O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Srna vive o sonho da Croácia

Depois de ver a Croácia ficar no Grupo C, o mesmo da Espanha, o capitão Darijo Srna disse que enfrentar a selecção campeã europeia e mundial é "o sonho de qualquer jogador".

Mario Mandžukić (à esquerda) e Darijo Srna festejam a qualificação da Croácia para o UEFA EURO 2012
Mario Mandžukić (à esquerda) e Darijo Srna festejam a qualificação da Croácia para o UEFA EURO 2012 ©Getty Images

Tendo ficado incluída no Grupo C ao lado da Espanha e da Itália, campeãs da Europa e do Mundo, a Croácia não pode propriamente ter ficado satisfeita com o resultado do sorteio da fase final do UEFA EURO 2012, mas, ainda assim, o capitão Darijo Srna encontra motivos para sorrir.

Igualmente capitão do FC Shakhtar Donetsk, Srna, de 29 anos, podia ter desistido de quaisquer pretensões de chegar aos quartos-de-final da prova após ver o resultado do sorteio, mas, apesar de reconhecer dificuldades, está entusiasmado com a oportunidade que se apresenta aos homens de Slaven Bilić.

"O nosso grupo não é mau", disse ao UEFA.com. "Jogar contra a Espanha é o sonho de qualquer jogador. Depois há a Itália e a República da Irlanda: o mundo inteiro vai estar a ver esses jogos e podemos alcançar a fase a eliminar. A Espanha é favorita para vencer o EURO, mas o nosso encontro com eles será interessante. E o nosso primeiro jogo, ante a Irlanda, será muito perigoso; têm um excelente treinador em Giovanni Trapattoni. Penso que vai ser bom para nós; precisamos de vencer esse jogo."

A única frustração depois do sorteio é o facto de a sua equipa jogar em Poznan e em Gdansk, na Polónia, e não no país adoptivo de Srna e onde trabalha. "Tenho muita pena de não irmos jogar na minha Ucrânia", revelou. "Tínhamos o centro de treinos do Shakhtar como nossa primeira escolha, mas agora já não é opção, pois fica demasiado longe de Poznan. Teríamos ficado com um ambiente perfeito."

"Talvez mais adeptos da Croácia venham à Polónia, porque fica mais perto do que a Ucrânia, mas os nossos adeptos seguir-nos-iam até ao fim do mundo.”

A Croácia recompensou a deslocação dos seus adeptos com uma vitória por 3-0 na segunda mão do "play-off", na Turquia, depois do empate a zero em casa, tendo o acesso à fase final ajudado a apagar as recordações de uma fase de apuramento cheia de altos e baixos. "Fico feliz por termos acabado desta maneira e por termos chegado à fase final através do 'play-off'", disse Srna. "Mostrámos muita personalidade. Nunca tínhamos estado tão pressionados e isso só dá valor ao resultado que conseguimos."

A fase final do EURO, no próximo Verão, vai parecer ainda mais importante a Srna, agora que o Shakhtar foi eliminado da UEFA Champions League e das provas europeias ao terminar no último lugar de um grupo que incluía o FC Porto, formação que transitou para a UEFA Europa League. "Não é o fim do Mundo", garantiu. "Estamos a dar o máximo, o nosso presidente e o treinador sabem-no. Na próxima época voltaremos a tentar."

Além disso, apesar de clubes como o Chelsea FC ou o FC Barcelona já se terem mostrado interessados nos seus serviços no passado, Srna insiste que nunca se arrependeu de se ingressar nos "mineiros" depois de sair do HNK Hajduk Split, em 2003.

"É muito bom jogar e viver em Donetsk; as pessoas aqui são loucas por futebol. Temos condições que muitos grandes clubes da Europa não conseguem igualar", comentou, acrescentando que não se arrepende de "nunca ter jogado num grande clube da Europa ocidental. Nunca me arrependerei. Se pudesse repetir a minha carreira, faria tudo igual.".

"Tenho orgulho no que consegui. Vim para cá quando o clube estava numa fase má", acrescentou o internacional croata. Agora está entre os melhores clubes da Europa e sou o capitão de equipa há cinco anos. Ganhei muitos troféus, estive na Equipa da Semana da UEFA Champions League na temporada passada e tudo com o Shakhtar. É muito mais difícil conseguir isso a jogar no Shakhtar do que no Barcelona. É um feito que me honra muito."