O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Bonucci pronto para Inglaterra à italiana

Leonardo Bonucci explica por que razão acha que a Inglaterra é agora uma selecção mais à imagem da italiana e diz quais os avançados que preferia ter pela frente quando defrontar os ingleses.

Bonucci pronto para Inglaterra à italiana
Bonucci pronto para Inglaterra à italiana ©uefa.com 1998-2012. All rights reserved.

Leonardo Bonucci tem vivido um ano inesquecível. Nesta sua segunda temporada na Juventus, afirmou-se como habitual titular, conquistou o "scudetto" e vê-se agora a actuar pela Itália no UEFA EURO 2012. À conversa com o UEFA.com, o defesa-central falou sobre o adversário do próximo domingo, nos quartos-de-final, e sobre o que significa para si representar o seu país.

UEFA.com: Como avalia a prestação da Itália, até ao momento, neste UEFA EURO 2012?

Leonardo Bonucci: Jogámos muito bem frente à Espanha, no nosso primeiro jogo, mas depois tivemos alguns problemas frente à Croácia, embora nunca tenhamos estado verdadeiramente em perigo. Frente à Irlanda, foi um jogo estranho, porque eles tentaram surpreender-nos com bolas longas e nós tivemos alguma dificuldade em nos adaptar-mos, mas garantimos a vitória de que necessitávamos.

UEFA.com: Como jogador da Juventus, conhece, naturalmente, muito bem Giorgio Chiellini. Como é que a Itália vai sentir a sua ausência?

Bonucci: O Chiellini vai, definitivamente, fazer-nos falta. É um jogador carismático, agressivo, um dos líderes da equipa e não o ter connosco em campo é, naturalmente, um aspecto negativo para nós. Mas vamos procurar superar isso com outras características. Esta equipa gosta de jogar um bom futebol, agressivo, e é isso que vamos tentar fazer, mesmo sem ele em campo.

UEFA.com: O que acha da selecção de Inglaterra? Quais os seus pontos fortes e a que jogadores terão de dar maior atenção?

Bonucci: Nos últimos tempos, a Inglaterra passou a ter uma abordagem ao jogo mais parecida com a italiana, talvez por ter tido Capello como treinador. É, agora, uma selecção que se concentra mais na defesa e procura surpreender os adversários em contra-ataque, com a velocidade de jogadores como [Theo] Walcott, [Wayne] Rooney ou  [Danny] Welbeck. Depois, têm também [Andy] Carroll, um avançado alto, muito bom no futebol aéreo, que lhes oferece a possibilidade de jogar pelo ar e segurar a bola à espera de apoio.

UEFA.com: Como defesa, que género de avançado prefere ter pela frente? Um Andy Carroll, ou um avançado mais pequeno, rápido e com boa técnica?

Bonucci: Se pudesse escolher, diria que prefiro jogar contra Rooney e Welbeck. Não são, de todo, fáceis de marcar - Rooney é mesmo um dos melhores jogadores do mundo, capaz de vencer um jogo sozinho - mas se for bem marcado até ele sente dificuldades.

UEFA.com: Tem sido um ano incrível para si, a nível pessoal. Imaginava que as coisas iam correr assim tão bem?

Bonucci: Esperava que sim. O arranque da temporada não foi fácil, porque tive umas férias demasiado longas e não me encontrava na melhor forma física. Tive algumas dificuldades e chegou mesmo a haver rumores de transferências, mas acabei por ficar na Juventus e sagrei-me campeão italiano. Agora, recuperei a titularidade na selecção nacional e espero que consigamos ir o mais longe possível.

UEFA.com: O que sente ao vestir a camisola da selecção de Itália?

Bonucci: Sinto um grande orgulho. Não digo que me torne um jogador diferente do que sou, mas entro em campo disposto a dar tudo pelo meu país. Estou pronto para cuspir sangue em defesa da Itália.