O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Eficácia de Cole ajuda Inglaterra a passar

Uma exibição acertada do defesa-esquerdo inglês Ashley Cole valeu-lhe a liderança do Índice Castrol EDGE, com os comandados de Roy Hodgson a baterem a Ucrânia para vencerem o Grupo D.

Ashley Cole disputa a posse de bola com Denys Garmash na Donbass Arena
Ashley Cole disputa a posse de bola com Denys Garmash na Donbass Arena ©Getty Images

Na noite em que os comandados de Roy Hodgson bateram a Ucrânia, em Donbass, para garantir o 1º lugar do Grupo D, o lateral esquerdo Ashley Cole assinou uma actividade muito tranquila que o fez subir no Índice Castrol EDGE.

Para enfrentar a co-anfitriã Ucrânia em plena Donbass Arena, a Inglaterra precisaria de muita segurança defensiva, e foi o seu defesa mais rodado, Ashley Cole, quem conseguiu destacar-se e se guindou ao topo do Índice Castrol EDGE.

O lateral esquerdo do Chelsea FC justificou a sua nota de 9.51 com a sua tranquilizadora exibição na linha defensiva inglesa, perante a pressão intensa a que os visitantes eram submetidos pelos anfitriões, que precisavam de ganhar para passar a fase de grupos. A nota de Cole é resultado das constantes recuperações da bola, que o levou a desarmar, por quatro vezes, os adversários e a travar uma série de ataques dos ucranianos.

Tendo de enfrentar uma dupla perigosa, formada pelo extremo Andriy Yarmolenko e pelo lateral Yevhen Selin, que gosta de se adiantar no terreno, o inglês, de 31 anos, fez bom uso dos 10.4 km percorridos e anulou a ameaça do flanco direito ucraniano, ajudando a Inglaterra a não sofrer golos e a aproveitar a vitória, por 1-0, para subir ao topo da liderança do Grupo D.

Além de de se destacar nas tarefas defensivas, o lateral também deixou a sua marca na outra ponta do campo. Depois de ter ganhado uma bola na grande-área ucraniana, na segunda parte, o seu cruzamento rasteiro criou perigo, obrigando Andriy Pyatov a ceder um canto – caso contrário, seria o primeiro tento do esquerdino com a camisola inglesa, ao fim de 97 internacionalizações. O recorde continua a pertencer a Gary Neville, com 85.

O segundo lugar do Índice cabe a Wayne Rooney, graças ao seu golo e a mais três lances de perigo que criou, que lhe valeram a nota d9.19, ao passo que o terceiro pertence ao defesa John Terry, devido a uma nota de 9.07 que muito se fica a dever ao lance em que cortou uma bola mesmo em cima da baliza, mantendo a vantagem inglesa no marcador.

Índice Castrol Edge (Inglaterra - Ucrânia)
1. Ashley Cole (ENG) 9.51
2. Wayne Rooney (ENG) 9.18
3. John Terry (ENG) 9.07
4. Yarolsav Rakitiskiy (UKR) 8.60
5. Joe Hart (ENG) 8.32

Dados essenciais
0 – A Ucrânia ainda não venceu qualquer jogo em Donetsk. A série chega agora às sete partidas e inclui cinco derrotas e apenas dois jogos em que marcou golos.
6 – A Inglaterra fez subir para seis o número de jogos, entre os últimos oito que disputou em fases finais dos Campeonatos da Europa UEFA, em que conseguiu marcar um golo logo à primeira tentativa.
6 – A Inglaterra venceu seis jogos, na temporada 2011/12, por 1-0, mais do que em qualquer outra temporada da sua história.
673 – O golo de Wayne Rooney pôs fim a um período de 673 minutos sem um golo marcado, numa das grandes competições.

Perspectiva do jogador
Steven Gerrard: “Ficámos neste Grupo, um Grupo difícil, mas a ideia era tentar vencê-lo. Ninguém acreditava em nós, de início, mas estamos a ganhar balanço a cada partida. A exibição não foi fantástica, mas trabalhámos muito e conseguimos o resultado que queríamos”.