Federal da Alemanha ter terminado empatado a dois golos após prolongamento no Stadion Estrela Vermelha, em Belgrado. O falhanço de Uli Hoeness no desempate por penalties possibilitou a Panenka decidir este jogo realizado a 20 de Junho, e o médio do Bohemians Praga esteve à altura dos acontecimentos, enganando o guarda-redes Sepp Maier com uma corrida prolongada antes de lhe picar a bola por cima. "Escolho o penalty porque me apercebi que era a forma mais fácil de marcar um golo", disse ao UEFA.com. "É uma receita simples".

Quem foi o melhor marcador do EURO 1976?

Resumo da final do EURO 1976: Checoslovacos surpreendem alemães
Resumo da final do EURO 1976: Checoslovacos surpreendem alemães

O alemão Dieter Müller foi o goleador-mor na fase final, com quatro golos. De forma sensacional, apontou um "hat-trick" no triunfo sobre a Jugoslávia nas meias-finais, naquela que foi a sua estreia pela selecção. Três dias depois, na final, facturou mais um golo. O avançado do Colónia tinha uma percentagem de acerto incrível, mas acabou por realizar apenas 12 jogos pela selecção (marcou um total de nove golos), já que o seu concorrente directo na luta por um lugar era o emblemático goleador Gerd Müller.

Com oito golos, o irlandês Don Givens foi o melhor marcador na fase de qualificação, com o avançado do QPR a iniciar a campanha com um "hat-trick" na vitória por 3-0 sobre a União Soviética, antes de facturar no empate a um golo frente à Turquia. A República da Irlanda não conseguiu passar da fase de grupos, mas Givens, natural de Limerick, despediu-se em grande, tornando-se no único jogador irlandês até ao momento a ter marcado quatro golos pela selecção, na goleada por 4-0 à Turquia em Dublin.

Onde se realizou o EURO 1976?

A fase final de 1976 teve lugar em dois estádios na antiga Jugoslávia. A primeira meia-final (Checoslováquia 3-1 Países Baixos, ap) e o jogo de atribuição do terceiro lugar (Países Baixos 3-2 Jugoslávia, ap) aconteceram no Stadion Maksimir, em Zagreb, actual Croácia. A vitória por 4-2 da República Federal da Alemanha sobre os anfitriões (mais uma vez após prolongamento) e o triunfo checoslovaco na final aconteceram no Stadion Estrela Vermelha, em Belgrado, actual Sérvia.

Quem orientou a equipa vencedora no EURO 1976?

Resumo: Os melhores golos do EURO 1976
Resumo: Os melhores golos do EURO 1976

O improvável sucesso da Checoslováquia foi supervisionado pelo treinador eslovaco Václav Ježek e o seu assistente Jozef Vengloš. Nomeado em 1972 após três épocas nos Países Baixos, ao serviço do ADO Den Haag, Ježek tinha construído a sua reputação como técnico do Sparta Praga, mas a selecção checoslovaca que orientou era dominada por jogadores com ligação a Bratislava. Conta-se que fortaleceu a equipa para o desempate pedindo aos espectadores para assobiarem os seus jogadores quando praticavam a marcação de penalties nos treinos.

Quem foi o capitão vitorioso no EURO 1976?

Anton Ondruš liderou de forma imperial na Jugoslávia: o alto e implacável líbero era uma presença dominante, especialmente no jogo aéreo, tendo marcado nas meias-finais frente aos Países Baixos e no desempate ante a República Federal da Alemanha na fina. O "Beckenbauer do Leste" era um de sete jogadores do Slovan Bratislava entre os 22 convocados de Ježek, mas garantiu que não havia divergências na equipa. "Ele era uma personalidade líder nesta equipa", recorda-se Panenka. "O ambiente na equipa era muito bom; não havia diferenças entre checos e eslovacos".

Qual foi o formato do EURO 1976?

Quatro equipas competiram na fase final, na Jugoslávia, que decorreu entre 16 e 20 de Junho de 1976. Tal como em 1972, as duas meias-finais realizaram-se no mesmo dia, a 16 de Junho, com a Checoslováquia a eliminar os Países Baixos e a República Federal da Alemanha a afastar a equipa da casa. O jogo de atribuição do terceiro lugar aconteceu três dias depois, com os holandeses a vencerem a Jugoslávia em Zagreb, antes da Checoslováquia prevalecer na final de Belgrado, no dia seguinte, após penalties.

Como funcionou a fase de qualificação do EURO 1976?

Veja Müller guiar a República Federal da Alemanha até à final de 1976
Veja Müller guiar a República Federal da Alemanha até à final de 1976

Tal como nas duas edições anteriores, a de 1976 começou com uma fase de grupos de qualificação, com 32 equipas divididas em oito grupos de quatro. As equipas defrontaram-se em casa e fora e o vencedor de cada grupo (a vitória valia dois pontos e o empate um) a seguir para o "play-off". Os vencedores desses embates, a duas mãos, apuraram-se para a fase final.

Qual foi a Equipa do Torneio do EURO 1976?

GR: Ivo Viktor (Checoslováquia)
DF: Anton Ondruš (Checoslováquia)
DF: Ján Pivarník (Checoslováquia)
DF: Ruud Krol (Países Baixos)
DF: Franz Beckenbauer (República Federal da Alemanha)
MD: Antonín Panenka (Checoslováquia)
MD: Jaroslav Pollák (Checoslováquia)
MD: Rainer Bonhof (República Federal da Alemanha)
MD: Dragan Džajić (Jugoslávia)
AV: Zdeněk Nehoda (Checoslováquia)
AV: Dieter Müller (República Federal da Alemanha)

Quem marcou o primeiro golo no EURO 1976?

As duas meias-finais começaram à mesma hora e o primeiro golo em cada uma delas foi apontado aos 19 minutos: da autoria de Anton Ondruš para a Checoslováquia e de Danilo Popivoda para a Jugoslávia. O UEFA.com não tem forma de confirmar qual dos dois aconteceu primeiro.

O golo inaugural na fase de qualificação foi marcado pelo finlandês Timo Rajha, numa derrota caseira por 2-1 frente à Polónia, a 1 de Setembro de 1972. O médio tinha dado nas vistas ao serviço do HJK Helsínquia mas passou a temporada 1974/75 nos holandeses do MVV Maastricht.

Cinco factos-chave sobre o EURO 1976

Veja todos os penalties de Panenka no EURO
Veja todos os penalties de Panenka no EURO

• Os quatro jogos da fase final tiveram prolongamento, fazendo desta edição a mais competitiva na história do EURO, com a final a ser o único destes desafios a ser decidido nos penalties.

• O remate picado de Antonín Panenka que decidiu a final foi o primeiro do género num jogo de selecções, sendo depois várias vezes replicado ao longo dos anos. "Se fosse algo patenteável, eu tinha tratado disso", brincou.

• Panenka treinou bastante para aperfeiçoar a sua forma de cobrar penalties. Após o fim dos treinos, ele e o seu colega guarda-redes no clube ficavam a praticar penalties, apostando "um chocolate ou uma cerveja". Assim que dominou o remate "à Panenka", recorda-se de "ter começado a aumentar de peso, pois ganhava as apostas".

• Franz Beckenbauer somou a 100ª internacionalização na final. Estava previsto Beckenbauer cobrar a quinta tentativa alemã, mas o falhanço de Uli Hoeness e a conversão de Panenka impediram a sua intervenção.

• Os alemães não perdem um desempate por penalties numa grande competição de selecções desde a final do EURO 1976.

Conteúdos relacionados