O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Hamrén feliz com despedida sueca

Erik Hamrén elogiou a "exibição incrivelmente boa" da Suécia, mas teve sentimentos díspares sobre o triunfo sobre a França, cujo desempenho foi qualificado por Laurent Blanc como "fraco".

Erik Hamrén festeja o triunfo sueco
Erik Hamrén festeja o triunfo sueco ©AFP/Getty Images

A Suécia despediu-se do UEFA EURO 2012 com a honra de ter derrotado a França, por 2-0, pelo que o seleccionador Erik Hamrén estava feliz por ter oferecido uma vitória aos seus adeptos - e aos funcionários do hotel onde a selecção nórdica estava hospedada, mas, por outro lado, triste por o seu conjunto não poder ir mais longe na prova. Laurent Blanc surgiu claramente frustrado, pese embora a sua selecção ter conseguido o apuramento para os quartos-de-final. A queda para o segundo lugar do Grupo D significou, contudo, um encontro, no sábado, em Donetsk, com a detentora do troféu, Espanha.

Erik Hamrén, seleccionador da Suécia
De momento, tenho sentimentos díspares. Devemos estar satisfeitos pelo triunfo de hoje, pois defrontámos uma selecção forte, uma vez que não perdia há 23 jogos. E isto mostra bem aquilo que se nos deparava. Fizemos uma exibição incrivelmente boa. Criámos uma margem mínima, que talvez não tenhamos conseguido nos jogos anteriores. E isso é algo que é necessário para se ganharem jogos. Portanto, há alegria e orgulho por este encontro em concreto. É bom para a nossa auto-estima e para os nossos fantásticos adeptos.

Ainda assim, há alguma tristeza em todos nós, porque sentimos que queríamos mesmo continuar na prova por mais algum tempo. A nossa ambição era a de chegarmos mais longe, mas não o conseguimos e, isso, é claro, magoa-nos um pouco. No entanto, também já sabíamos disso antes deste encontro, o que torna este jogo num feito ainda maior por termos conseguido este desfecho.

Gostámos mesmo da nossa estadia em Kiev, num hotel e com pessoas fantásticas. Quando deixámos o hotel, foi como quando deixamos os amigos. Também foi um grande jogo para eles, e não somente para nós e os nossos adeptos, pois creio que eles partilham da nossa alegria. Estamos decepcionados por termos de sair, mas é a vida.

Laurent Blanc, seleccionador de França
Estávamos preparados para um jogo difícil. Se nós pensávamos que iria ser tão difícil como acabou por ser? Não, não estávamos à espera. Fomos fracos em determinadas zonas do campo e demasiado fracos nos desarmes. A Suécia aplicou-se ao máximo neste encontro, estavam melhor preparados fisicamente e têm um jogador que pode fazer a diferença - vários factores conjugados significaram que não podíamos vencer. Estamos muito decepcionados. Tivemos dificuldades durante toda a partida, mas criámos problemas à Suécia. Foi um jogo muito aberto. Poder-se-ia pensar que se tratavam de duas equipas a lutar pelo apuramento, mas apenas houve uma equipa em campo e que venceu e que foi a Suécia.

Não creio que tivéssemos tido dificuldades em partir para o ataque. Tivemos problemas na defesa e no meio-campo. A Suécia causou um grande impacto físico. Esperávamos que, na segunda parte, a sua intensidade caísse, mas não foi isso que aconteceu. Demos muitos espaços, mas também criámos várias ocasiões, pelo que o resultado poderia ter sido 1-1, 2-1 ou mesmo 2-2.

Creio que se deve ser sempre optimista. É claro que estamos decepcionados com o resultado, pois queríamos um resultado diferente. Estamos desiludidos, mas o mais importante é que qualificámo-nos para os quartos-de-final. Precisamos de continuar optimistas, não facilitámos as coisas para nós próprios, pois, actualmente, defrontar a Espanha não é propriamente o mais fácil. Precisamos de estar frescos e precisamos de uma boa exibição para derrotarmos a Espanha. Iremos concentrar-nos e lutar. Amanhã estaremos mais optimistas do que esta noite e espero que, no sábado, estejamos a um nível mais alto do que o de hoje.