O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Iniesta apresenta-se em grande forma

Tendo em atenção que Andrés Iniesta ajudou a Espanha a chegar ao topo da modalidade apesar de jogar lesionado, os rivais da "la roja" no Grupo C não ficarão satisfeitos por saber que o médio está "em grande forma".

Andrés Iniesta está finalmente apto a nível físico para um grande torneio de selecções
Andrés Iniesta está finalmente apto a nível físico para um grande torneio de selecções ©Getty Images

No que diz respeito aos rivais da Espanha no Grupo C, Andrés Iniesta disse algo que terá causado calafrios na preparação para o confronto com a Itália, em Gdansk.

Apesar do facto de a Espanha ter ganho os últimos dois torneios de selecções, o UEFA EURO 2008 e o Campeonato do Mundo de 2010, o último deles graças ao glorioso golo da vitória de Iniesta na final, o médio do FC Barcelona admite ter participado nas duas competições afectado por lesões.

A mais famosa foi na final da edição 2009 da UEFA Champions League, frente ao Manchester United FC, quando os médicos do clube estimavam que estivesse a 60 por cento das suas capacidades físicas, devido a uma lesão numa coxa. Insistiu em jogar, confidenciando ao seu pai que só não o faria se a perna caísse.

Essa opção custou-lhe largos períodos da temporada 2009/10 e levou a que partisse para o Mundial com DVDs motivacionais na bagagem, para o ajudarem a melhorar o moral, severamente afectado por várias lesões. No entanto, agora está forte como um touro.

"Sinto-me muito bem, cheio de confiança", disse Iniesta, um dia antes de "la roja" iniciar a defesa do título europeu. "Durante o último EURO e o Mundial, acabei por jogar apesar de ter alguns problemas físicos. Agora sinto-me em grande forma."

Isso ficou evidente durante esta semana, quando a Espanha treinou-se em Gniewino. Num jogo em espaço reduzido, Iniesta marcou quatro golos, esquivando-se a entradas e empurrando sempre a sua equipa para o ataque. Esse momento de forma vai ser necessário no domingo, na Arena Gdansk.

"É um início de prova muito complicado para nós", disse ao UEFA.com. "A Itália possui vários bons jogadores no seu plantel, mas temos de nos concentrar mais em nós do que neles. Precisamos de estar bem, jogar o nosso jogo e esperar que ele se desenvolva bem e de forma rápida. Precisamos de criar ocasiões de golo e concretizá-las. Jogadores como [Andrea] Pirlo, [Mario] Balotelli, [Antonio] Cassano e [Riccardo] Montolivo são de grande qualidade, que é algo com que devemos ter cuidado. Têm uma defesa sólida, que é difícil de quebrar."

Em conversas com os jogadores espanhóis esta semana, principalmente com os mais importantes, surgiu um tema em particular. A ideia de a Espanha relaxar um pouco ou deixar a euforia instalar-se causa pânico a pessoas como Iniesta, Xabi Alonso, Xavi Hernández e Iker Casillas.

"A nossa motivação é a de termos um grande desafio pela frente. Temos a oportunidade de ganhar mais um EURO", explicou Iniesta. "É um desafio agradável, mas sabemos que vai ser difícil. De facto, torna-se cada vez mais difícil ser-se bem-sucedido. Mas temos que ser nós próprios, tentar fazer as coisas bem, e então depois ter uma boa oportunidade."

"Se a Espanha é favorita é porque ganhou os últimos dois títulos importantes. Mas também éramos favoritos antes de os termos conquistado. Sentimo-nos favoritos, mas isso não garante a vitória final."

Conteúdos relacionados