O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Irlanda lambe feridas

O marcador do golo da República da Irlanda, Sean St Ledger, lamentou os "golo algo consentidos" que a sua equipa sofreu e que ditaram a derrota por 3-1 ante a Croácia, enquanto o lateral Stephen Ward falou da falta de sorte.

Damien Duff lamenta a derrota, enquanto Jon Walters aplaude os adeptos
Damien Duff lamenta a derrota, enquanto Jon Walters aplaude os adeptos ©AFP/Getty Images

O marcador do golo da República da Irlanda, Sean St Ledger, lamentou os "golo algo consentidos" que a sua equipa sofreu e que ditaram a derrota por 3-1 no Grupo C, ante a Croácia, em Gdansk. Foi a primeira vez que os irlandeses sofrerem três golos numa grande competição, enquanto o lateral Stephen Ward lamentou a falta de sorte.

Sean St Ledger, defesa da República da Irlanda
Sofremos golos algo consentidos, o que não é costume, pois costumamos ser assertivos lá atrás. Na segunda parte, sabíamos que tínhamos de sair e [naquela altura] o golo deles foi importante e quando se está a perder por 3-1 ante uma equipa como a Croácia é sempre complicado. Foi pouco habitual o que aconteceu hoje, os golos que sofremos; não diria que foi a Croácia que fez com que falhássemos. Do nosso ponto de vista, foram golos muito consentidos.

É sempre bom marcar, mas perdemos que é o que importa aqui. Independentemente de ter marcado, perdemos o jogo. Temos mais dois jogos para fazer, contra duas grandes equipas. É sempre importante começar bem, mas desta vez não aconteceu; temos de dar mérito à Croácia, são uma boa equipa, cheia de talento.

Os adeptos no estádio foram magníficos, não me ouvia a mim quando marquei o golo e espero que fiquem connosco para o resto dos jogos.

Stephen Ward, defesa da República da Irlanda
Estou muito triste porque jogámos bem, mas a sorte que precisávamos virou-nos as costas. Foi um jogo difícil contra um grande adversário. Foi uma grande batalha [na segunda parte] mas não conseguimos espaço, pois as equipas estavam encaixadas uma na outra. O terceiro golo sofrido a seguir ao intervalo foi um grande cabeceamento, mas tiveram a sorte de bater na cabeça do Shay [Given].

O apoio dos adeptos que nos seguiram foi fantástico e sentimos que eles deram tudo. [Contra a Espanha] não temos nada a perder, pelo que, na quinta-feira, resta-nos entrar em campo e esperar que tenhamos um pouco mais sorte, para a seguir jogarmos contra a Itália ainda com hipóteses de nos apurarmos.

Jonathan Walters, avançado da República da Irlanda
Estamos trsites com o resultado, mas temos de o esquecer depressa. Temos dois grandes jogos a seguir e tudo pode acontecer, espero que da próxima seja a nosso favor. Sofremos um golo muito cedo e os outros dois, antes e depois do intervalo, que acabaram com o jogo. Temos que reagir e levantar a cabeça.