O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Gales numa "posição incrível" após vencer a Bélgica

O seleccionador do País de Gales falou de um triunfo "indescritível", enquanto Hal Robson-Kanu, melhor em campo, ficou "nas nuvens"; do lado belga, Marc Wilmots lamentou o "receio" da sua equipa.

Veja a soberba exibição de Gales, incluindo a finta de Hal Robson-Kanu a lembrar Cruyff no segundo golo, na categórica vitória sobre a Bélgica, nos quartos-de-final.
Veja a soberba exibição de Gales, incluindo a finta de Hal Robson-Kanu a lembrar Cruyff no segundo golo, na categórica vitória sobre a Bélgica, nos quartos-de-final.

Chris Coleman, seleccionador do País de Gales
Todos sonhamos com noites como esta. Nunca sabemos que vamos ter a qualidade ou a sorte necessárias para viver uma noite assim. É indescritível viver esta experiência.

Há quatro anos não poderíamos estar mais longe deste momento. É um grande exemplo de crença e trabalho intenso. Foi isso que fizemos a agora estamos numa posição incrível.

Quando se joga contra uma equipa tão boa como a Bélgica, tudo o que não queremos é sofrer um golo nos primeiros minutos. Sabemos que se colocarmos muita gente no ataque, eles vão aproveitar mas, depois de eles marcarem e dos nosso piores receios se concretizarem, dominámos o resto da primeira parte.

Consigo imaginar três milhões de pessoas no nosso país a enlouquecerem. Sei que minha equipa tem qualidade suficiente para dar luta a qualquer adversário. Temos de abordar o próximo jogo como fizemos com todos os outros. Não penso em ganhar esta competição. O grande desafio somos nós próprios e colocar os nossos futebolistas a jogarem sem receio.

Hal Robson-Kanu comemora o golo que marcou
Hal Robson-Kanu comemora o golo que marcou©AFP/Getty Images

Hal Robson-Kanu, avançado do País de Gales e Melhor em Campo
Estamos nas nuvens. Há muitos anos que trabalhamos para isto. É em noites como esta que aproveitamos as oportunidades e recebemos as recompensas. Estamos muito satisfeitos por deixar toda uma nação orgulhosa.

Nunca fomos favoritos, nem na qualificação, mas sabíamos da qualidade do nosso grupo e temos estado a jogar a bom nível. A exibição que fizemos hoje é mérito de todos os envolvidos. Temos outro jogo e vamos leva-lo a sério.

Marc Wilmots, seleccionador da Bélgica
Acho que tínhamos um bom plano de jogo, dominámos nos primeiros 20 a 25 minutos mas, de repente, recuámos 15 metros. Talvez estivéssemos preocupados com o espaço nas costas.

A desilusão dos belgas após o apito final
A desilusão dos belgas após o apito final©AFP/Getty Images

Nos últimos três jogos não tínhamos sofrido golos. Cometemos erros que devíamos ter evitado. Talvez seja receio, porque são jovens, mas eu sou o responsável por isso.

Coloquei em campo o Marouane Fellaini e, durante 15 a 20 minutos, controlámos a segunda parte. Fomos surpreendidos no segundo golo, que não devia ter acontecido, mas depois podíamos ter feito o 2-2.

Temos uma média etária muito baixa, mas éramos considerados um dos favoritos. Queremos sempre chegar mais longe, mas cometemos demasiados erros para bater uma excelente equipa de Gales.