O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Russos lamentam ocasiões desperdiçadas

Um "bastante emotivo" Vyacheslav Malafeev personificou a incredulidade no lado russo após a eliminação, apesar de considerar que "provavelmente a equipa merecia mais" do que a derrota com a Grécia.

Vyacheslav Malafeev estava abalado quanto à forma como a Rússia foi eliminada
Vyacheslav Malafeev estava abalado quanto à forma como a Rússia foi eliminada ©UEFA.com

Uma incredulidade palpável vivia no seio da equipa russa após a derrota, por 1-0, com a Grécia, em Varsóvia, que acabou com o seu percurso no UEFA EURO 2012. O guarda-redes Vyacheslav Malafeev estava particularmente transtornado, ao reflectir sobre o "mau momento" que constituiu o tento de Giorgos Karagounis na primeira parte, enquanto o estreante Denis Glushakov lamentou a falta de sorte na eliminação da equipa.

Vyacheslav Malafeev, guarda-redes da Rússia
Estou muito emotivo de momento e é actualmente difícil falar de uma forma objectiva. Posso começar por dizer que não estou satisfeito com o resultado. Não fizemos o suficiente para merecer a vitória, apesar de, provavelmente, termos jogado melhor do que eles. Também estou desiludido, pois só dependíamos de nós e acabámos com as nossas possibilidades de apuramento.

Não quero falar sobre o golo deles. Toda a gente viu o que aconteceu. Foi um mau momento e, no regresso ao balneário, o ambiente era desagradável, mas a verdade é que tivemos uma parte inteira para mudar o rumo dos acontecimentos. Tentámos, mas, infelizmente, não o conseguimos.

Denis Glushakov, médio da Rússia
A minha estreia não correu bem. A nossa selecção não ganhou e fomos eliminados. É claro que jogámos muito bem no primeiro jogo e ficámos eufóricos. E depois, tivemos algum azar - frente à Polónia e, creio, também aqui. Nunca pensámos que perderíamos. Ninguém na equipa pensou, ainda que levemente, nisso. Todos pensávamos que íamos ganhar. Sabíamos que seria difícil defrontar os gregos, mas o resultado é o que interessa e é o que está lá.

Conteúdos relacionados