O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Espanha de Casillas parte do zero

Após uma fase de grupos difícil, o capitão da Espanha, Iker Casillas, disse ao UEFA.com que "ninguém se lembrará do que fizeram antes", agora que se entrou na fase do "tudo ou nada" no EURO 2012.

Espanha de Casillas parte do zero
Espanha de Casillas parte do zero ©uefa.com 1998-2012. All rights reserved.

Com apenas 31 anos, Iker Casillas já é uma lenda do futebol espanhol. É o capitão da selecção e é o jogador que mais vezes envergou "la roja", por um recorde de 134 ocasiões. Contudo, o vencedor do UEFA EURO 2008 e do Mundial de 2010 continua a ser um elemento determinante na selecção actual, como mostrou ao deter um cabeceamento de Ivan Rakitić no decisivo triunfo, por 1-0, sobre a Croácia para o Grupo C, que apurou a selecção de Vicente del Bosque para os quartos-de-final. Perspectivando o duelo ante a França nos quartos-de-final, o Nº1 do Real Madrid CF e da selecção espanhola falou o UEFA.com.

UEFA.com: O facto de a Espanha nunca ter derrotado a França em jogos oficiais nada significa. Certo ou errado?

Iker Casillas: Creio que não faz sentido olhar para os dados estatísticos ou resultados do passado. Estas coisas mudam de um momento para o outro. É verdade que a Espanha nunca venceu a França, mas é isso que tentaremos fazer agora. No entanto, não é nisso que iremos pensar. Pensaremos que temos um objectivo, que é o de passar esta fase e chegar às meias-finais do Campeonato da Europa.

UEFA.com: Isso deve-se, em parte, à defesa que fez ao cabeceamento de Ivan Rakitić frente à Croácia. Foi uma defesa difícil?

Casillas: Bem, não foi uma defesa difícil. Talvez tenha sido um pouco espectacular, mas eu estava na trajectória da bola, mesmo a meio da baliza, e foi um daqueles saltos instintivos com os quais esperamos poder desviar a bola. Caso o Rakitić tivesse cabeceado para qualquer um dos lados, provavelmente eu não teria tido hipóteses de defendê-la.

UEFA.com: Aquele encontro frente à Croácia foi difícil. A Espanha escolheu uma boa altura para mostrar que está viva...

Casillas: Foi mais como encontrar-nos a nós próprios de novo ao nos apurarmos para a fase seguinte - a fase do tudo ou nada. Ninguém se recordará daquilo que fizemos antes, que jogámos bem contra a Itália ou mal ante a Croácia. As pessoas recordar-se-ão aquilo que fizermos ronda a ronda. É claro que o nosso objectivo é derrotar a França e depois logo veremos o que se sucede.

UEFA.com: Sente-se devidamente apreciado pela imprensa do seu país?

Casillas: A verdade é que elevámos muito o nível. Nos últimos anos, tornámo-nos campeões europeus e mundiais e agora as pessoas exigem isso de novo. Mas devem recordar-se que não é assim tão fácil. Há outras selecções nacionais que também estão a mudar e a reconstruírem as suas equipas, o que também é um factor a ter em conta. Contudo, afortunadamente, creio que ainda temos o necessário por muitos anos, ainda.

UEFA.com: Pode descrever o que sente ao vestir a camisola de Espanha?

Casillas: Responsabilidade. Orgulho. Satisfação. Alegria. Empenho. Respeito por todos quantos me antecederam. Uma infinidade de adjectivos e fazer tudo pelos adeptos espanhóis.