O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Obraniak e Polónia enfrentam duelo final

O avançado Ludovic Obraniak disse ao UEFA.com que o jogo da co-anfitriã Polónia no Grupo A, frente à República Checa, no sábado, é "como uma final, mas podemos vencer".

Ludovic Obraniak fala ao UEFA.com
Ludovic Obraniak fala ao UEFA.com ©Sportsfile

Depois do empate emocionante com a Rússia, os avançados polacos Robert Lewandowski e Ludovic Obraniak já olham para "uma final" frente à República Checa, com o prémio a ser o apuramento para os quartos-de-final do UEFA EURO 2012.

Mais de 5000 adeptos receberam os heróis polacos no KSP Polonia Warzsawa Stadium, para o seu terceiro treino aberto ao público, e apesar de os jogadores estarem felizes pelo carinho recebido pela exibição da noite anterior, já estão concentrados no jogo de sábado, em Wroclaw.

"Estou muito feliz por termos jogado tão bem frente à Rússia", disse Obrianak ao UEFA.com. "Foi muito melhor do que no primeiro jogo, com a Grécia, e se jogarmos assim novamente, penso que temos boas hipóteses frente à República Checa. O último jogo da fase de grupos é agora de vida ou morte, mas estamos prontos para este desafio. É como uma final, mas uma que podemos ganhar. Esperamos um grande ambiente em Wroclaw e, se tudo correr bem, alcançarmos o resultado que todos os polacos desejam."

Apesar de não ter marcado frente à Rússia, o ónus de marcar golos aos checos vai recair sobre o avançado Lewandowski, o talismã da equipa. No entanto, o jogador do Borussia Dortmund está mais do que feliz com essa responsabilidade.

"Não foi fácil ser o avançado isolado frente à Rússia, mas acredito que podemos marcar os golos que precisamos frente à República Checa", disse Lewandowski. "De certa forma, o resultado com a Rússia não importava, porque de qualquer maneira tínhamos de vencer o jogo seguinte. No entanto, o resultado deu-nos muito mais confiança e agora o desafio é marcar mais um golo que os checos.

"Sabemos como os checos são bons e respeitamo-los", acrescentou. "Penso que mostrámos frente à Rússia que conseguimos aguentar durante 90 minutos. Agora esperamos marcar os golos necessários para seguir em frente. Acredito que vamos conseguir."

Entretanto, o médico da equipa, Mariusz Urban, confirmou que os três jogadores que se lesionaram frente à Rússia têm 50 por cento de hipóteses de recuperar a tempo para a partida de sábado. Damien Perquis levou vários toques no ombro esquerdo, o mesmo que tinha fracturado ao serviço do FC Sochaux-Montbéliard, em Março, com o defesa a envergar igualmente uma coxa elástica para debelar uma lesão na perna. Quanto aos médios Eugen Polanksi e Dariusz Dudka, tentam recuperar de problemas no joelho e no estômago, respectivamente.