Lisboa parou para saudar regresso de Portugal

Milhares de pessoas juntaram-se em Lisboa para receberem calorosamente os jogadores de Portugal no regresso a casa menos de 24 horas após terem conquistado o UEFA EURO 2016.

Fernando Santos e Cristiano Ronaldo saem do avião com o troféu Henri Delaunay nas mãos
©AFP/Getty Images

Eram precisamente 12h40 quando aterrou no Aeroporto Humberto Delgado, escoltado por dois F-16 da força aérea portuguesa, o avião que transportou a selecção de Portugal de regresso ao país após a histórica conquista do UEFA EURO 2016.

Ao tocar no solo, a aeronave foi bombardeada por dois canhões de água com as cores da bandeira portuguesa, verde e vermelho, momento que assinalou o início das festividades. O capitão Cristiano Ronaldo e o seleccionador Fernando Santos foram os primeiros a sair do avião, segurando cada um na sua asa da Taça Henri Delaunay, para alegria dos muitos adeptos que se amontoavam já dentro e ao redor do aeroporto.

Com o sorriso bem estampado no rosto, a restante comitiva foi saindo do avião e, ao som de "A Minha Casinha", dos Xutos e Pontapés, música que acabou por se tornar no hino desta campanha vitoriosa em França, subiu de imediato para dois autocarros descapotáveis rumo ao ponto de paragem seguinte: o Palácio de Belém, onde foram condecorados pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Acompanhados por milhares de adeptos que fizeram questão de fazer o trajecto junto dos seus heróis, os jogadores não se cansaram de acenar, sorrir e exibir o troféu, com Ronaldo a liderar os cânticos, agarrado o microfone, e ostentando uma bandeira da Madeira ao pescoço e outra de Portugal à cintura.

Já no Palácio de Belém, Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de elogiar o desempenho de cada elemento. "O exemplo do que é ganhar com coragem, determinação, capacidade de luta, humildade, e espírito de equipa. Graças a vocês, temos hoje mais razões para acreditarmos em Portugal”, disse o Presidente da República. Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), também falou: “Tínhamos a convicção de que era possível fazer algo de positivo e que poderíamos ser pioneiros na conquista de títulos europeus. Neste momento de enorme satisfação deixo uma palavra de enorme agradecimento ao povo português e aos emigrantes portugueses.”

Após esse tributo em Belém, os autocarros rumaram ao Futebol Park, na Alameda Dom Afonso Henriques, passando por alguns dos mais carismáticos locais das ruas de Lisboa, nomeadamente Praça Marquês de Pombal, Avenida da Liberdade e Rossio. Mais uma vez, milhares de pessoas acenaram com cachecóis e gritaram por Portugal.

Um dos momentos mais especiais do trajecto aconteceu quando os autocarros passaram junto à antiga sede da FPF, na Rua Alexadre Herculano, onde se encontra uma faixa de homenagem a Eusébio da Silva Ferreira com a frase “os génios nunca morrem”. Os jogadores portugueses fizeram questão de parar e cantar “Eusébio, tu és o nosso rei”.

A chegada à Alameda Dom Afonso Henriques, onde novo mar de gente esperava os jogadores, ocorreu às 16h20. “Esta é seguramente a vitória dos portugueses e de Portugal", disse o seleccionador Fernando Santos. "É um orgulho ser desta nação. Viva Portugal, vivam os heróis de Portugal que estão aqui ao meu lado. Muito obrigado ao povo português.”.

Depois foi a vez de Ronaldo falar. “Estes jogadores, este treinador, este 'staff' merecem. Entrámos na história de Portugal, fomos os primeiros a ganhar uma prova importante para o nosso país, mas vocês merecem porque sempre acreditam", disse o capitão da "selecção das quinas", que depressa passou o microfone ao herói de Saint-Denis, Eder.

“Obrigado a todos por este momento. Estamos muito contentes. Demos tudo em campo por vocês e sabemos que estiveram sempre connosco. Agora é desfrutar deste momento e celebrar todos os dias. Hoje é feriado”, afirmou o autor do golo da vitória sobre a França na final, por 1-0, antes de os festejos prosseguirem com Nani e o jovem Renato Sanches a mostrarem talento na arte do beatbox.

A festa junto dos adeptos teve início ontem, aquando do regresso da equipa a Marcoussis, o quartel-general durante o torneio, onde os muitos emigrantes portugueses em França que sempre acompanharam a selecção fizeram questão de esperar até às 3h00 da manhã para saudarem os novos campeões da Europa.

©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images

©AFP/Getty Images

©AFP/Getty Images

©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
Topo