O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Irlandeses lamentam erros e elogiam a Espanha

"Sem qualquer dúvida, esta é a melhor equipa que alguma vez defrontámos", disse Keith Andrews, mas os jogadores da República da Irlanda sabem que a derrota também resultou de erros próprios.

A tristeza de Keith Andrews era bem visível na sua cara
A tristeza de Keith Andrews era bem visível na sua cara ©UEFA.com

Os jogadores da República da Irlanda lamentaram o golo que sofreram no início de cada parte da derrota por 4-0 frente à Espanha, numa noite em que as suas esperanças de apuramento no Grupo C se esfumaram por completo. No entanto, em simultâneo não esconderam o seu orgulho pelo espírito demonstrado pelos seus adeptos na Arena Gdansk.

Keith Andrews, médio da República da Irlanda 
Sem qualquer espécie de dúvida, esta é a melhor equipa que alguma vez defrontámos. A maior parte do tempo andámos a correr atrás deles. Nem sequer nos conseguíamos aproximar. Eles são fantásticos. É muito decepcionante. Podemos ouvir os adeptos lá fora. Eles são óptimos para a imagem do país, da selecção e, infelizmente, não conseguimos dar-lhes o que merecem.

Estávamos a jogar pelo orgulho, sem qualquer dúvida, pelos adeptos. Estávamos a jogar para eles e para nós próprios, pelo nosso próprio orgulho. Sabemos que eles viajaram aos milhares e, vejam, ainda os podemos ouvir. É incrível. A sete ou oito minutos do fim, tudo o que se podia ouvir eram os adeptos da Irlanda e nós já estávamos a perder por 3-0 ou 4-0.

Sean St Ledger, defesa da República da Irlanda
Eles são a melhor equipa que alguma vez defrontei e a melhor que alguma vez defrontarei. Mas dificultámos as coisas a nós próprios ao ficarmos a perder por 1-0 desde muito cedo. Quando se defronta uma equipa que mantém a bola tão bem, sabemos que temos que manter as linhas muito juntas.

O pior para nós foi termos sofrido um golo tão cedo na segunda parte. Nos dois jogos, isso foi o que acabou connosco. Com 1-0 é complicado frente à Espanha, mas com um canto, um livre ou um golo em contra-ataque, pode-se voltar ao encontro. Mas quando se chega a 2-0 e eles mantêm a bola da forma que o fazem, então as coisas ficam ainda mais complicadas. Eles foram muito organizados, sabiam tudo a nosso respeito, lutam, têm atitude - é por isso que são campeões mundiais e europeus.

Glenn Whelan, médio da República da Irlanda
Obviamente, são a melhor equipa do Mundo e é isso que se vai esperar deles, mas creio que os golos que sofremos não foram excepcionais, resultaram de erros individuais na altura errada. E é isso que está a dar cabo de nós nesta altura. Gostávamos de pensar que se conseguiríamos aguentar a Espanha o máximo tempo possível, mas, com apenas quatro minutos, já estávamos a perder 1-0 e a correr atrás do prejuízo. E isso é difícil, mas acho que lidámos bem com isso na primeira parte. Depois, pernas cansadas, outro golo oferecido e 2-0. E seria sempre dificílimo depois disso.

Os rapazes estão abatidos. Nunca é bom perder, mas, por outro lado, temos que felicitar a Espanha. São uma equipa de topo e venceram-nos com toda a justiça. Mas agora temos obviamente que nos recompor e partir para o jogo com a Itália esperançados em conseguir alguma coisa de positivo, não apenas para nós, mas também para os adeptos que viajaram para nos apoiar. Eles têm sido excelentes. Nunca pararam de cantar e de nos dar tudo. E só lhes podemos estar gratos por isso porque, bem… É inacreditável. As pessoas falam dos irlandeses e são, sem qualquer dúvida, os melhores adeptos do Mundo.