O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Francês M'Vila não teme nenhum desafio

Yann M'Vila não tem receio dos grandes desafios no UEFA EURO 2012. "Sempre defrontei jogadores mais velhos, por isso não tenho problemas em medir forças com os melhores", afirmou ao UEFA.com.

Yann M'Vila falou ao UEFA.com
Yann M'Vila falou ao UEFA.com ©UEFA.com

Yann M’Vila não mostra facilmente as suas emoções mas, no mês passado, num encontro particular com a Sérvia, quando era assistido no banco de suplentes depois de sofrer uma lesão num tornozelo, deixou cair a máscara de duro e não conseguiu controlar as lágrimas.

"Naquele momento pensei que tinha acabado de perder as hipóteses de participar no UEFA EURO 2012", explicou o médio-defensivo do Stade Rennais FC ao UEFA.com. "Comecei a pensar no meu futuro. Para eu sair de campo tinha de ser uma lesão grave. A última vez que me tinha acontecido algo semelhante fiquei seis semanas sem jogar. Passou tudo pela minha cabeça e de fiquei consternado".

A antiga lesão a que M'Vila se refere aconteceu quando ele era criança. Desde Agosto de 2009, quando fez a estreia Ligue 1, não falhou qualquer jogo do Rennes por lesão. Totalista na época passada, o jovem de 21 anos já disputou 110 jogos na primeira divisão.

Depois de ficar de fora do jogo de estreia no Grupo D frente á Inglaterra, M'Vila completou a sua recuperação na sexta-feira, quando entrou para o lugar de Yohan Cabaye aos 67 minutos do triunfo por 2-0 sobre a Ucrânia e somou a 20ª internacionalização. “Foi o ponto alto da minha carreira", afirmou o entusiasmado M'Vila. "Participar num jogo tão importante, frente a um dos co-organizadores, é algo que jamais vou esquecer."

M’Vila não pareceu nervoso e encaixou sem problemas no meio-campo, contribuindo com uma série de bons desarmes e passes para ajudar os franceses a confirmarem o triunfo. É algo que os adeptos franceses estão habituados a ver desde que Blanc promoveu a estreia do jovem, há cerca de dois anos, frente à Noruega. M'Vila tem uma explicação simples para a boa forma na selecção, afirmando: "Sempre joguei da mesma forma, tenho sorte porque nunca fico nervoso. Quando era criança sempre defrontei jogadores mais velhos, por isso não tenho problemas em medir forças com os melhores. Esqueço a pressão e limito-me a joga."

O estilo musculado, prático e eficaz motivou comparações com os compatriotas Patrick Vieira e Claude Makelele, o que lhe provoca sempre um sorriso. "São dois grandes ídolos", confessou. "Quando era mais novo gostava muito de os ver jogar, eram a melhor dupla de médios que havia. Entre os jogadores actuais, gosto muito do Xabi Alonso, que é um exemplo para qualquer jovem médio-defensivo."

Tal como faz o jogador do Real Madrid CF, M'Vila jogo não se limita a desarmar os adversários. "O meu papel é recuperar o máximo possível de bolas, mas também lançar a equipa no ataque com bons passes. Tento fazer aquilo que o treinador do Rennes, Frédéric Antonetti, chama um ‘passe da UEFA Champions League’. São passes que colocam rapidamente a bola numa posição atacante". Com M'Vila recuperado fisicamente, a roubar bolas e a fazer “passes da UEFA 'Champions League” Blanc tem uma boa dor de cabeça para fazer a equipa para o encontro de terça-feira com a Suécia.